Tony Iommi: "Guitarristas bons tentam se exibir um pouco!"

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Nathália Plá, Fonte: Blabbermouth.net, Tradução
Enviar correções  |  Ver Acessos

A edição 210 da revista britânica Total Guitar, em dezembro de 2010, trouxe o lendário guitarrista do BLACK SABBATH Tony Iommi na capa e inclui uma entrevista intimista. Seguem alguns trechos da segunda parte da conversa.

Gastão Moreira: A coleção do VJ, apresentador e jornalista musicalTrollagem: quando as bandas decidem zoar com o playback

Total Guitar: Músicas novas influenciam sua forma de tocar ou compor de algum modo?

Iommi: "Suponho que devem haver coisas que você pega, mas eu não poderia lhe dizer de onde. Eu tendo a tocar o que eu penso. Há álbuns que eu gostaria de ouvir, mas eu não ouço. Eu não escuto outros guitarristas tanto assim. Há alguns grandes guitarristas por aí, realmente há, mas, de novo, sendo um grande guitarrista, você também tem de ser um grande compositor. Não importa o quão bom seja, você só é bom o tanto quanto for sua música. Algumas pessoas tendem a exagerar nas músicas. É minha opinião. Quando o guitarrista é bom, eles geralmente tenta se exibir um pouco."

Total Guitar: "Paranoid" é indiscutivelmente seu riff mais famoso. Reza a lenda que a música foi uma inclusão de última hora ao álbum?

Iommi: "Naquela época não tínhamos gravadores. Você tinha de tocar riffs, continuar tocando-os e lembrar deles. Nós estávamos gravando o álbum ['Paranoid', 1970] e a gravadora de repente disse 'Vocês não têm músicas o suficiente!' Nós não sabíamos o que fazer e eles nos pediram para arrumar outra música. Em poucos minutos eu criei o riff da 'Paranoid', toquei para os outros caras, eles gostaram, e então prosseguimos. É o quão simples a 'Paranoid' foi - nós a compusemos e a gravamos em um dia."

Total Guitar: Ainda simples assim, essa música veio para ser um de seus maiores sucessos.

Iommi: "Sim, ela foi. Nós não queríamos realmente um single para fazer sucesso com a 'Paranoid' porque naquela época single era feito para vender. Não queríamos um single e não esperávamos que ela fosse um single. Nós apenas a fizemos como uma faixa para completar (o álbum). A maioria das faixas no álbum eram longas e muitas pessoas não as tocaria porque eram muito longas, então a 'Paranoid' era uma faixa ideal para lançar, já que era curta e rápida. Ela simplesmente decolou. Nós ficamos tão chocados quanto qualquer um quando ela chegou às paradas. Nós pensamos 'Diabos, tem esse tanto de coisa aqui que estávamos tentando fazer musicalmente e então algo simples como a 'Paranoid' entra para as paradas e todos se lembram dela!'"

Leia mais no site da revista Total Guitar.

http://www.musicradar.com/totalguitar/tony-iommi-interview-p...




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção NotíciasTodas as matérias sobre "Black Sabbath"Todas as matérias sobre "Tony Iommi"


Ozzy Osbourne: Madman comenta seu problema com drogasOzzy Osbourne
Madman comenta seu problema com drogas

Motion Device: Heaven And Hell com vocalista de 11 anosMotion Device
"Heaven And Hell" com vocalista de 11 anos


Gastão Moreira: A coleção do VJ, apresentador e jornalista musicalGastão Moreira
A coleção do VJ, apresentador e jornalista musical

Trollagem: quando as bandas decidem zoar com o playbackTrollagem
Quando as bandas decidem zoar com o playback


Sobre Nathália Plá

Mineira de Belo Horizonte, nasceu e cresceu ouvindo Rock por causa de seu pai. O som de Pink Floyd e Yes marcou sua infância tanto quanto a boneca Barbie, mas de uma forma tão intensa que hoje escutar essas bandas lhe causa arrepios. Ao longo dos anos foi se adaptando às incisivas influências e acabou adquirindo gosto próprio, criando afinidade pelo Hard Rock e Heavy Metal. Louca e incondicionalmente apaixonada por Bon Jovi, não está nem aí pras críticas insistentes dirigidas à banda. Deixando a emoção de lado e dando ouvidos à técnica e qualidade musical, tem por melhores bandas, nessa ordem, BlackSabbath, Led Zeppelin, Deep Purple, Metallica e Dream Theater. De resto, é apenas mais uma apreciadora do bom e velho Rock'n'roll.

Mais matérias de Nathália Plá no Whiplash.Net.

adGooILQ