Odum: incríveis aventuras de um batera santista em L.A.

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Guilherme Zeinum, Fonte: Jornal A Tribuna, Press-Release
Enviar Correções  

Press-release - Clique para divulgar gratuitamente sua banda ou projeto.

A matéria abaixo foi publicada originalmente na edição de 22 de janeiro do jornal A Tribuna, de Santos-SP, assinada pelo jornalista Gustavo Klein:

Aquela história clássica de se mandar para uma grande capital, sem qualquer estrutura prévia, ainda acontece com muita gente. E muitos se dão bem. É o caso do músico santista Gus Conde, que viajou para Los Angeles há nove anos, em busca de um lugar melhor para mostrar seu talento musical.

Em pouco tempo ele alcançou muitos de seus objetivos. Uma de suas conquistas mais recentes foi a apresentação no "American Music Awards", um dos principais prêmios da música norte-americana. Gus acompanhou, na percussão, a cantora pop RIHANNA. Foi o primeiro brasileiro a se apresentar no prêmio.

"Fui para lá com uma mochila nas costas, um par de baquetas nas mãos e um sonho. E só. Queria ver o que havia por trás da cortina, ampliar meus horizontes."

Chegou sem nada e sem nada permaneceu por algum tempo. Foi difícil, reconhece. "Na primeira semana, dormi na praia. Me alimentei de restos de comida que pedia nos restaurantes."

Mas, devagar, as coisas começaram a caminhar para ele. Bem devagar, mesmo. "Lavei carros, fui motorista de vans. Mas consegui um emprego em um estúdio de música e aí as coisas foram melhorando."

E então já com maior velocidade. "Me tornei gerente desse estúdio, logo depois montei minha banda, a ODUM, comecei a dar aulas e me firmei dentro desse cenário."

A banda apresenta, diz Conde, todo um novo conceito. "Essa coisa de quatro caras vestidos de preto tocando no palco é antiga. O ODUM mistura toda uma coisa teatral, com a música. Damos tanta atenção ao visual quanto ao áudio. Eu poderia definir o ODUM como o Circo de Soleil com heavy metal."

Quem quiser curtir o som do ODUM pode aproveitar os espaços do grupo na Internet: www.myspace.com/odummusic e www.youtube.com/odum001. A banda também tem site oficial: www.odummusic.com. Eles mostrarão em breve seu som em Santos.

DOCUMENTÁRIO

Gus voltou ao Brasil para ficar alguns meses, enquanto roda um documentário sobre bateria brasileira. Nele, vai mostrar diversos ritmos do Brasil, como o baião, o maracatu, samba, axé, forró e partido alto. O filme conta com a participação de diversos bateristas da cena brasileira, desde os que tocam com artistas lotando estádios até aqueles que trabalham duro para tocar na noite e ganhar a vida dessa forma.

Também vai mostrar o universo das escolas de samba, do carnaval, da capoeira e de diversos outros elementos que falam um pouco da cultura daqui. Esse documentário será lançado nos Estados Unidos e Europa no ano que vem.

OFICINA ENSINA NOVA TÉCNICA DE BATERIA

Aqui em Santos, Gus também irá ministrar oficinas de bateria. Ele desenvolveu um programa especial de treinamento para quem quer se tornar fera no instrumento.

O programa H.I.T. foi criado para trabalhar resistência, ambidestridade e mostrar que velocidade pode – e deve – ser acompanhada de precisão técnica.

O programa consiste na divisão do tempo em rounds de minutos (como no boxe) de exercícios pré-determinados. Esses exercícios são executados com o metrônomo. O aluno é condicionado a fazer com o pé e a mão esquerda tudo o que é feito com o pé e a mão direta.

Isso ajuda no desenvolvimento da criatividade na bateria e também estimula a habilidade de trabalhar com as duas mãos e os dois pés de forma independente.

Gus desenvolveu esse programa a partir de 2006, quando começou a dar aulas na escola de bateria Fuentech [www.fuentechdrumschool.com], em Torrance, na Califórnia.

Ele se tornou assim um professor tempo integral na escola, voltado a aplicar não apenas o programa mas também o currículo normal da escola, que compreende leitura musical, rudimentos de música, acompanhamento, etc.

Essa experiência serviu para que ele, em 2009, abrisse sua própria escola, a King School of Drumming.

Ele criou uma outra empresa, que presta serviços de bateria, gerente de palco e gerente de turnê, entre outras funções, para bandas como DETHKLOK, FEAR FACTORY, BILLY IDOL, THE CULT e também a VELVET REVOLVER.

CONTATO

O contato com Gus Conde também para saber quando serão os shows da ODUM em Santos pode ser feito por e-mail: [email protected]

BANDA ODUM EXISTE HÁ SEIS ANOS E TOCA ROCK PESADO

Quando foi convidado para tocar com a cantora RIHANNA, Gus brinca que teve que perguntar para a namorada quem ela era, se era muito conhecida. "Minha namorada falou que ela é simplesmente uma das artistas mais conhecidas do mundo na atualidade."

Gus é baterista e fundador da banda ODUM, que toca rock bem mais pesado e não tem nada a ver com o som da cantora RIHANNA.

As referências musicais brasileiras, ainda assim, acabam refletindo e aparecendo, também, no som da ODUM.

A ODUM existe desde 2005 e já excursionou pela Costa Oeste dos Estados Unidos e fez diversos shows na área metropolitana de Los Angeles, inclusive um no mítico B.B. King’s Club, em Hollywood.

Gus toca também com o Made in Bahia em Los Angeles, banda de música brasileira. Uma amostra do som da ODUM: www.youtube.com/guscondemusic.




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Zakk Wylde: foto do arsenal de guitarras do músicoZakk Wylde
Foto do arsenal de guitarras do músico

Queen: algumas curiosidades sobre a bandaQueen
Algumas curiosidades sobre a banda


Sobre Guilherme Zeinum

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, enviando sua descrição e link de uma foto.

Mais matérias de Guilherme Zeinum no Whiplash.Net.

adWhipDin adWhipDin adWhipDin adWhipDin