Dimensões do Heavy Metal: "…a volta" (o milagre do retorno)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Rolf dio e Eduardo Bianchi Rolim, Fonte: Minuto HM, Press-Release
Enviar correções  |  Comentários  | 

Matéria de 29/05/11. Quer matérias recentes sobre Rock e Heavy Metal?

Para o incauto leitor que inicia a leitura destas parcas linhas do nosso blog da família da metal, eu gostaria primeiramente de citar um salmo segundo São Roque – santo protetor do hard rock e marca de um vinho homônimo amplamente consumidos por adolescentes delinquentes sem dinheiro – capítulo 25, versículo 5: “she’s my cherry pie, cool drink of water such a sweet surpise, tatse so good, make grown man cry, sweet cherry pie”. Amém!

839 acessosDuplas de guitarristas: Loudwire elenca suas dez melhores5000 acessosNirvana: Claudia Ohana faz cover desastroso no Programa do Jô

Bom, agora, podemos voltar a liturgia da palavra e antes de tentar alcançar o significado completo do que seria uma “dimensão do heavy metal” é preciso, primeiramente, contextualizar o incauto leitor destas parcas linhas sobre o significado do que seria em uma música com “…a volta”. Bom, isto talvez seja um pouco mais fácil se você já é um amante do heavy metal. Creio que se você já é um experiente ouvinte do gênero não será difícil tentar entender este conceito.

Falando mais objetivamente, “…a volta” trata-se de um determinado momento em uma determinada música qualquer onde existem vários andamentos diferentes sendo executados e a banda executora se preocupa em criar um momento de “voltar” para algum tempo/compasso/sequência/andamento de notas de onde a música estava e que não deveria ter saído de tão maneira que era!!! Mas que graças a genialidade de alguns músicos deste gênero, alguns conseguiram essa proeza de criar e tocar um determinado andamento em algumas música, sair para um outro andamento muito bom e retornar para o andamento já previamente executado.

Este breve e mágico momento ao qual a música retorna é exatamente a dimensão da qual estamos falando. Se o incauto leitor ainda não conseguir alinhar o que nós (…”nós” é brincadeira…) do blog da família queremos dizer, talvez trazendo alguns exemplos mais práticos isso se torne fácil de ilustrar.

Vamos começar usando como exemplo um dos grande clássico das músicas com “a volta”. Trata-se de Powerslave do Iron Maiden. A música – e o disco – são verdadeiras obras-primas do metal e o Iron (…desculpem, mas eu não chamo o Iron Maiden de Maiden. Eu chamo de Iron… e Powerslave é a segunda do lado B que só tem 03 músicas!!!) é uma banda que criou e recriou talvez as melhores “voltas” do metal. Seja pela dedicação da banda nesta dimensão ou pelo ponto de vista técnico – onde a banda realmente dedica uma parte da música para realizar uma “volta”.

Nesta música que vamos usar como exemplo, houve claramente um empenho e uma dedicação especial em fazer com que aquele momento de “volta” fosse muito bem marcado e dedicado a este ponto da execução da música. Aí vai! Sigam-me os bons ao exemplo, e no segundo parágrafo eu falo um pouco mais detalhadamente: Powerslave inicia sua execução com um riff avassalador que depois deságua em uma uma passagem mais acelerada. Após 2 compassos, aos 2:39, a música enfim para com esta sequência pra entrar então em um momento instrumental dos mais bonitos do metal. Daí seguem-se com monumentais passagens de solos alternados de guitarra (para o incauto leitor, é preciso prestar um serviço de informação aos mais novos que o Iron na década de 80 possuía “apenas” dois guitarristas: Murray e Smith) e as linhas duplas de guitarra bem característica da banda – com aquela tradicional brecha para que Steve Harris mostre um pouco mais de acentuação ao seu virtuosismo – bom, aí, aos 4:46 a banda se debruça literalmente em criar uma rápida passagem em que os tempos são marcados e Nicko a faz marcando e usando todo o seu kit.

Ao chegar nesta etapa da música pela primeira vez você presta atenção nos detalhes e dá para imaginar a quantidade de pratos que existem a disposição de Nicko McBrain, e, aí, se vão 10 segundos. A passagem vai até os 4:56 – literalmente 10 segundos – para então ter primorosamente executada, aos 4:57, uma das melhores dimensões do heavy metal “…volta”… a música “volta” – é o milagre do retorno. Ela “volta” inesperadamente e realmente é um momento mágico pois nos milésimos de segundos que se transcorrem, você, incauto leitor, se depara com a convenção do início da música, com a volta do primoroso riff perfeitamente conectado e que a música nunca deveria ter saído…mas saiu e… ”voltou” de forma espetacular e perfeita!

Neste momento, incauto leitor, ao ouvir isso da primeira vez aos 12 anos de idade, todos os pêlos do seu corpo já estão arrepiados – os do saco foram os primeiros, com certeza – e você se depara com uma obra prima das voltas do metal. Você percebe que a banda preparou aquele momento com maestria. Percebe que a banda vislumbrou ali algo que deveria ser trabalhado claramente em forma de “volta”… o riff inicial era perfeito demais para ser executado de forma única então me arrisco a dizer que o restante da música possui andamento diferenciado do início justamente para que no momento da “volta” a percepção de retorno ficasse ainda mais aparente e impactante para nós, privilegiados por existirmos na mesma época da fase áurea da banda. Só os deuses do metal sabem fazer. Só quem possui compromisso com o heavy metal é capaz de fazer “a volta”.

Continue acompanhando este artigo em detalhes no Minuto HM - com outra música do mesmo disco do Iron Maiden sendo analisada além, claro, dos respectivos vídeos.

http://minutohm.com/2011/05/29/dimensoes-do-heavy-metal-a-vo...

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Iron MaidenIron Maiden
Steve Harris assiste show do Metallica no Canadá

839 acessosDuplas de guitarristas: Loudwire elenca suas dez melhores1266 acessosBruce Dickinson: voando em um bombardeiro da II Guerra Mundial0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Iron Maiden"

Iron MaidenIron Maiden
Veja Bruce abandonando o palco em 1999

Iron MaidenIron Maiden
Curiosidades sobre o álbum "Live After Death"

Heavy MetalHeavy Metal
Nove ótimas músicas suaves do gênero

0 acessosTodas as matérias da seção Notícias0 acessosTodas as matérias sobre "Iron Maiden"

NirvanaNirvana
Claudia Ohana faz cover desastroso no Programa do Jô

EnqueteEnquete
Os 10 melhores shows do Rock In Rio 2015

Em 1977Em 1977
O trágico acidente que vitimou o Lynyrd Skynyrd

5000 acessosSlipknot: Corey explica as nojentas desvantagens das máscaras5000 acessosBizarre Magazine: Quão bizarro é... Ronnie James Dio5000 acessosStoner Rock: Um guia básico para o estilo5000 acessosBob Dylan: é dele a "Maior Música de Todos os Tempos"5000 acessosRaul Seixas: 10 importantes obras do Maluco Beleza5000 acessosLemmy: 65 anos com "o fígado de um recém-nascido"

Sobre Rolf dio e Eduardo Bianchi Rolim

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, entre em contato enviando sua descrição e link de uma foto.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online