Axl Rose: fazendo acordo em processos contra ex-produtor

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Nathália Plá, Fonte: blabbermouth.net/, Tradução
Enviar Correções  

De acordo com o Beverly Hills Courier, o frontman do GUNS N' ROSES Axl Rose e seu antigo produtor fizeram acordo em suas ações judiciais envolvendo comissões e turnês.

"Eles entraram em acordo para satisfação mútua das partes", disse o advogado Howard King falando em nome do ex-produtor do vocalista Irving Azoff.

publicidade

Apesar dos termos não terem sido divulgados, advogados de Rose arquivaram documentos após um acordo preliminar ter sido alcançado afirmando que o acordo final envolveria "um compreensivo acordo relativo a uma turnê na qual o GUNS N' ROSES faria diversos shows."

Rose foi processado pela Front Line Management em março de 2010 por aproximadamente dois milhões de dólares em comissões não pagas, de acordo com a Associated Press. A empresa ajuizou um processo em Los Angeles, alegando que Rose devia a empresa 1.9 milhões, ou 15 por cento de mais de doze milhões que Rose teria recebido por apresentações na Europa, Canadá e América do Sul, com base em um acordo verbal.

publicidade

Rose contestou apresentando uma reconvenção que alegava que Azoff tentou constranger Rose a fazer uma reunião com a formação original do GUNS. De acordo com a Pulse of Radio, Rose alegou em seu processo que Azoff fez de tudo para sabotar a atual versão do GUNS depois que Rose disse não à idéia da reunião no ano passado, alegando que Azoff tentou "desenvolver e implementar um plano secreto para fazer com que Rose e a banda fracassassem para que então Rose não tivesse outra escolha senão reunir com os membros originais do GUNS N' ROSES."

publicidade

O processo de Rose acrescentava, "Ao perceber que não conseguiria constranger Rose e efetivar seu plano, Azoff pediu demissão e deixou o GUNS N' ROSES às vésperas de uma grande turnê, ajuizando uma ação que ele não recebeu e não teria nenhum direito de receber."

A alegação ainda acrescentava que Azoff, em seu próprio processo, deliberadamente usava o real nome de Rose William Bailey, porque "carrega danos emocionais significantes advindos da infância de Rose."

publicidade

Em outubro de 2010, Azoff ajuizou uma resposta oficial às acusações de Rose apresentando 14 defesas em face às alegações de Rose de quebra de sigilo, fraude, e quebra de contrato. De acordo com o The Hollywood Reporter, Azoff afirma em sua resposta às alegações de Rose "são obstadas por limitações estatutárias; que houve denúncia; que houve acordo e sua satisfação; que Rose consentiu com os atos de Azoff; que Rose não tomou medidas razoáveis para minimizar os danos; e que qualquer dano que ocorreu a Rose foi em razão da própria negligência do cantor, má administração ou fraude."

publicidade




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Wonder Years: O soundtrack do grande sucesso de público e críticaWonder Years
O soundtrack do grande sucesso de público e crítica

Led Zeppelin: por que Robert Plant não gosta de cantar Stairway to Heaven?Led Zeppelin
Por que Robert Plant não gosta de cantar "Stairway to Heaven"?


Sobre Nathália Plá

Mineira de Belo Horizonte, nasceu e cresceu ouvindo Rock por causa de seu pai. O som de Pink Floyd e Yes marcou sua infância tanto quanto a boneca Barbie, mas de uma forma tão intensa que hoje escutar essas bandas lhe causa arrepios. Ao longo dos anos foi se adaptando às incisivas influências e acabou adquirindo gosto próprio, criando afinidade pelo Hard Rock e Heavy Metal. Louca e incondicionalmente apaixonada por Bon Jovi, não está nem aí pras críticas insistentes dirigidas à banda. Deixando a emoção de lado e dando ouvidos à técnica e qualidade musical, tem por melhores bandas, nessa ordem, BlackSabbath, Led Zeppelin, Deep Purple, Metallica e Dream Theater. De resto, é apenas mais uma apreciadora do bom e velho Rock'n'roll.

Mais matérias de Nathália Plá no Whiplash.Net.

WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin