Saxon: Biff Byford comenta novo álbum Call To Arms

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Nathália Plá, Fonte: blabbermouth.net, Tradução
Enviar Correções  


Colecionando um arsenal de riffs revestidos de aço e letras presunçosas, o SAXON acabou de lançar o "Call To Arms" na Europa pela Militia Guard Music, UDR e EMI.

Gravado no Chapel Studios em Lincolnshire, Reino Unido e no Electric Studios em Brighton, Reino Unido, o álbum de 11 faixas foi co-produzido pelo vocalista/letrista Biff Byford e Toby Jepson (LITTLE ANGELS). Trazendo Byford nos vocais, Paul Quinn e Doug Scarratt na guitarra, Nibs Carter no baixo e Nigel Glockler na bateria, "Call To Arms" traz a brilhante música do SAXON, uma abrangência confiante da aura e valores nas letras de seus primeiros anos casado perfeitamente com um toque do SAXON moderno.

publicidade

"Esse é provavelmente o melhor álbum que compusemos e gravamos nos últimos 20 anos", afirma Biff Byford sem falsa modéstia. "Sei que muitas bandas dizem isso, mas o 'Call To Arms' realmente me dá essa sensação. É a perfeita união de nosso passado com um grade toque moderno."

Entre o furioso riff da "Hammer Of The Gods" até a to "Ballad Of The Working Man", SAXON também encontrou tempo para convidar os fãs a cantarem o nostálgico furacão da "Back In '79" graças a uma súbita inspiração de Byford na noite antes da gravação.

publicidade

"Colocamos algo no nosso site 24 horas antes de gravar a faixa em Brighton, e o engraçado foi que nós tínhamos exatamente 79 pessoas no momento para cantar a música. Foi um resultado fantástico que é um tributo direto a 'Denim & Leather' em que fizemos exatamente a mesma coisa."

Há também a lenda do teclado Don Airey (RAINBOW, ELO, OZZY OSBOURNE, DEEP PURPLE) como convidado especial na "When Doomsday Comes".

publicidade

"Estávamos na embaixada americana em filas diferentes solicitando nossos vistos e quando os pegamos, Don aceitou vir e tocar a música", gracejou Byford.

Há também a faixa "No Rest For The Wicked" do filme "Hybrid Theory", um thriller de ficção científica que segue um grupo de soldados britânicos que se vêem em uma batalha de vida ou morte com um inimigo além de seus piores pesadelos. O filme é dirigido por James Erskin, que fez "One Night In Turin" sobre a Inglaterra na Copa do Mundo de 1990.

publicidade

"Fizemos nossos álbuns mais obscuros, nossos álbuns de metal, estivemos nesses espaços e os experimentamos e as pessoas vieram conosco nessa jornada", disse Byford, "e com o 'Call To Arms' você tem o ápice desses 10 anos e dos 20 anos antes deles. Adoro esse álbum. Adoro as músicas. Adoro os sons. É coisa certa."

Um EPK (Electronic Press Kit) do "Call To Arms", o 19º álbum de estúdio do SAXON, pode ser visto abaixo. O clipe de 13 minutos traz o vocalista Biff Byford apresenta o CD ao espectador música por música.

publicidade

Muitos fãs já ouviram algumas, ou todas, as músicas e agora você pode ouvir do Biff pessoalmente o que inspirou a banda a compor e produzir o novo álbum e porque Lord Kitchener está na capa.

publicidade

Track list do "Call To Arms":

01. Hammer Of The Gods
02. Back In '79
03. Surviving Against The Odds
04. Mists Of Avalon
05. Call To Arms
06. Chasing The Bullet
07. Afterburner
08. When Doomsday Comes (Hybrid Theory)
09. No Rest For The Wicked
10. Ballad Of The Working Man
11. Call To Arms (orchestral version)




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Fotos de Infância: Amy Lee, do Evanescence, muito antes da famaFotos de Infância
Amy Lee, do Evanescence, muito antes da fama

Metal: Mapa revela os países com mais bandas do estiloMetal
Mapa revela os países com mais bandas do estilo


Sobre Nathália Plá

Mineira de Belo Horizonte, nasceu e cresceu ouvindo Rock por causa de seu pai. O som de Pink Floyd e Yes marcou sua infância tanto quanto a boneca Barbie, mas de uma forma tão intensa que hoje escutar essas bandas lhe causa arrepios. Ao longo dos anos foi se adaptando às incisivas influências e acabou adquirindo gosto próprio, criando afinidade pelo Hard Rock e Heavy Metal. Louca e incondicionalmente apaixonada por Bon Jovi, não está nem aí pras críticas insistentes dirigidas à banda. Deixando a emoção de lado e dando ouvidos à técnica e qualidade musical, tem por melhores bandas, nessa ordem, BlackSabbath, Led Zeppelin, Deep Purple, Metallica e Dream Theater. De resto, é apenas mais uma apreciadora do bom e velho Rock'n'roll.

Mais matérias de Nathália Plá no Whiplash.Net.

WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin