Slash: um resumo de suas experiências ao longo dos anos

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Paulo Giovanni G. Melo, Fonte: Esquire, Tradução
Enviar Correções  

Em entrevista para a coluna "What I've Learned" (em português, "O que aprendi") de Cal Fussman do site Esquire.com, o principal guitarrista do GUNS N'ROSES resumiu sobre suas experiências ao longo dos anos.

Jimi Hendrix: 12 coisas que talvez você não saiba sobre ele

Full Rock: 10 músicas desgraçadas por bandas de forró

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

"Eu nunca quis chamar a atenção para mim mesmo, mas isso é tudo o que faço.

Existem pessoas que têm uma imagem minha como sendo rude e insensível. Mas eu sou completamente o oposto, porque fui criado para não ser assim. Posso ter tropeçado em mim mesmo bêbado, mas sempre fui cortês.

Guitarras são como mulheres. Você nunca vai pegá-las da maneira totalmente correta.

Risco não é uma palavra em meu vocabulário. É a minha própria existência.

Me sinto intimidado em cantar. Posso cantar e cobrir uma melodia, mas simplesmente não curto muito me expressar verbalmente - especialmente na forma de uma canção - a ponto de que não gosto nem de cantarolar para mim mesmo.

Axl e eu viemos de origens completamente diferentes. Por isso fomos uma dupla interessante tentando descobrir um ao outro.

Entre os BEATLES e os ROLLING STONES meu pai adorava os Stones, então, definitivamente havia um gene natural dele em mim.

Quando era garoto, eu arrumava trabalho para poder obter cigarro, cerveja e qualquer coisa na [cadeia de lojas norte-americana] A&P. É assim que eu vejo o dinheiro. Ele nunca foi um fator motivador. Como eu disse, não era a grande coisa que posso me lembrar. A grande coisa era estar no caminho da criatividade.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Eu pensava que Les Paul era uma guitarra. Eu não sabia que era um cara de verdade. Quando eu o conheci, descobri que se você está obcecado, ele é o cara que você gostaria de ser igual. Ele sempre esteve procurando por uma resposta para o que estava em sua mente. Se as coisas não existissem, ele as construía por conta própria. Ele, por si só, construiu o que eu considero "música popular".

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

É uma busca constante para encontrar aquela harmonia, para se conectar a ela, onde tudo o que você quer extrair você consegue. Alguns momentos são raros, mas eles são como drogas: depois que você passa por eles, você está constantemente procurando por eles.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Quando vejo imagens do GUNS N'ROSES, vejo aquela puta fome e atitude. Você não podia ferrar com aqueles cinco caras. Era apenas química. Era essa coisa simples e faminta se tornando grande. Era tão sincero como qualquer outra banda de Rock n'Roll que eu ouvia, e tenho orgulho disso.

Não é algo que você pode encontrar. Há um momento que você chega no... - não há palavras para definir. Um monte de pessoas se reúne, uma nota acerta seu coração e sua mente diz a seus dedos onde ir. É coisa de outro mundo. É como quando um pintor tem a combinação exata de várias cores juntas.

Se eu pudesse sair com Jimi Hendrix, isso não seria depois do jantar.

Músicos atuais nunca falam sobre música.

A heroína é uma droga boa, mas é um mal.

Eu tive minha overdose induzida quimicamente, intoxicação por álcool e tudo aquilo. Absolutamente não tive nenhum medo de não acordar. Mas uma coisa era clara para mim através disso tudo. Se eu vou estar aqui, então eu tenho que ser capaz de fazer o que eu tenho que fazer aqui.

Minha avó realmente foi a última pessoa a me chamar de Saul. As pessoas que me chamam de Saul são fãs que querem ter uma conexão pessoal comigo. Não tenho certeza sobre a psicologia por trás disso, mas suponho que eles querem ir além do "Slash".

Não é como ser um "Brad Pitt" mas eu sou reconhecido regularmente. Outra noite fui ver um amigo meu tocar. Quando eu cheguei, recebi muita atenção. A coisa mais difícil de ser uma estrela do Rock não é ser uma estrela do Rock.

A separação entre Axl e eu foi tranquila. Mas porque havia muita atenção sobre o rompimento - e a dúvida se nos reuniríamos de novo - foi contruído este monstro que levou a um tipo de animosidade que não era interessante para mim. Nenhum de nós queria descer goela abaixo do outro sem nenhum motivo. Neste ponto estou tentando acabar com isso. Então, tenho tentado evitar o assunto.

Quando isso pesa, eu gosto de estar com as pessoas com as quais me sinto confortável e para quem isso significa algo. Mas não tenho queixas sobre algumas experiências que já tive.

Não sei se aquela girafa estava tentando me beijar. Mas foi uma experiência. Você já viu a língua de uma girafa? Tem cerca de dois metros de comprimento.

Para mim, é parte do jogo encontrar uma garota que seja a mais excitante, sincera e extravagante - a mais louca. Você apenas deve encontrar minha esposa.

A guitarra é a melhor forma de auto-expressão que eu conheço. Tudo além disso é apenas eu escolhendo meu caminho, tentando descobri-lo pela vida.

Nenhum interesse. Eu não falo com meus filhos sobre aqueles dias. Um tem sete anos e o outro tem nove. Um deles tem um skate. Eu olho para ele e vejo a mim mesmo, e é como 'apenas faça isso, cara!'."




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Jimi Hendrix: 12 coisas que talvez você não saiba sobre eleJimi Hendrix
12 coisas que talvez você não saiba sobre ele

Full Rock: 10 músicas desgraçadas por bandas de forróFull Rock
10 músicas desgraçadas por bandas de forró


Sobre Paulo Giovanni G. Melo

Mineiro de Belo Horizonte. Fã de Hard Rock e Heavy Metal, especialmente a partir dos anos 80, não dispensa um disco ao vivo destes estilos. Entre várias de suas bandas preferidas estão Ratt, Aerosmith, Buckcherry, The Cult, Whitesnake, Whitecross, Guns N' Roses e Motley Crue.

Mais matérias de Paulo Giovanni G. Melo no Whiplash.Net.

Goo336 Goo336 CliIL Goo336 Goo336 Cli336