Mötley Crüe: "a música está descontrolada e esquisita"

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Seguir Whiplash.Net

Por Samuel Coutinho, Fonte: classicrockrevisited.com, Tradução
Enviar correções  |  Comentários  | 

Matéria de 22/01/12. Quer matérias recentes sobre Rock e Heavy Metal?

Jeb Wright da Classic Rock Revisited, conduziu uma entrevista recente com o guitarrista do MÖTLEY CRÜE, Mick Mars. Alguns trechos da conversa seguem abaixo.

3726 acessosSlash e Nikki Sixx: ponderando sobre uso de celulares em shows5000 acessosAs novas caras do metal: + 40 bandas que você deve conhecer

Classic Rock Revisited: Você acha que o Mötley Crüe vai continuar fazendo estes tipos de residências, como os shows realizados em Las Vegas em fevereiro?

Mick: É uma coisa legal que fizemos, e convidamos outras bandas a fazer a mesma coisa. Mas não sei se continuaremos fazendo isso. Nós vamos dar uma olhada e pensar melhor. Para mim, pessoalmente, eu gosto de entrar no ônibus toda noite e viajar e ver o mundo todo, mas teremos que ver como isso vai funcionar.

Classic Rock Revisited: Estão surgindo vários boatos de que o Mötley Crüe está trabalhando em um novo álbum.

Mick: Nós estamos trabalhando em várias coisas. Queremos fazer algo como o Crüe Fest. A música está realmente descontrolada e ficando cada vez mais estranha. É ridículo o que está acontecendo. Acho que no futuro as bandas deverão ser mais entrosadas e isso vai fazer valer a pena e as pessoas irão assitir. Eu posso te dizer que eu estou escrevendo um novo material. Nikki Sixx também está. Espero que tenhamos um novo disco em 2013.

Classic Rock Revisited: Vários fãs se preocupam com você por causa de seus problemas de saúde. Você ainda consegue fazer uma turnê?

Mick: É como eu sempre fiz, eu ainda tenho condições de fazer uma turnê. É uma daquelas coisas que eu considero inconveniente. É claro, tem dias que eu estou pior e aquelas dores em meus quadris sempre aparecem. Existem dias bons e dias ruins, isso é mais inconveniente do que qualquer outra coisa. Eu não me sinto doente. Há muitas pessoas que sofrem com esse tipo de problema e elas vão ao médico e ele diz que elas podem ficar em uma cadeira de rodas. Meu conselho para essas pessoas é que procurem outro médico, porque ele está errado. Tem coisas que não são legais, mas há algumas vantagens - por eu estar um pouco "dobrado". Eu posso sempre ver a minha guitarra. Se eu estivesse em linha reta eu não seria capaz de me ver tocando [risos].

Classic Rock Revisited: Você sempre foi o mais tranquilo do Motley Crue?

Mick: De certa forma sim, mas eu sou mais do que um companheiro de banda quieto. Olha, eu adoro música, mas eu me mantenho em cima dos negócios, pois música é um negócio. Eu amo escrever música, viajar e ser pago para ver o mundo, mas você tem que manter seus olhos em tudo que está acontecendo ao seu redor.

Classic Rock Revisited: Como afirmado anteriormente, você é o mais tranquilo da banda. Como você lidou com coisas como o acidente de carro de Vince Neil e a overdose de Nikki?

Mick: Quando você ouve sobre estas coisas, isso te deixa bem confuso. Tudo o que você pode fazer é aceitar o que está em sua mente. Quando Nikki teve uma overdose, eu realmente não sabia o que dizer a ele. Eu apenas disse: "Bem, Sixx, essa foi boa". Vou dar um exemplo de como isso fodeu tudo, foi quando nosso tour manager nos disse: "Teremos que dizer as pessoas da Europa que as datas da turnê serão canceladas, pois Nikki teve uma overdose". Eu fiquei tipo, "Oh meu Deus, o que vamos dizer a eles?". Eu já estava chateado porque era o meu baixista que estava tendo uma overdose e tudo que eu podia fazer era dizer a ele: "Cara, não faça mais essa merda. Você vai ficar muito viciado nessa merda e vai ficar ruim".

Classic Rock Revisited: Ouvi dizer que você está fazendo um álbum solo.

Mick: Eu estou pensando sobre isso. Não há nada cocreto ainda e todo mundo está dizendo que eu estou fazendo um álbum de blues. Será um álbum de blues em si, mas será do jeito que Edgar Winter interpreta o blues. Ele tem o sentimento dos anos 70 mas eu farei um estilo mais atual. Eu quero misturar os dois estilos juntos. Eu sou um cara old-school e tudo o que eu escrevo eu sempre me pergunto: "Será que poderei tocar isso no mesmo palco que o Mötley Crüe?". Se a resposta for "não", então eu deixarei para outra ocasião. Eu tenho que me sentir bem com o que estou fazendo ou voltar atrás e começar do zero.

Leia a matéria completa no Classic Rock Revisited.
http://www.classicrockrevisited.com/interviewmickmars.htm...

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Seguir Whiplash.Net

Slash e Nikki SixxSlash e Nikki Sixx
Ponderando sobre uso de celulares em shows

1304 acessosMotley Crue: Sixx comenta glorificação das drogas no mundo da música0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Motley Crue"

Mötley CrüeMötley Crüe
Sixx rebate comentários de Simmons sobre morte do rock

Motley CrueMotley Crue
A primeira impressão de Tommy Lee sobre o Rio de Janeiro

Slash e Nikki SixxSlash e Nikki Sixx
Ponderando sobre uso de celulares em shows

0 acessosTodas as matérias da seção Notícias0 acessosTodas as matérias sobre "Motley Crue"


As novas caras do metalAs novas caras do metal
Mais 40 bandas que você deve conhecer

Heavy MetalHeavy Metal
Os maiores álbuns da história para os gregos

Ataques em ParisAtaques em Paris
Mortos e reféns em show do Eagles Of Death Metal

5000 acessosHistória do Rock: dos primórdios aos anos 705000 acessosKiss: Vinnie Vincent é o maior filho da puta da história do rock?5000 acessosMas afinal... o que é rock progressivo?5000 acessosMetallica: levará um tempo para as pessoas compreenderem "Lulu", diz Bowie5000 acessosMcCartney: "Yoko não foi responsável pelo fim dos Beatles"5000 acessosGuns N' Roses: Appetite For Destruction e GNR Lies

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Mais comentários na Fanpage do site, no link abaixo:

Post de 22 de janeiro de 2012


Sobre Samuel Coutinho

Nascido no interior de SP no dia 15/12/1986, em uma cidade chamada Ilha Solteira, Samuel Coutinho se entregou ao heavy metal logo na adolescência. Seu forte sempre foi o heavy metal melódico, variando desde o prog-metal até ao power-metal.

Mais matérias de Samuel Coutinho no Whiplash.Net.