Na Inglaterra: CDs ainda são 3/4 das vendas de álbuns

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Nacho Belgrande, Fonte: Site do LoKaos Rock Show
Enviar correções  |  Comentários  | 

Matéria de 02/01/12. Quer matérias recentes sobre Rock e Heavy Metal?

Como isso é possível? Os CDs são responsáveis por menos da metade das vendas de álbuns nos EUA, mas eles ainda representam mais de três quartos do mercado britânico de álbuns. De acordo com as estatísticas de 2011 recém-divulgadas pelo órgão de comércio bretão BPI, os CDs são 76.1 por cento de todas as vendas de discos do ano, com álbuns digitais entrando com meros 23.5 por cento.

5000 acessosHair Metal: Os maiores cabelos da história do rock pesado5000 acessosSeparados no nascimento: Ian Hill e Stênio Garcia

Parece mais uma diferença entre os dois lados do Atlântico, mas é quase a mesma história. Ou seja, o digital ganha força, mas nada a ponto de abalar a demanda por um produto físico. E a inabilidade de se desprender dos formatos físicos está formatando a realidade inglesa. Durante o ano, as vendas de álbuns finalizaram em 113.2 milhões, uma queda de 5.6 por cento entre os formatos físicos e puramente digitais. Mas os CDs caíram 12.6 por cento, um acentuado declive, enquanto houve um ganho de 23.5 para os arquivos digitais.

Formatos não-tangíveis como assinaturas e downloads ‘à-la-carte’ também estão em ascensão, mas não a um ritmo que consiga sustentar a indústria. O mesmo órgão continuou a apontar para a pirataria, e a inércia do governo britânico em relação ao assunto. “Enquanto outros países tomam ações positivas para proteger seu setor criativo, nosso governo está demorando demais para agir contra a pirataria, enquanto enfraquece a propriedade intelectual para o benefício de gigantes dos EUA”, declarou o chefe do BPI, Geoff Taylor. “A menos que ações decisivas sejam tomadas em 2012, o investimento em música poderia diminuir de novo – um encolhimento criativo que irá destruir empregos e significar que a próxima Adele pode não ter chance de brilhar no palco do mundo”.

O destaque ficou com o vinil, que subiu 44 por cento para bater em 337 mil unidades vendidas durante o ano todo.

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Pirataria"

PiratariaPirataria
Os álbuns mais baixados ilegalmente no Reino Unido

PiratariaPirataria
Os primódios de uma polêmica indústria alternativa

Iron MaidenIron Maiden
Pirataria NÃO foi usada para escolher roteiro das tours

0 acessosTodas as matérias da seção Notícias0 acessosTodas as matérias sobre "Pirataria"

Hair MetalHair Metal
Os maiores cabelos da história do rock pesado

Judas PriestJudas Priest
A bizarra semelhança de Ian Hill e Stênio Garcia

Black MetalBlack Metal
O cotidiano fascinante dos fãs adolescentes

5000 acessosCorey Taylor: sonhando com sexo grupal com Lita Ford e Doro Pesch5000 acessosBruce: "Olhei para Di'Anno e pensei que deveria estar lá!"5000 acessosU2: as 10 melhores músicas de todos os tempos da banda5000 acessosA Vida Pós-bilau: vocalista do Life of Agony abre o jogo3843 acessosMetaleiro: popularizado no 1º RIR, termo continua polêmico5000 acessosMetallica: o que Andreas Kisser achou do "Hardwired?"

Sobre Nacho Belgrande

Nacho Belgrande foi desde 2004 um dos colaboradores mais lidos do Whiplash.Net. Faleceu no dia 2 de novembro de 2016, vítima de um infarte fulminante. Era extremamente reservado e poucos o conheciam pessoalmente. Estes poucos invariavelmente comentam o quanto era uma pessoa encantadora, ao contrário da persona irascível que encarnou na Internet para irritar tantos mas divertir tantos mais. Por este motivo muitos nunca acreditarão em sua morte. Ele ficaria feliz em saber que até sua morte foi motivo de discórdia e teorias conspiratórias. Mandou bem até o final, Nacho! Valeu! :-)

Mais matérias de Nacho Belgrande no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online