Michael Monroe: o pai do hard rock oitentista no Brasil

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Nacho Belgrande, Fonte: Playa Del Nacho
Enviar Correções  

O GUNS N’ ROSES foi oficialmente celebrado pelo Rock And Roll Hall Of Fame no último sábado, em sua vigésima sétima cerimônia em Cleveland.

publicidade

A 6500 km dali, em Turku, Finlândia, Matti Fagerholm, o cantor de rock que o Guns N’ Roses reconhece como uma inspiração, acaba de receber uma comenda mais modesta: o ‘Vuoden Turkulainen’, ou prêmio de ‘Pessoa de Turku do Ano’.

Mr. Fagerholm, que atende pelo nome de ‘Michael Monroe’, talvez seja o rock star mais respeitado, ainda que o menos famoso, do mundo. Lembrado por alguns como sendo o ‘o criador do hair metal’, um gênero altamente escrutinizado nos anos 80 e que fez sua marca na história da música com cortes extravagantes de cabelo, letras sugestivas e solos bombásticos de guitarra, Monroe permanece sendo um mistério para a maioria de seus fãs mais ardorosos.

publicidade

"Ele é um cara de 50 anos que faz espacatos no palco", diz Alexander Stubb, ministro do comercio exterior da Finlândia, que ouve a música do Sr. Monroe na esteira. "Michael sempre foi diferente. Ele ama o sucesso dos outros e não vê o ganho dos outros como uma perda pra ele."

Enquanto o vocalista do Guns N’ Roses, Axl Rose e o ex-guitarrista da banda, Slash, não se falam desde o racha da banda em meados dos anos 90, a única coisa que os dois devem concordar é a grandeza de Monroe. "Michael Monroe é um dos maiores frontmen do rock", disse Slash recentemente. "Ele também é um bom homem e um bom amigo."

publicidade

O relativo ostracismo de Monroe reflete um dilema finlandês. Um país rico de 5 milhões de habitantes, a Finlândia vende eletrônicos e produtos de metal ao redor do mundo. Mas seus itens de exportação no heavy metal não são tão populares.

O que é frustrante para os governantes da Finlândia, já que o país é obcecado com o gênero. A Finlândia tem mais bandas de metal per capita do que qualquer outro país, com 53.5 bandas para cada 100 mil pessoas, seguida pela Suécia e Noruega, de acordo com uma análise baseada em dados do web site Encyclopedia Metalum. Os EUA? Somente 5.5.

publicidade

Enquanto nos EUA o apoio do governo ao Metal é inconcebível, os ministros da economia e da cultura da Finlândia gastaram cerva de meio milhão de euros (cerca de R$ 1,250,000) promovendo suas bandas de metal no exterior.

Em dezembro, o Sr. Monroe, que recebeu o equivalente a 30 mil euros, foi convidado a comparecer ao baile de gala anual da então-presidente Tarja Halonen em seu castelo. Ele vestiu uma camisa de cetim violeta que destoava no meio do mar de smokings e trocou dicas de exercícios com os ministros finlandeses. "É ótimo ter esse tipo de respeito por parte do sistema", ele diz. "Geralmente, eu me rebelaria contra ele."

publicidade

O Brasil vai poder assistir à sempre eletrizante performance de Monroe no próximo dia 25 de maio, a partir das 23 horas, no Inferno Club. Os ingressos já estão à venda pela internet no endereço http://darkdimensions.webstorelw.com.br e na Galeria do Rock (Lady Snake e Rockland). Os ingressos custam a partir de R$ 80,00 (1° lote antecipado).

publicidade

publicidade




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Michael Monroe: Axl Rose é um verdadeiro roqueiroMichael Monroe
"Axl Rose é um verdadeiro roqueiro"

Def Leppard: Joe Elliot não gosta de ser comparado a Motley Crue e PoisonDef Leppard
Joe Elliot não gosta de ser comparado a Motley Crue e Poison


Metromix: a lista dos vocalistas mais irritantes do rockMetromix
A lista dos vocalistas mais irritantes do rock

Heavy Metal: celebridades que curtem ou já curtiramHeavy Metal
Celebridades que curtem ou já curtiram


Sobre Nacho Belgrande

Nacho Belgrande foi desde 2004 um dos colaboradores mais lidos do Whiplash.Net. Faleceu no dia 2 de novembro de 2016, vítima de um infarte fulminante. Era extremamente reservado e poucos o conheciam pessoalmente. Estes poucos invariavelmente comentam o quanto era uma pessoa encantadora, ao contrário da persona irascível que encarnou na Internet para irritar tantos mas divertir tantos mais. Por este motivo muitos nunca acreditarão em sua morte. Ele ficaria feliz em saber que até sua morte foi motivo de discórdia e teorias conspiratórias. Mandou bem até o final, Nacho! Valeu! :-)

Mais matérias de Nacho Belgrande no Whiplash.Net.

WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin