Nikki Sixx: gostaria que o Kiss gravasse Shout At The Devil

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Nacho Belgrande, Fonte: Playa Del Nacho
Enviar Correções  

O site ULTIMATE CLASSIC ROCK entrevistou recentemente o baixista-fundador do MÖTLEY CRÜE, NIKKI SIXX, e dentre a obviamente infinita gama de assuntos que podem ser abordados com o músico, selecionamos alguns trechos para vosso deleite. Confiram:

[...] Fale-nos um pouco sobre o novo single do Mötley Crüe, Sex…
Sabe com o que eu fiquei feliz de verdade? Escrevemos a música, e a gravamos à moda antiga. Apenas entramos numa sala, mandamos ver, fizemos alguns dos dubs, nos divertimos com uns sintetizadores, com um som bom pra deixar o lance mais encorpado. Vince gravou os vocais dele e nós a mixamos bem rápido, e tínhamos uma escolha, então decidimos ‘Não vamos enfiar isso na rádio, à moda antiga… vamos deixar que as pessoas descubram a música do modo que elas nos descobriram quando éramos garotos, a maneira pela qual elas descobrem as bandas mesmo hoje em dia. ’ Você ouve falar dela, alguém fala dela, alguém a toca pra você, manda por e-mail pra você, então isso foi muito empolgante. As estações queriam tocá-la, mas não havia plano de divulgação de nossa parte, e daí o público, em sua maioria, estava ouvindo-a pela primeira vez na noite do show. As pessoas diziam, ‘Cara, quando vocês estiveram em Chicago, vocês venderam 10 mil cópias, e daí vocês estão em Detroit e já venderam 9 mil cópias da música’, porque as pessoas estão ouvindo-a ao vivo e pensando, ‘Wow, que legal, nova do Crüe, como é que eu nunca ouvi essa?’

publicidade

Você e Tommy Lee em particular são muito ativos no Twitter. Você gosta daquilo tanto quanto parece gostar e há algo que você tenha postado do qual se arrependeu depois?
Claro. Sabe, eu já fiz umas cagadas. Pelo fato de eu ser um artista fazendo isso, pelo fato de ser um ser humano fazendo isso, não é um assistente do empresário, ou a gravadora tweetando pra você. Você vai falar merda que vai fazer voar pena ou você vai dizer coisas que são muito pessoais e com as quais as pessoas conseguem se conectar. É disso que gosto no Twitter, é por isso que abracei o lance. No começo, quando o Twitter apareceu, eu pensei, ‘Eu não sei se quero ser tão aberto’, mas a medida que meu programa de rádio [Sixx Sense] tornou-se uma parte tão grande da minha vida, eu fiquei mais disposto a ser cada vez mais vulnerável e simplesmente abrir minha vida no rádio. O Twitter não era tão assustador pra mim. Eu pensei, ‘eu não sei se quero que as pessoas saibam que cor de meias eu estou usando hoje’, e no fim das contas, se algo acontecer comigo, em que isso afeta a minha vida? E o que eu acabei descobrindo é que isso tem a ver com a vida de todo mundo porque estamos meio que fazendo isso ao mesmo tempo, em tempo real.
Uma das coisas que foram bem interessantes pra mim foi quando [o frontman do MEGADETH] Dave [Mustaine] estava dizendo asneiras sobre os EUA estarem virando uma nação nazista. Veja bem, eu peguei o telefone e disse, ‘Esse cara é um puta dum cuzão’ e ele é, você não diz algo assim sobre seu próprio país. Mas eu disse isso e muita gente veio com aquela de ‘ hey, cara, todo mundo tem direito a uma opinião e Nikki, você está errado’, e ‘aquele cara deveria ser expulso do país’, e outras pessoas dizendo ‘ele não deveria ser deportado, ele tem direitos’, e a coisa se prolongou demais e eu não levei nada pro lado pessoal. O que eu fiz foi pegar e dizer, ‘Wow! Isso é ótimo! É como uma conversa com o mundo’, e eu pude ter minha opinião e aquele cara pode ter a opinião dele, seja lá o que ele quiser pensar sobre o nosso país. Eu não penso isso sobre nosso país, mas eu tenho opiniões sólidas sobre outras coisas e as pessoas‘me interpelam por causa delas. é uma coisa legal, e você pode ser verdadeiro no Twitter e há vezes nas quais você pode dizer coisas do tipo ‘Adivinhem só?! Estamos vendendo ingressos!

publicidade

OK, uma última pergunta – rápida. Se o Mötley Crüe fosse gravar um cover do KISS, seria de qual música deles?
Cara, vou te dizer, eu adoro aquela música ‘War Machine’ do [álbum] ‘Creatures of the Night’. Isso seria bem foda.

Seria fudido mesmo. Agora, invertendo o cenário, qual música sua você gostaria de ver o Kiss gravando?
Uma à qual eles fariam jus? Hm. deixe-me pensar. Sabe, eu acho que eles podem fazer uma versão bem pica-grossa de ‘Shout At The Devil’.

publicidade

Eu gostaria de ver Gene cantando ‘Louder Than Hell’ um dia…
Isso! Eu consigo imaginar isso. Essa faz bem mais sentido.[...]




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Capas de disco: como seriam se fossem gifs animadosCapas de disco
Como seriam se fossem gifs animados

Metal contra o câncer: festival aceita cabelo como ingressoMetal contra o câncer
Festival aceita "cabelo" como ingresso


Sobre Nacho Belgrande

Nacho Belgrande foi desde 2004 um dos colaboradores mais lidos do Whiplash.Net. Faleceu no dia 2 de novembro de 2016, vítima de um infarte fulminante. Era extremamente reservado e poucos o conheciam pessoalmente. Estes poucos invariavelmente comentam o quanto era uma pessoa encantadora, ao contrário da persona irascível que encarnou na Internet para irritar tantos mas divertir tantos mais. Por este motivo muitos nunca acreditarão em sua morte. Ele ficaria feliz em saber que até sua morte foi motivo de discórdia e teorias conspiratórias. Mandou bem até o final, Nacho! Valeu! :-)

Mais matérias de Nacho Belgrande no Whiplash.Net.

WhiFin WhiFin WhiFin