Rudy Sarzo: "Devo minha carreira a Sharon Osbourne, Ozzy Osbourne e Randy Rhoads"

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Leonardo Daniel Tavares da Silva, Fonte: Guitar World, Tradução
Enviar Correções  


Amelia Waters da GuitarWorld.com conduziu em setembro de 2012 uma entrevista com o lendário baixista RUDY SARZO (OZZY OSBOURNE, QUIET RIOT, WHITESNAKE, DIO, ANIMETAL USA e listado como membro da versão de GEOFF TATE para o QUEENSRYCHE). Uma parte da conversa segue abaixo.

GuitarWorld.com: Você era um bom amigo de RANDY RHOADS (ex-guitarrista de OZZY OSBOURNE/QUIET RIOT guitarist), que morreu em 1982. Você ainda o vê como uma influência hoje - e você ainda pensa sobre ele?

RS: Eu penso nele o suficiente para ter que sentar e escrever um livro para responder à questão que mais sou perguntado mundo afora: Como era tocar com Randy Rhoads? Ele ainda é um músico influente, até mesmo hoje, 30 anos depois de seu falecimento. O que eu afirmo é, em qualquer guitarrista que tenha vindo depois de Randy Rhoads, eu sempre vejo algum tipo de influência na performance, mesmo no estilo de compor. Toda vez que eu recebo um email, ou uma mensagem no Facebook ou o que quer que seja, de garotos, jovens guitarristas, de 10, 14 anos, eles dizem: "Cara, eu descobri o Randy Rhoads. Ele é o meu guitarrista favorito". Isso realmente me toca por que é muito bom ouvir uma nova geração dando a Randy o crédito que ele merece por ser a fonte onde a maioria dos guitarristas bebem. Ele influenciou gerações e ainda o faz. Então, se eu penso em Randy todos os dias? Claro que sim. Nós todos. Todos nós que chegamos a conhecê-lo e a tocar com ele. Nós temos isso em comum. Nós nunca perderemos essa cola, essa malha, nossa admiração por Randy como músico e como amigo.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

GuitarWorld.com: Há muito tempo atrás você teve algum desentendimento com OZZY e algumas outras pessoas. Está tudo no passado agora?

RS: Sim, sim. Coisas ruins acontecem. Se você olhar no geral, você vai olhar mais pra coisas que temos em comum do que o contrário. No fim do dia, isso é o que predomina. Na verdade, eu vou participar de um monte de entrevistas pro OZZY e pra SHARON devido ao recente lançamento do DVD "Speak Of The Devil". Tudo está realmente maravilhoso entre os Osbournes e eu, que é como tem que ser. Por que se você me perguntar qual a banda mais significante na minha carreira, eu tenho que dizer que foi o do OZZY OSBOURNE. Eles me deram uma chance, (eu, um completo desconhecido), baseados apenas na recomendação de Randy. Se não fosse por eles, nós provavelmente não estaríamos tendo esta conversa. Eu devo minha carreira a Sharon, OZZY e RANDY RHOADS.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Freddie Mercury: 18 fotos espontâneas ao lado do namorado Jim HuttonFreddie Mercury
18 fotos espontâneas ao lado do namorado Jim Hutton

Metal: Gibson.com enumera 50 melhores músicas do gêneroMetal
Gibson.com enumera 50 melhores músicas do gênero


Sobre Leonardo Daniel Tavares da Silva

Daniel Tavares nasceu quando as melhores bandas estavam sobre a Terra (os anos 70), não sabe tocar nenhum instrumento (com exceção de batucar os dedos na mesa do computador ou os pés no chão) e nem sabe que a próxima nota depois do Dó é o Ré, mas é consumidor voraz de música desde quando o cão era menino. Quando adolescente, voltava a pé da escola, economizando o dinheiro para comprar fitas e gravar nelas os seus discos favoritos de metal. Aprendeu a falar inglês pra saber o que o Axl Rose dizia quando sua banda era boa. Gosta de falar dos discos que escuta e procura em seus textos apoiar a cena musical de Fortaleza, cidade onde mora. É apaixonado pela Sílvia Amora (com quem casou após levar fora dela por 13 anos) e pai do João Daniel, de 1 ano (que gosta de dormir ouvindo Iron Maiden).

Mais matérias de Leonardo Daniel Tavares da Silva no Whiplash.Net.

Goo336 Cli336