Mustaine: "uma coisa é ver e ouvir o Megadeth, outra é senti-lo"

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Leonardo Daniel Tavares da Silva, Fonte: Patch.com, Tradução
Enviar correções  |  Comentários  | 

Matéria de 30/11/12. Quer matérias recentes sobre Rock e Heavy Metal?

Brian Aberback da Patch.com recentemente conduziu uma entrevista com o frontman do MEGADETH, Dave Mustaine. Alguns trechos da conversa você confere abaixo.

3833 acessosMegadeth: Dave Mustaine conta qual o seu riff favorito5000 acessosZakk Wylde: foto do arsenal de guitarras do músico

Patch.com: Como estava o humor da banda quando vocês entraram no estúdio para gravar "Countdown To Extinction" 20 anos atrás?

Mustaine: Nós estávamos realmente excitados sobre o que estava acontecendo naquela hora. A indústria da música estava muito confusa com o sucesso do NIRVANA e todas as bandas grunge. A única esperança real do metal era o que nós estávamos chamando de poseur metal, como DEF LEPPARD. Nós estávamos por nossa conta e tomamos uma decisão: Iríamos escutar os selos, que queriamque fizéssemos um álbum alternativo, ou seguir o caminho do DEF LEPPARD . Nós não queríamos fazer nem uma coisa nem outra, o que não era quem nós éramos. A única opção que tínhamos era de seguir os nossos corações e fazer o que achávamos que era certo, o que foi uma experiência para nós, um disco de metal melódico, embora não comercial.

Patch.com: É o show mais elaborado ou de volta ao básico?

Mustaine: Nós adicionamos produção de vídeo para o nosso show. Nós tentamos algum pyro, que é legal, mas eu acho que as bombas de efeito moral são uma espécie de passé. Então, eu tenho um diretor de vídeo fabulosamente talentoso, Charles Terrell, ele trabalhou com Trent Reznor e Bruce Springsteen, para dar uma idéia de seu calibre, e ele fez suas próprias interpretações das canções. Não havia um vídeo onde eu tinha que ir de volta e dizer: "Eu preciso que você mude alguma coisa." Ele conseguiu. Fazer algo como isso sempre foi uma questão de acessibilidade e eu finalmente disse: "Eu não me importo com o que aconteça, eu sou bem sucedido, eu tive uma grande corrida. Se formos pro buraco e eu tenho que usar minhas economias para mudar a banda de uma banda normal com um pano de fundo para com produção realmente inacreditável, eu estou nessa para isso. " Uma coisa é ver o MEGADETH e uma coisa é ouvi-lo, mas outra coisa é sentir.

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Mais comentários na Fanpage do site, no link abaixo:

Post de 30 de novembro de 2012

MegadethMegadeth
Dave Mustaine conta qual o seu riff favorito

3145 acessosHeavy Metal: os 10 melhores riffs dos anos noventa535 acessosMarty Friedman: ouça "Miracle", single do novo álbum solo0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Megadeth"

MegatallicaMegatallica
Genial versão de "Welcome My Darkest Hour"

ÍconesÍcones
Gigwise elege os 14 mais marcantes mascotes de bandas

MegadethMegadeth
Mustaine não odeia nada e ninguém, exceto essas três coisas

0 acessosTodas as matérias da seção Notícias0 acessosTodas as matérias sobre "Megadeth"

Zakk WyldeZakk Wylde
Foto do arsenal de guitarras do músico

MotorheadMotorhead
Destaques do funeral de Lemmy Kilmister

Iron MaidenIron Maiden
Pastor evangélico tem 172 tatuagens da banda

5000 acessosBlack Sabbath: O acidente que tirou as pontas dos dedos de Iommi5000 acessosAngra: A carta aberta de Edu Falaschi sobre a sua saída5000 acessosComo formar uma banda de Hard Rock em 69 lições5000 acessosBlack Sabbath: todos os instrumentos que Tony Iommi tocou nos discos5000 acessosLars Ulrich: O motivo pelo qual o Big Four tocou "Am I Evil"5000 acessosAC/DC - Perguntas e Respostas

Sobre Leonardo Daniel Tavares da Silva

Daniel Tavares nasceu quando as melhores bandas estavam sobre a Terra (os anos 70), não sabe tocar nenhum instrumento (com exceção de batucar os dedos na mesa do computador ou os pés no chão) e nem sabe que a próxima nota depois do Dó é o Ré, mas é consumidor voraz de música desde quando o cão era menino. Quando adolescente, voltava a pé da escola, economizando o dinheiro para comprar fitas e gravar nelas os seus discos favoritos de metal. Aprendeu a falar inglês pra saber o que o Axl Rose dizia quando sua banda era boa. Gosta de falar dos discos que escuta e procura em seus textos apoiar a cena musical de Fortaleza, cidade onde mora. É apaixonado pela Sílvia Amora (com quem casou após levar fora dela por 13 anos) e pai do João Daniel, de 1 ano (que gosta de dormir ouvindo Iron Maiden).

Mais matérias de Leonardo Daniel Tavares da Silva no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online