Floyd: Bem vindo à Máquina! A propósito, qual de vocês é o Pink?

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Doctor Robert
Enviar correções  |  Comentários  | 

Matéria de 13/01/13. Quer matérias recentes sobre Rock e Heavy Metal?

Quando falamos sobre o álbum “Wish You Were Here” do Pink Floyd, normalmente as primeiras idéias e sons que se formam em nossas cabeças nos remetem às faixas mais conhecidas do registro, “Shine On You Crazy Diamond” e “Wish You Were Here”, além de suas referências a Syd Barrett. Muita gente acaba se esquecendo das duas outras músicas que compõem o trabalho e suas críticas extremamente ácidas à indústria musical: “Welcome To The Machine” e “Have a Cigar”.

922 acessosRoger Waters: organização judaica acusa músico de ser antissemita5000 acessosMTV: experts indicam as maiores bandas de Heavy Metal

As duas canções citadas demonstram como os membros do Floyd (especialmente o autor das duas músicas, Roger Waters) encontravam-se desiludidos e inconformados com as manipulações das gravadoras e seus executivos sobre os músicos. Grande parte desta irritação se dava com a pressão que sofreram para gravar o sucessor de “Dark Side Of The Moon”, que todos sabem, catapultou o quarteto ao estrelato. Como curiosidade, embora na época a banda tivesse acabado de trocar de gravadora, saindo da EMI (para onde voltariam muito tempo depois) e assinando com a Columbia/CBS (anos depois, incorporada à Sony Music), em território britânico permaneciam na mesma Harvest (subsidiária da EMI), contra quem sua ira era disparada.

WELCOME TO THE MACHINE

Em “Welcome To The Machine”, podemos ver Waters e Richard Wright explorando pesadamente seus teclados e sintetizadores, além de vários truques com as fitas de gravações, criando um clima bem denso para o tema, que trata abertamente da desilusão pessoal dos músicos em relação ao mercado musical.

A letra da canção, em primeira pessoa do plural, mostra esta indústria, a Máquina, se dirigindo a um jovem músico, apresentando momentos de sedução do artista, com suas ideias de rebeldia e sucesso (“Você comprou uma guitarra para punir sua mãe”, “Você sonhou com uma grande estrela”, “Ele adorava andar em seu Jaguar”), ao mesmo tempo em que mostra as garras e a dominação que exercem sobre sua criatividade (“O que você sonhou? Tudo bem, nós dissemos com o que devia sonhar”).

De certa forma, esta música hipoteticamente nos remete a Syd Barrett e seu colapso mental, se levarmos em conta que este passou a ver o mundo ao seu redor como uma máquina que o engolia: não só a indústria musical, mas também os fãs e o grupo. Todos passaram a ditar o caminho que deveria trilhar para fazer sucesso, ficando sua liberdade e rebeldia inicial em segundo plano.

Para as performances ao vivo, foi encomendado ao desenhista e artista gráfico Gerald Scarfe a criação de um vídeo de animação para ser projetado no palco – e que depois acabou sendo veiculado como vídeo clipe. Este vídeo mostra uma espécie de robô que aparenta um cruzamento de um Triceratops com um besouro ou um tatu, perambulando por um cenário apocalíptico, tendo se tornado um clássico. Lembrando que esta foi apenas a primeira parceria de Scarfe com a banda, que se repetiria depois nas animações e ilustrações de “The Wall”. Graças ao sucesso destas colaborações, Scarfe foi convidado na década de 1980 a trabalhar para a Disney, onde se tornou um dos chefes do estúdio de animação.

HAVE A CIGAR

Já em “Have a Cigar”, Roger Waters faz uma compilação dos maiores clichês e chavões que costumavam ouvir dos executivos musicais. Lugares comuns como “a banda é simplesmente fantástica”, “é um grande começo”, “Isto poderá se transformar em um monstro se seguirmos em frente como um time” dividem espaço com verdadeiros incômodos como “você deve isso ao público” e especialmente “A propósito, qual de vocês é o Pink?”. Sim, o descaso para com o artista era tão grande que os engravatados sempre achavam que Pink Floyd era uma pessoa – homem, mulher, inglês, americano... que diferença fazia? O que importava era o quanto esse tal de Pink Floyd rendia aos seus cofres... Por sinal, a frase “We call it riding the gravy train” (algo como “nós chamamos isso de ‘montar na grana’”) é cantada até o último suspiro para enfatizar o fato de as gravadoras “torcerem” o artista até “pingar” o último centavo.

Conforme entrevista publicada pela Rolling Stone em dezembro de 2011 (com trechos publicados pelo Whiplash.net), Roger Waters pretendia cantar “Have a Cigar”, mas não o fez: “Eu tinha bastante capacidade para cantá-la e me deixei convencer do contrário”, disse Waters, que de certa forma culpou seus colegas por isso, em especial David Gilmour e Richard Wright: “Eu me lembro de terem feito de tudo para que eu não me sentisse a vontade. Minha lembrança é de David e Rick se esforçando para observar que eu não sabia cantar e era desafinado”.

Na verdade, Waters estava com a voz comprometida pelas várias tomadas realizadas para gravar “Shine On You Crazy Diamond”. David Gilmour também se recusou a cantar a música (“Não tinha nada contra ela, apenas achava que era fora de meu alcance vocal”). “Have a Cigar”, então, acabou sendo cantada pelo convidado Roy Harper, cantor de folk rock inglês (aquele mesmo homenageado pelo Led Zeppelin em “Hats Off to (Roy) Harper”).

Harper estava trabalhando em seu álbum “HQ” no Studio 2 em Abbey Road ao mesmo tempo em que o Pink Floyd ocupava o Studio 3. “Roy Harper estava gravando seu álbum em outro estúdio da EMI, e ele é nosso amigo. Pensamos que ele podia trabalhar nela”, disse Waters. E o resultado ficou sensacional, com Harper soltando sua voz ao máximo, conferindo uma dramatização da letra de forma impressionante. Segundo David Gilmour, todos adoraram a versão de Harper, exceto Waters. Embora melindrado, ele acabou convencido pela maioria e a gravação foi aprovada para o disco.

“Have a Cigar” é uma das duas únicas canções da banda cantadas por alguém que não fosse membro permanente da banda (a outra é “The Great Gig in the Sky”). A canção foi tocada nas turnês de 1975 e 1977 do Pink Floyd. Nas performances ao vivo, foi Roger Waters quem cantou a música e David Gilmour fazia os backing vocals. Harper chegou a cantar a música com a banda em uma ocasião, durante a apresentação do grupo no Festival Knebworth de 1975. Trinta e seis anos depois, com o lançamento de “Wish You Were Here – Immersion Box Set”, podemos conferir uma versão da música no disco bônus com Waters e Gilmour assumindo os vocais.

A grande prova do pensamento do grupo sobre os executivos expressado por estas duas canções está em uma das possíveis interpretações da imagem na contracapa do álbum: a figura de um homem de terno no deserto, sem corpo ou alma – exatamente como o Floyd enxergava a gravadora. Outros, porém, mencionam que como a temática do álbum é a solidão e o isolamento, esta imagem seria uma variação do tema.

De qualquer forma, “Wish You Were Here” fez sucesso e sua faixa-título se tornou uma das músicas mais conhecidas da banda, mas o álbum não repetiu em termos de vendas o que seu antecessor “Dark Side Of The Moon” fez, para tristeza dos executivos... Independente das cifras, todos concordam que o Pink Floyd havia perpetrado ali mais um trabalho digno de ser chamado de clássico – aliás ambos disputam junto a “The Wall” o posto de álbum favorito do grupo entre os fãs. Qual é o seu?

As letras e suas traduções:

Welcome To The Machine

Welcome my son, welcome to the machine.
Where have you been?
It's alright we know where you've been.
You've been in the pipeline, filling in time,
Provided with toys and “Scouting For Boys”.
You bought a guitar to punish your ma,
And you didn't like school,
and you know you're nobody's fool,
So welcome to the machine.

Welcome my son, welcome to the machine.
What did you dream?
It's alright we told you what to dream.
You dreamed of a big star,
He played a mean guitar,
He always ate in the Steak Bar.
He loved to drive in his Jaguar.
So welcome to the Machine.

Bem-vindo À Máquina

Bem-vindo meu filho, bem-vindo à máquina.
Onde você esteve?
Tudo bem, nós sabemos onde esteve.
Você esteve no encanamento, passando o tempo,
Munido de brinquedos e “Scouting For Boys” (*).
Comprou uma guitarra para castigar a sua mãe,
Não gostava de ir à escola,
E você sabe que não é bobo de ninguém,
Por isso, bem-vindo à máquina.

Bem-vindo meu filho bem-vindo à máquina.
O que você sonhou?
Tudo bem, nós dissemos com o que devia sonhar.
Você sonhou com uma grande estrela,
Ele tocava uma guitarra sacana,
Ele comia sempre no Steak Bar (**).
Ele adorava dirigir o seu Jaguar.
Por isso, bem-vindo à máquina.

(*) “Scouting For Boys” (em português, “Escotismo para Garotos”) é um livro de Robert Baden-Powell, escrito em 1908.
(**) “Steak Bar” – restaurante especializado em carne.

Have A Cigar

Come in here dear boy have a cigar
You're gonna go far,
You're gonna fly high
You're never gonna die,
You're gonna make it if you try
They're gonna love you

Well I've always had a deep respect
And I mean that most sincerely
The band is just fantastic
That is really what I think
Oh, and by the way, which one's pink?

And did we tell you the name of the game, boy?
We call it "Riding the gravy train"

We're just knocked out,
We heard about the sell out
You've gotta get an album out
You owe it to the people
We're so happy we can hardly count

Ev'ry body else is just green
Have you seen the charts?
It's a hell of a start
It could be made into a monster
If we all pull together as a team

And did we tell you the name of the game, boy?
We call it "Riding the gravy train"

Pegue um Charuto

Entre aqui garoto, pegue um charuto
Você vai longe
Você vai voar alto
Você nunca morrerá
Você vai chegar ao topo se tentar
Eles vão amá-lo

Bem, eu sempre tive um profundo respeito,
E estou sendo muito sincero
A banda é simplesmente fantástica
Isto é o que eu realmente acho
A propósito, qual de vocês é o Pink?

E nós lhe dissermos o nome do jogo, garoto?
Nós chamamos isso de “montar na grana”

Nós fomos nocauteados
Ouvimos sobre as vendas esgotadas
Você vai ter de lançar um álbum
Você deve isso ao público
Estamos tão felizes que mal podemos contar

Todo mundo ainda está verde
Você viu as paradas?
É um baita começo,
Isto poderá se transformar em um monstro
Se nos unirmos como um time

E nós lhe dissermos o nome do jogo, garoto?
Nós chamamos isso de “montar na grana”

Fontes:

Blu-ray “The Story of Wish You Were Here” (ST2 Music)
Wikipédia: http://www.wikipedia.org/
Whiplash: https://whiplash.net/
Song Facts: http://www.songfacts.com/

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Mais comentários na Fanpage do site, no link abaixo:

Post de 14 de janeiro de 2013

David GilmourDavid Gilmour
Trecho inédito do show histórico em Pompeia

922 acessosRoger Waters: organização judaica acusa músico de ser antissemita2690 acessosPink Floyd: Idosos reagem a músicas da banda114 acessosDoom Side of the Moon: versões para "Time" e "Money"0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Pink Floyd"

Pink FloydPink Floyd
Revelado vídeo dos bastidores de reencontro

Pink FloydPink Floyd
Tudo sobre o clássico "Another Brick in the Wall"

Pink FloydPink Floyd
"O Rock prestou um desserviço à música"

0 acessosTodas as matérias da seção Notícias0 acessosTodas as matérias sobre "Pink Floyd"

Melhores do metalMelhores do metal
Experts da MTV elegem Sabbath, Judas e Metallica

Heavy MetalHeavy Metal
Os dez melhores álbuns lançados no ano de 1990

Guns N RosesGuns N' Roses
Axl Rose expulsa pessoa do show em Curitiba

5000 acessosMetallica: James Hetfield imitando Dave Mustaine na TV5000 acessosCinema: o melhor e o pior dos rockstars em filmes5000 acessosSepultura: Derrick Green não era o cara certo, diz Max Cavalera5000 acessosMacarrão Black Metal: alimento de todo headbanger from hell5000 acessosRegis Tadeu: Los Hermanos fez um tremendo mal ao rock brasileiro5000 acessosMosh Pits: você sabe como eles começaram?

Sobre Doctor Robert

Conheceu o rock and roll ao ouvir pela primeira vez Bohemian Rhapsody, lá pelos idos de 1981/82, quando ainda pegava os discos de suas irmãs para ouvir escondido em uma vitrolinha monofônica azul. Quando o Kiss veio ao Brasil em 1983, queria ser Gene Simmons e, algum depois, ao ver o clipe de Jump na TV, queria ser Eddie Van Halen. Hoje é apenas um bom fã de rock, que ouve qualquer coisa que se encaixe entre Beatles e Sepultura, ama sua esposa e juntos têm um cãozinho chamado Bono.

Mais matérias de Doctor Robert no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online