Def Leppard: baterista ajuda pessoas com estresse pós-traumático

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Julia Moioli, Fonte: Blabbermouth, Tradução
Enviar correções  |  Comentários  | 

Matéria de 11/01/13. Quer matérias recentes sobre Rock e Heavy Metal?


754 acessosGanhos: veja quanto algumas bandas faturaram com shows recentes5000 acessosBandas Iniciantes: 17 maneiras de assassinar sua carreira musical

Como baterista da banda inglesa de hard rock DEF LEPPARD, RICK ALLEN sabe bem como é estar no topo do mundo musical. Após um acidente automotivo quase fatal em 1984, ele também pôde saber, por experiência própria, como é perder completamente um braço esquerdo por causa de uma amputação. Fora, é claro, o Transtorno de Estresse Pós-Traumático (TEPS), que quase destruiu sua vontade de viver. "Eu não sabia como seria minha vida após aquele dia terrível", diz RICK. "Foi o período mais sombrio da minha vida". E, mesmo atualmente, eu ainda me considero um trabalho em progresso".

RICK começou a aperfeiçoar seu uso de uma bateria eletrônica, para que ele pudesse tocar com apenas um braço. E, de fato, ele atingiu a perfeição: o álbum "Hysteria", do DEF LEPPARD, vendeu mais de 20 milhões de cópias pelo mundo.

Mas Rick nunca esqueceu o que era sofrer. Isso nunca ficou mais evidente do que em 2006, quando a USO (United Service Organizations)o convidou para ajudar veteranos feridos no Walter Reed Medical Army Center. "Fiquei comovido com a coragem, o sofrimento e a extremamente desafiadora jornada que muitos deles teriam pela frente", recorda Rick. "Eu passei muito tempo falando com o máximo de guerreiros que consegui - ouvindo-os, aprendendo e dividindo minha própria experiência de perder um braço e ter tido de reconstruir minha vida. Rick saiu do Walter Reed Medical Army Center com um grande desejo de fazer mais pelos feridos dos Estados Unidos. Ele agiu convidando muitos guerreiros do Wounded Warrior Project (WWP) para assistir a um show do DEF LEPPARD.

Norbie Lara, aluna do WWP, se lembra do momento com carinho: "Como eu mesma tive um braço amputado, fui encorajada pelo que Rick conquistou", diz Norbie. "Ele continua convidando veteranos para seus shows e mantém-se envolvido com o WWP do jeito que for possível, visitando os guerreiros em hospitais como o Bethesda, o Walter Reed e o Brooke Army Medical Center."

RICK e sua esposa Lauren também participam do Projeto Odisséia, um retiro de reabilitação ao ar livre, que ajuda os guerreiros a superar o estresse de combate, através de experiências compartilhadas com colegas e da conexão com a natureza. Desde 2009, o casal também têm realizado o "Encontro de Saúde Mental dos Guerreiros" nos bastidores dos shows do DEF LEPPARD pelo país. Esses encontros proporcionam eventos comunitários para os veteranos saírem e se divertirem uns com os outros.

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

754 acessosGanhos: veja quanto algumas bandas faturaram com shows recentes2211 acessosDef Leppard: edição deluxe celebra 30 anos do álbum "Hysteria"1018 acessosDef Leppard: nunca mais lançarão álbuns como o "High and Dry"487 acessosWho e Def Leppard em POA: venda para público geral inicia amanhã2713 acessosThe Who: venda de ingressos para show em POA começa nesta segunda0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Def Leppard"

VH1VH1
As 100 melhores músicas de hard rock

Def LeppardDef Leppard
Steven Adler e Matt Sorum deveriam estar na reunião, diz Joe Elliott

Def LeppardDef Leppard
Phil Collen comenta audição para o Iron Maiden

0 acessosTodas as matérias da seção Notícias0 acessosTodas as matérias sobre "Def Leppard"

Bandas IniciantesBandas Iniciantes
17 maneiras de assassinar sua carreira musical

MetallicaMetallica
Sobre o que fala "For Whom The Bell Tolls"

SlipknotSlipknot
Pornografia inspirou primeiro álbum da banda

5000 acessosMetallica: Lars é um bom baterista? Mike Portnoy explica5000 acessosTwisted Sister: segundo Dee, "ser pobre e famoso é uma merda"5000 acessosBruce Dickinson: punks não sabem tocar e tem inveja do metal5000 acessosStratovarius: baixista animando São Paulo com o hit "Que Porra!"5000 acessosHomem de Ferro e Black Sabbath: uma mão lava a outra5000 acessosRoger Moreira: chamando Pitty de "imbecil" via rede social

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Mais comentários na Fanpage do site, no link abaixo:

Post de 12 de janeiro de 2013

Sobre Julia Moioli

Jovem paulistana estudante de relações públicas com alma de hard rocker. É muito, muito, muito fã de Guns N' Roses, Mötley Crüe, Skid Row e de inúmeras outras bandas do cenário hard rock oitentista. Além disso, é uma grande apreciadora de grunge, punk, rock progressivo e de várias vertentes do metal, como heavy metal clássico, power, prog, thrash e neoclassical metal. Se pergunta por que não começou a colaborar com o Whiplash.Net mais cedo.

Mais matérias de Julia Moioli no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online