Metallica: negando comentários sobre uso de músicas em tortura

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Fernando Portelada, Fonte: Blabbermouth, Tradução
Enviar correções  |  Ver Acessos

O METALLICA negou ter pedido ao exército americano para parar de usar suas músicas como tortura psicológica aos prisioneiros de guerra.

Heavy Metal: os dez melhores álbuns lançados em 1984Metallica: Jason explica o baixo apagado de And Justice For All

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

O Navy SEAL que matou Osama Bin Laden, recentemente contou à revista Esquire sobre o ataque ao complexo do líder da Al Quaeda e o tiro que ceifou a vida do terrorista, assim como as consequências da guerra para o SEAL e sua família. O fuzileiro, chamado somente de "o atirador", também mencionou que ele usava músicas do METALLICA antes de interrogar os prisioneiros - até que a banda pediu que parassem.

O atirador explicou: "Assim que eu entrei na guerra do Iraque, nós estávamos usando música do METALLICA para amaciar as pessoas antes do interrogatório. A banda ficou sabendo disso e disse: 'Hey, por favor não use nossa música, porque não queremos promover a violência.' Nós pensamos: 'Cara, vocês têm um álbum chamado Kill 'em All' [Matem todos]."

Ele adiciona: "Nós paramos de usar as músicas, e então uma banda chamada DEMON HUNTER entrou em contato dizendo: 'Nós gostamos muito do que você faz.' Eles nos enviaram CDs e patches. Eu usei meu patch do DEMON HUNTER em todas as missões. Eu o usei quando matei Bin Laden."

O atirador insistiu que ele não tortura os prisioneiros, mas que as "perguntas repetitivas" e o "crescente medo" ficavam mais agressivos no decorrer do questionamento.

Em um novo pronunciamento, postado em seu site oficial, o METALLICA responde aos comentários do atirador na revista Esquire, dizendo: "Houve recentemente muita conversa sobre nós pedirmos ao exército para não usar nossa música para 'amaciar as pessoas antes do interrogatório.' Nós NUNCA comentamos nada com o exército sobre este assunto. Qualquer afirmação que foi feita sobre isto não está correta."

Em 2009, Lars Ulrich foi convidado no "Rachem Maddow Show" da MSNBC, e ele disse que não advoga ou condena o uso de música para torturar outros, e que há grupos muito mais extremos: "[...] Eu posso nomear 30 bandas norueguesas de death metal que fazem o METALLICA parecer Simon And Garfunkel."

O Frontman do grupo, James Hetfield, foi perguntado em um programa alemão, em 2008, sobre como ele se sentia de ter sua música usada para torturar prisioneiros na base americana de Guantanamo, em cuba. Ele respondeu: "parte de mim está orgulhosa por escolherem o METALLICA... e parte de mim está meio pra baixo sobre isso e que as pessoas podem nos ligar a algum ideal político por causa disso."




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção NotíciasTodas as matérias sobre "Metallica"


Metallica: 10 canções que revolucionaram o heavy metalMetallica
10 canções que revolucionaram o heavy metal

Metallica: sou grande fã do Maiden, sempre serei, diz UlrichMetallica
"sou grande fã do Maiden, sempre serei", diz Ulrich


Heavy Metal: os dez melhores álbuns lançados em 1984Heavy Metal
Os dez melhores álbuns lançados em 1984

Metallica: Jason explica o baixo apagado de And Justice For AllMetallica
Jason explica o baixo apagado de And Justice For All


Sobre Fernando Portelada

25 anos, Blogger, Podcaster, Gamer, Leitor de Quadrinhos, Ouvinte de Rock, Jornalista, e chato acima de tudo. Ouviu Imaginations From The Other Side do Blind Guardian aos 13 anos, emprestado por um amigo de escola. Ainda é um de seus álbuns preferidos.

Mais matérias de Fernando Portelada no Whiplash.Net.

adGoo336