Guns N' Roses: Adler fala da crocodilagem que cercou sua demissão

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Nacho Belgrande, Fonte: Playa Del Nacho
Enviar Correções  

O texto abaixo é uma tradução de um trecho da autobiografia do baterista emérito do GUNS N’ ROSES, STEVEN ADLER, onde ele relata como seus antigas colegas de banda tentaram, mediante um acordo conduzido de modo bastante duvidoso, isentar-se de toda e qualquer responsabilidade, pessoal e profissional, com o músico.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

"My Appetite For Destruction: Sex, Drugs And Guns N’ Roses", escrito por Adler com a colaboração de Lawrence J. Spagnola, ainda não tem edição em português.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

[...]

No dia seguinte à gravação de ‘Civil War’, Doug [Goldstein] me telefonou e pediu que eu fosse até seu escritório para assinar alguns papéis. Ele não deu nenhuma explicação por seu comportamento no dia anterior, e eu não tentei entrar numas de culpa. Eu apenas disse a ele que ainda estava muito doente. Houve um longo silêncio ao fone, e então Dougie me disse que o assunto era muito importante e que não demoraria muito. Ele me disse que tinha sido instruído pelos advogados do GNR para dizer que minha presença era absolutamente necessária. Apesar do que havia ocorrido, eu ainda queria acreditar que Doug se importava comigo, me protegia, e quando ele prometeu que eu entraria e sairia dali rapidamente, eu decidi ir. Eu me preocupava mais com a situação dele do que com a minha. Eu pude ouvir o nervosismo na voz de Doug e não queria estragar as coisas pra ele, então eu me arrumei e Cheryl [nota: então esposa do baterista] me levou de carro.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Quando eu entrei, Dougie e uma de nossas advogadas, uma mulher de meia-idade com aparência corporativa, tinham uma pilha de papéis pra eu ler.

Ler? Eu não conseguia nem enxergar. Eles me disseram que tudo que eu tinha que fazer era assinar ao fim de todas as páginas marcadas com clipes de papel coloridos. Eu perguntei do que se tratava. Dougie me disse, ‘Nada pra se preocupar’. No meu estado, eu não ia ler aquela merda toda, mas eu fiquei um pouco assustado e boquiaberto. Resumindo, eu achava que estava concordando em não cair na farra e não presepar em nenhuma atividade relacionada à banda pelas quatro semanas seguintes. Se eu pisasse na bola, eles me multariam em 2 mil dólares. Pensei, ‘Foda-se, sem problema. A banda nem tem nada marcado durante o próximo mês, e mesmo assim, o que são dois mil?’

Eu assinei tudo. Eu só queria sair dali, ir pra casa e me deitar.

Eu descobri depois que o que eu tinha de fato assinado era MINHA VIDA.

O que a papelada estabelecia na verdade era que eles me dariam 2 mil dólares por minha contribuição ao Guns N’ Roses. Todo o resto, meus royalties, minha parte da banda, meus direitos, já era! Claro, eu não sabia disso na hora. Eu tenho certeza que, com todos os papéis que eu ingenuamente assinei, eles achavam que tinham definido meu futuro. Eles tinham um contrato leonino, assinado contra mim.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Na manhã seguinte, eu recebo outra ligação de Doug. ‘Os caras não querem que você toque no próximo disco. Eles vão usar outra pessoa. ’

Eu ainda estava muito doente, e a essa altura eu acho que eu vi o que estava por vir.

‘Sim, seja o que for’. Eu apenas desliguei o telefone e comecei a chorar. Eu já estava farto, mas não conseguia evitar estar deprimido. Eu nem me incomodei em ligar para Slash. Do que adiantaria?

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Para aplacar a dor, eu meti o pé na jaca, fumando maconha, bebendo Jägermeister e engolindo todo tipo de pílula que eu achasse. Cheryl estava lá comigo, e ela nunca disse nada para me aborrecer. Ela estava ali do meu lado, mas eu não me importava e nem notava a presença dela. Eu apenas me tranquei no meu quarto.

[...]




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


AC/DC: Brian Johnson elogia o trabalho de Axl Rose como seu substitutoAC/DC
Brian Johnson elogia o trabalho de Axl Rose como seu substituto

Guns N' Roses: por que a turnê conjunta com Pearl Jam e U2 não aconteceuGuns N' Roses
Por que a turnê conjunta com Pearl Jam e U2 não aconteceu

Eddie Van Halen: Slash, Kirk Hammett e Tom Morello o homenageiam no Rock Hall of FameEddie Van Halen
Slash, Kirk Hammett e Tom Morello o homenageiam no Rock Hall of Fame

Lista: 11 bandas de rock e metal que nunca fizeram um álbum tão bom quanto o primeiroLista
11 bandas de rock e metal que nunca fizeram um álbum tão bom quanto o primeiro

Guns N' Roses: ex-empresário comenta os ajustes feitos nos discos ao vivoGuns N' Roses
Ex-empresário comenta os "ajustes" feitos nos discos ao vivo

AC/DC: por que a banda nunca considerou seguir com Axl Rose, segundo AngusAC/DC
Por que a banda nunca considerou seguir com Axl Rose, segundo Angus

Myles Kennedy: o que ele pensa de fãs que o criticam por cantar músicas do GunsMyles Kennedy
O que ele pensa de fãs que o criticam por cantar músicas do Guns

Slash: as vinte melhores músicas com guitarras de todos os temposSlash
As vinte melhores músicas com guitarras de todos os tempos

Iggor Cavalera: por que ele recusou convite para entrar no Guns N' RosesIggor Cavalera
Por que ele recusou convite para entrar no Guns N' Roses

Guns N' Roses: Axl faz apelo para que pessoas votem; pelo país e por um mundo melhorGuns N' Roses
Axl faz apelo para que pessoas votem; "pelo país e por um mundo melhor"


Guns N' Roses: canção foi confundida com uma ameaça de morteGuns N' Roses
Canção foi confundida com uma ameaça de morte

AC/DC: Max Cavalera acha Axl Rose bonzinho demais para a bandaAC/DC
Max Cavalera acha Axl Rose bonzinho demais para a banda


Nirvana: quem é o bebê da capa de Nevermind?Nirvana
Quem é o bebê da capa de Nevermind?

Bruce Dickinson: punks não sabem tocar e tem inveja do metalBruce Dickinson
Punks não sabem tocar e tem inveja do metal


Sobre Nacho Belgrande

Nacho Belgrande foi desde 2004 um dos colaboradores mais lidos do Whiplash.Net. Faleceu no dia 2 de novembro de 2016, vítima de um infarte fulminante. Era extremamente reservado e poucos o conheciam pessoalmente. Estes poucos invariavelmente comentam o quanto era uma pessoa encantadora, ao contrário da persona irascível que encarnou na Internet para irritar tantos mas divertir tantos mais. Por este motivo muitos nunca acreditarão em sua morte. Ele ficaria feliz em saber que até sua morte foi motivo de discórdia e teorias conspiratórias. Mandou bem até o final, Nacho! Valeu! :-)

Mais matérias de Nacho Belgrande no Whiplash.Net.

Goo336 Cli336 Goo336 Goo728 Cli336 Goo336