RECEBA NOVIDADES ROCK E METAL DO WHIPLASH.NET NO WHATSAPP

Matérias Mais Lidas

imagemRoger Waters se defende, mas David Gilmour fica do lado da esposa e confirma tudo

imagemEm 1974, Raul Seixas explicava detalhes dos significados por trás da letra de “Gita”

imagemA opinião de Humberto Gessinger sobre movimentos separatistas da região Sul do Brasil

imagemQuando Roberto Carlos foi alfinetado por Raul Seixas, mas o Rei gostou do que ouviu

imagemDavid Gilmour largou vício maléfico após ouvir erro em disco do Pink Floyd

imagemDave Mustaine diz que atual formação do Megadeth é mais bem-sucedida em anos

imagemPróximo do Angra contará com Fernanda Lira, Mayara Puertas, Karina Menascé e Angel Sberse

imagemComo Brian May acabou fazendo participação especial em disco dos Paralamas do Sucesso?

imagemCinco ícones do heavy metal que morreram de forma trágica

imagemRoger Waters ataca a Ucrânia e é ofendido por esposa de David Gilmour

imagemAs 5 bandas confirmadas no Summer Breeze Brasil que não tocarão em outras cidades

imagemNervosa anuncia que próximo disco de estúdio está gravado

imagemMick Taylor sobre Rolling Stones: "Não conseguia acreditar como eles soavam mal"

imagem"Patinho feio", Gene Simmons diz que não tem amigos

imagemO recado de Felipe Andreoli para fãs que esperam novo "Rebirth" ou "Temple of Shadows"


Def Leppard Motley Crue 2

Guns N' Roses: Adler fala da crocodilagem que cercou sua demissão

Por Nacho Belgrande
Fonte: Playa Del Nacho
Postado em 14 de fevereiro de 2014

O texto abaixo é uma tradução de um trecho da autobiografia do baterista emérito do GUNS N’ ROSES, STEVEN ADLER, onde ele relata como seus antigas colegas de banda tentaram, mediante um acordo conduzido de modo bastante duvidoso, isentar-se de toda e qualquer responsabilidade, pessoal e profissional, com o músico.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

"My Appetite For Destruction: Sex, Drugs And Guns N’ Roses", escrito por Adler com a colaboração de Lawrence J. Spagnola, ainda não tem edição em português.

[...]

No dia seguinte à gravação de ‘Civil War’, Doug [Goldstein] me telefonou e pediu que eu fosse até seu escritório para assinar alguns papéis. Ele não deu nenhuma explicação por seu comportamento no dia anterior, e eu não tentei entrar numas de culpa. Eu apenas disse a ele que ainda estava muito doente. Houve um longo silêncio ao fone, e então Dougie me disse que o assunto era muito importante e que não demoraria muito. Ele me disse que tinha sido instruído pelos advogados do GNR para dizer que minha presença era absolutamente necessária. Apesar do que havia ocorrido, eu ainda queria acreditar que Doug se importava comigo, me protegia, e quando ele prometeu que eu entraria e sairia dali rapidamente, eu decidi ir. Eu me preocupava mais com a situação dele do que com a minha. Eu pude ouvir o nervosismo na voz de Doug e não queria estragar as coisas pra ele, então eu me arrumei e Cheryl [nota: então esposa do baterista] me levou de carro.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Quando eu entrei, Dougie e uma de nossas advogadas, uma mulher de meia-idade com aparência corporativa, tinham uma pilha de papéis pra eu ler.

Ler? Eu não conseguia nem enxergar. Eles me disseram que tudo que eu tinha que fazer era assinar ao fim de todas as páginas marcadas com clipes de papel coloridos. Eu perguntei do que se tratava. Dougie me disse, ‘Nada pra se preocupar’. No meu estado, eu não ia ler aquela merda toda, mas eu fiquei um pouco assustado e boquiaberto. Resumindo, eu achava que estava concordando em não cair na farra e não presepar em nenhuma atividade relacionada à banda pelas quatro semanas seguintes. Se eu pisasse na bola, eles me multariam em 2 mil dólares. Pensei, ‘Foda-se, sem problema. A banda nem tem nada marcado durante o próximo mês, e mesmo assim, o que são dois mil?’

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Eu assinei tudo. Eu só queria sair dali, ir pra casa e me deitar.

Eu descobri depois que o que eu tinha de fato assinado era MINHA VIDA.

O que a papelada estabelecia na verdade era que eles me dariam 2 mil dólares por minha contribuição ao Guns N’ Roses. Todo o resto, meus royalties, minha parte da banda, meus direitos, já era! Claro, eu não sabia disso na hora. Eu tenho certeza que, com todos os papéis que eu ingenuamente assinei, eles achavam que tinham definido meu futuro. Eles tinham um contrato leonino, assinado contra mim.

Na manhã seguinte, eu recebo outra ligação de Doug. ‘Os caras não querem que você toque no próximo disco. Eles vão usar outra pessoa. ’

Eu ainda estava muito doente, e a essa altura eu acho que eu vi o que estava por vir.

‘Sim, seja o que for’. Eu apenas desliguei o telefone e comecei a chorar. Eu já estava farto, mas não conseguia evitar estar deprimido. Eu nem me incomodei em ligar para Slash. Do que adiantaria?

Para aplacar a dor, eu meti o pé na jaca, fumando maconha, bebendo Jägermeister e engolindo todo tipo de pílula que eu achasse. Cheryl estava lá comigo, e ela nunca disse nada para me aborrecer. Ela estava ali do meu lado, mas eu não me importava e nem notava a presença dela. Eu apenas me tranquei no meu quarto.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

[...]

Compartilhar no FacebookCompartilhar no WhatsAppCompartilhar no Twitter

Siga e receba novidades do Whiplash.Net:

Novidades por WhatsAppTelegramFacebookInstagramTwitterYouTubeGoogle NewsE-MailApps


Stamp


publicidadeAdemir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | André Silva Eleutério | Bruno Franca Passamani | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Euber Fagherazzi | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Henrique Haag Ribacki | José Patrick de Souza | Julian H. D. Rodrigues | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Sergio Luis Anaga | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva |
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp
Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Sobre Nacho Belgrande

Nacho Belgrande foi desde 2004 um dos colaboradores mais lidos do Whiplash.Net. Faleceu no dia 2 de novembro de 2016, vítima de um infarte fulminante. Era extremamente reservado e poucos o conheciam pessoalmente. Estes poucos invariavelmente comentam o quanto era uma pessoa encantadora, ao contrário da persona irascível que encarnou na Internet para irritar tantos mas divertir tantos mais. Por este motivo muitos nunca acreditarão em sua morte. Ele ficaria feliz em saber que até sua morte foi motivo de discórdia e teorias conspiratórias. Mandou bem até o final, Nacho! Valeu! :-)
Mais matérias de Nacho Belgrande.