Ira!: "Sabe faz, faz muito tempo, faz...", o retorno aos palcos

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Flávio Fogueral, Fonte: Notícias.Botucatu
Enviar correções  |  Ver Acessos

Uma discussão colocava fim a uma das bandas de maior influência do rock brasileiro na década de 1980 e 1990. Dessa maneira, o Ira! anunciava em 2007 o final de sua trajetória nos palcos. A desavença entre os integrantes Edgard Scandurra, André Jung, Ricardo Gaspa e o vocalista Marcos Valdão, o Nasi, escancarava o clima hostil que se desenhava nos bastidores.

Ira!: veja entrevista de Edgard Scandurra no Sofá 89 (vídeo)Freddie Mercury: 18 fotos espontâneas ao lado do namorado Jim Hutton

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Foi por causa do pagamento sobre o uso do direito da imagem da banda que a briga era evidente. O empresário da banda Artur Valadão chegou a pedir interdição judicial de Nasi . O grupo estava em turnê do álbum "Invisível DJ". Nasi não subiria mais aos palcos e os membros restantes, tentaram levar adiante os shows. Mudança até no nome da banda, que se referia apenas como Trio. A receptividade do público foi adversa e forçou o fim definitivo dos músicos 'irados'.

Após um hiato de sete anos, projetos e carreiras em separado, a reconciliação acontece. No final de 2013, Nasi é convidado pelo guitarrista Edgard Scandurra para uma apresentação beneficente. Naquele momento as desavenças e mágoas pareciam ter sido deixadas de lado. Semanas depois os dois membros originais anunciam o retorno do Ira! (mas sem Gaspa e André Jung), e com os músicos Johnny Boy- que acompanhou a banda em algumas turnês e álbuns lançados-, Daniel Scandurra (nos baixos) e Felipe Maia (na bateria).

A terceira apresentação deste retorno, que leva o nome de "Núcleo Base" foi em Bauru, na madrugada de 1º de junho, durante a Virada Cultural Paulista. O público presente no Parque Vitória Régia levantou ao som de Longe de Tudo. Na sequência, clássicos como "Gritos na Multidão", Envelheço na Cidade" e "Eu Quero Sempre Mais" dividiram o setlist com músicas que fizeram sucesso antes do final do grupo como "No Universo dos Seus Olhos" e "Flerte Fatal".

Edgard Scandurra e Nasi se sentiam à vontade no palco. Os músicos de apoio deram um diferencial ao show impondo mais peso e ritmo a cada música. Esse foi o tom da apresentação do novo Ira! ao público após o fim traumático.

Em entrevista, o guitarrista Edgard Scandurra frisa que o período de separação proporcionou amadurecimento tanto a ele quanto a Nasi. Os projetos paralelos também vão contribuir em influência para um novo trabalho que tem sido planejado para o próximo ano.

Esses sete anos separados mudaram a postura da banda?
Edgard Scandurra- Hoje em dia a gente vem mais maduros justamente por essa separação de sete anos em que cada um cuidou de suas próprias carreiras com trabalhos positivos e pontuais, que foram incríveis (Scandurra participou de turnês com o ex-titã Arnaldo Antunes e Nasi lançou três discos solo). Isso libera um oxigênio suficiente para se pensar no retorno da banda. A gente percebia a saudade do público que tinha uma carência de rock and roll, além da nossa vontade de retornar e tocar nossas músicas e encontrar de novo as pessoas e esse foi nosso terceiro show.

A ideia sobre o retorno da banda já estava sendo pensada?
Edgard Scandurra- Na metade do ano passado o Nasi e eu fizemos as pazes e aí teve um show beneficente que produzi em que ele se apresentou como voluntário. A partir daí começamos a ter essa ideia, um embrião que resultou nessa nova formação e na turnê que estamos fazendo até setembro. Há um projeto maior de shows e talvez até um disco.

Futuramente os fãs podem esperar um novo trabalho...
Edgard Scandurra- ... estamos compondo.Já temos uma música que tocamos aqui em Bauru e ainda há outras que estão cruas, mas que a banda está aprimorando, ou seja, estão no 'laboratório'.

Tanto você quanto o Nasi mostraram carreiras solo consolidadas e com muitas parcerias. Até que ponto este retorno interfere no trabalho pessoal?
Edgard Scandurra- O Ira! tem uma procura muito grande de show e isso pode reduzir meus projetos solo. Mas não vamos parar. A banda sai pra estrada de quinta a domingo praticamente e temos os dias que restam para nossas parcerias. Estou produzindo um disco novo com a cantora Sílvia Tape, que tem um projeto independente em São Paulo. E tenho um material para lançar ano que vem. A gente não sabe como, porque o CD já era!

Durante o show você falou que estavam em extinção por ser uma banda de rock. Quais 'espécies em extinção' ainda tem ouvido?
Edgard Scandurra- Ouço The Jam, The Who e até do próprio Ira!. Há músicas que percebo uma certa ingenuidade, algo de uma época que hoje não existe mais. Mas reconheço que e um trabalho maravilhoso, vigoroso.




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção NotíciasTodas as matérias sobre "Ira!"


Ira!: veja entrevista de Edgard Scandurra no Sofá 89 (vídeo)

Rush e AC/DC: poucos sabem as verdadeiras formações originaisRush e AC/DC
Poucos sabem as verdadeiras formações originais

BRock: Os 10 melhores álbuns dos anos 80BRock
Os 10 melhores álbuns dos anos 80

Ira!: Edgard Scandurra comenta a polêmica Pobre PaulistaIra!
Edgard Scandurra comenta a polêmica "Pobre Paulista"


Freddie Mercury: 18 fotos espontâneas ao lado do namorado Jim HuttonFreddie Mercury
18 fotos espontâneas ao lado do namorado Jim Hutton

Ricardo Confessori: Iron Maiden, aposenta logo!Ricardo Confessori
"Iron Maiden, aposenta logo!"


Sobre Flávio Fogueral

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, entre em contato enviando sua descrição e link de uma foto.

adGoo336