Dr. Sin: Entrevista com o baterista Ivan Busic

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Paulo Pontes, Fonte: Paulo Pontes
Enviar correções  |  Comentários  | 

Matéria de 26/08/14. Quer matérias recentes sobre Rock e Heavy Metal?

Entre os dias 15 a 17 de agosto, aconteceu no Sesc Campinas o MPB – Metal Pesado Brasileiro, um evento realizado para mostrar a força do Rock/Metal nacional. Contando com grandes nomes do cenário,como, King of Bones, Andre Matos, Claustrofobia, Korzus e Dr. Sin. Coube a esta última a tarefa de encerrar o festival. o Dr. Sin é formado por Andria Busic (Baixo e Vocal), Ivan Busic (Bateria) e Eduardo Ardanuy (guitarra).

890 acessosToth e Busic: "Os Cavaleiros Do Zodíaco'' ganha versão metal5000 acessosRock And Roll: últimas fotos em vida de músicos famosos

Após o excelente show, a banda permaneceu no local para atender os fãs, que formaram uma grande fila e puderam tirar fotos e receber autógrafos dos ídolos. Logo depois, de forma extremamente solicita, o carismático e simpático baterista Ivan Busic me recebeu para uma entrevista, que você confere logo abaixo.

Fotógrafa: Ana Catarina
Fotógrafa: Ana Catarina

Paulo Pontes: Ivan, na sua opinião, qual é a importância de um evento como o MPB – Metal Pesado Brasileiro, que está acontecendo aqui no Sesc?

Ivan Busic: Eu acho maravilhoso, porque fortalece sempre o Rock. O rock é feito de boas jogadas eu acho que a pessoa que teve essa ideia, de colocar o rock em alta, é louvável. Geralmente você vê as pessoas investindo apenas naquilo que está muito forte na mídia e que geralmente é ruim, não quero dizer que o rock é superior a nada, ou que eu tenha preconceito a nada, mas por que não valorizar o Rock n’ Roll? Senão fica sempre a mesma coisa, apesar de que Sesc tem muita cultura e muita coisa envolvida, tributos, chorinho, jazz e etc., então para o Sesc eu tiro meu chapéu, eu sempre cito o Sesc como algo exemplar.

PP: Por conta das redes sociais existe uma certa “aproximação” das bandas com os fãs e vice-versa, como você vê esta relação na internet?

Ivan Busic: Então, em uma época onde as gravadoras não têm a força que tinham antigamente, é muito boa esta interatividade com os fãs, é claro que a gente não consegue falar com todo mundo e responder, as vezes abrimos o Facebook pessoal e abre 80 “janelinhas”, mas você não consegue responder todo mundo, dependendo se você viu a pergunta lá você responde. No caso, o Andria e o Edu nem entram na internet praticamente nunca, mas eu gosto, acho legal pra caramba, fico fuçando, gosto de ver as piadas, dando risada no Facebook, YouTube, acho muito legal. E é bom também, reflete muito as coisas da banda, do nosso trabalho, é como um espelho e é um termômetro.

PP: O Dr. Sin está gravando o novo álbum, em que fase do processo a banda se encontra?

Ivan Busic: A gente tinha feito praticamente todas as bases, vamos supor que tivéssemos 35%, mudamos nosso estúdio do centro (de São Paulo) pra Moema, nesse processo parou e agora voltou com tudo, estamos gravando de novo.

PP: Tem uma data de lançamento, você pode adiantar alguma coisa?

Ivan Busic: Cara, a gente tá louco para que o disco esteja pronto em setembro, tudo gravado e mixado.

PP: Todas as músicas foram compostas após o álbum “Animal”, ou tem algum som que não entrou no disco e estará no próximo trabalho?

Ivan Busic: Foram todas compostas após o “Animal”.

PP: Existe uma cobrança pessoal ou da banda, não digo pressão, pois pressão dá uma conotação de obrigação, que não é o caso, mas a banda se cobra para desenvolver um trabalho sempre melhor, ou isso acontece de forma natural?

Ivan Busic: Eu acho que a gente é muito chato sim, mas é com a gente mesmo. Mas é engraçado que por exemplo, a gente escuta uma música nova, ela é dez mil vezes mais simples que uma de um disco anterior, só que as vezes você imagina que este é o caminho para esse momento e isso está sendo exatamente o que gostaríamos que ouvissem da gente.

Ivan Busic: Mas então, não fica uma cobrança em termos de notas, virtuosismo. E a gente tem essa mania de curtir sempre o trabalho atual, acho que toda banda tem, ou então no meio do processo você descobre uma música, que você vai gostar mais dela durante o processo do que você gostava no início, isso acontece e é muito legal, mas a gente é muito chato e se cobra muito para tentar sempre fazer um cd com uma qualidade.

Ivan Busic: Como a gente gravava os 4 primeiros, 5 discos fora, tentávamos buscar sempre uma qualidade próxima dos nossos ídolos, pra poder oferecer isso pra galera e também ficar feliz quando escutassem nosso som, então mantivemos essa “chatice”.

PP: Você falou em ídolos, em 2010 perdemos o Dio, vocês até fizeram uma homenagem a ele com a faixa “The King”. Você acha que o cenário atual é esperançoso para que esse legado do Rock/Metal se mantenha vivo, para que continue? Você acha que as bandas novas têm capacidade, eu digo, um dia nossos ídolos se vão, e ai?

Ivan Busic: Os maiores do mundo realmente estão numa idade perigosa, porque já tem uma idade e fizeram história no passado, mas tem muita coisa que eu considero que vem ai, por exemplo, você pega hoje em dia um cara que assim, não é jovem mas tava na onda, o Myles Kennedy que tá tocando com o Slash, os trabalhos que o Zakk Wylde tem feito, o Black Stone Cherry, tem bandas muito legais segurando a peteca eu acho. Mas nada como um clássico, a gente fica sempre torcendo para os caras durarem mais do que podem.

PP: Você lançou o excelente “Rock and Road”, seu primeiro disco-solo, como surgiu a ideia de fazer o álbum?

Ivan Busic: Eu comecei a mostrar algumas músicas aleatoriamente para o meu irmão, na época do nosso outro estúdio, ai ele falou, “Pô, essas músicas tão muito legais, vamos gravar...vai ser seu disco solo” e botou essa coisa na minha cabeça, eu falei “Vamos, beleza”, porque eu comecei como vocalista lá em 80, por volta dos anos 80, eu era meio criancinha e comecei como vocalista, foi uma volta, um retorno ao vocal, bem legal.

Ivan Busic: Não fizemos muita coisa, acho que fizemos 3 ou 4 shows com o projeto, mas tá tocando bastante nas rádios, principalmente na Kiss Fm, com uma resposta muito boa da galera, e eu estou bem animado, a resposta do cd e da galera tá sendo muito boa.

PP: A música “Cry For Love” entrou na trilha sonora da novela Vitória (Record), como aconteceu este lance com a novela?

Ivan Busic: Cara, foi um convite mesmo da galera que escolhe as músicas, recebi o convite e fiquei feliz, porque é sinal que a melodia é boa e tocante.

PP: Você tem material para mais um disco solo, ou nem pensa nesta possibilidade?

Ivan Busic: Tenho, umas “coisinhas” guardadas mais no meu estilo.

PP: O que você tem ouvido? Alguma coisa nova que tem chamado sua atenção?

Ivan Busic: Eu ouvi o último disco do Soundgarden e gostei bastante...não consigo me lembrar de mais nada agora.

PP: E os clássicos?

Ivan Busic: Ah, eu sempre estou com Rush no ouvido, Deep Purple, Led Zeppelin, Black Sabbath.

PP: Alguma coisa fora Rock e Metal?

Ivan Busic: Sim, escuto bastante Country Music também, um Country mais tradicional, estilo Jerry Reed, Jerry Jeff, coisas assim que o pessoal nem conhece, mas que vale a pena depois quem puder ler a entrevista pesquisar, são grandes músicos de country. E escuto também bastante Jazz, por causa de parte da minha formação, gosto de ouvir trabalhos do Gene Krupa e do Buddy Rich.

PP: Aproveito para pedir que cite três bateristas que te influenciaram durante sua carreira.

Ivan Busic: John Bonham, Ian Paice e Neil Peart.

PP: E três vocalistas?

Ivan Busic: David Coverdale, Robert Plant e Freddie Mercury. Não são pessoas que eu acho que eu tenha estilo parecido, mas são pessoas que me inspiram e que me dão vontade de cantar quando eu escuto.

PP: Subir aos palcos nos dias de hoje, a sensação, a motivação, é a mesma que se tinha no início da carreira?

Ivan Busic: Acho que é, acho que é. É engraçado, a única coisa melhor que você tem quando começa a carreira, é que em nenhum momento, em nenhum momento você pensa em outra coisa que não seja diversão, até porque você é meio “cianção” e então não tem as contas pra pagar e aquelas coisas, é mais legal eu acho. Você fica mais velho, burocracia pra todo lado e tal, então nossa válvula de escape é o ensaio, a gravação, o show, é quando a gente vira criança de novo, e isso é legal.

PP: Ivan, muito obrigado. Deixo o espaço para suas considerações finais.

Ivan Busic: Eu agradeço a vocês pela força e a gente vai continuar fazendo o que sempre fizemos, a gente faz com um puta de um carinho o nosso som e a banda é assim, batalhadora pra caramba o Dr. Sin, acho que quem conhece sabe que é uma guerra e nós somos guerreiros pra caramba no Rock n’ Roll por amor mesmo, principalmente a essa coisa desse amor que a gente pegou escutando esses ídolos que eu falei pra você, sabe. Quando assistíamos ao “The Song Remains the Same” e falávamos, “Meu, como será que é tá num palco e fazer algo nesse estilo?”, e hoje a gente sabe que é uma emoção gigantesca, é um negócio indescritível, a mesma (emoção) que você sente assistindo seus ídolos é a mesma quando você tá tocando e vê a resposta da galera, é uma puta emoção, isso é impagável.

Entrevista publicada originalmente em:
http://paulopontesblog.tumblr.com/post/95708289078/entrevist...

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Dr. SinDr. Sin
Irmãos Busic saem em turnê com nova banda

890 acessosToth e Busic: "Os Cavaleiros Do Zodíaco'' ganha versão metal0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Dr Sin"

Dr. SinDr. Sin
A crise do rock nacional

Fafá de BelémFafá de Belém
"Meu espírito é heavy metal", diz a cantora

RockRock
Seis bandas que se inspiraram na cultura Pop

0 acessosTodas as matérias da seção Notícias0 acessosTodas as matérias sobre "Dr Sin"

Rock And RollRock And Roll
Últimas fotos em vida de músicos famosos

The VoiceThe Voice
Candidato faz power metal cantado em português

DoentioDoentio
Black Metal composto apenas com gritos de pacientes loucos

5000 acessosSeparados no nascimento: James Hetfield e o Leão Valente5000 acessosHistória do rock: Sexo bizarro, drogas, mortes e outros boatos5000 acessosEpica: veja fotos da irmã mais nova de Simone Simons5000 acessosResenha - Machine Messiah - Sepultura5000 acessosGwar: vocalista dispara contra Dave Mustaine5000 acessosMetallica: banda faz maior show de metal da história da Suécia

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Mais comentários na Fanpage do site, no link abaixo:

Post de 26 de agosto de 2014

Sobre Paulo Pontes

Nascido em Valinhos, interior de São Paulo, é estudante de jornalismo e iniciou-se no universo do rock ouvindo Guns n' Roses. É fã de Led Zeppellin, Richie Kotzen e Edguy, mas adora o rock em todas as suas vertentes, do Classic Rock ao Black Metal. Depois de escutar o refrão de "Eagle Fly Free" pela primeira vez, passou a curtir muito Power Metal, e achou que jamais iria ouvir um refrão tão bom quanto aquele dentro de tal vertente, realmente estava certo, ainda não ouviu. Casado e pai de duas lindas meninas, também se diverte muito com bons filmes e livros.

Mais matérias de Paulo Pontes no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online