Pastore: Vocalista fala sobre tributo ao Helloween e metal nacional

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Rodrigo Lima, Fonte: Helloween Brasil
Enviar correções  |  Comentários  | 

Matéria de 07/08/14. Quer matérias recentes sobre Rock e Heavy Metal?

Mario Pastore, vocalista da banda Pastore e participante do tributo em homenagem aos 30 anos do Helloween realizado pela Helloween Brasil, concedeu entrevista para falar um pouco sobre como foram as gravações para o tributo, o Heavy Metal no Brasil e sobre as novidades da banda Pastore. Leia a entrevista completa abaixo.

907 acessosUnisonic: CD e DVD "Live in Wacken" sai em julho5000 acessosMetallica: Ulrich comenta sobre seu maior erro

HBR: Olá Mario, obrigado pela entrevista e obrigado por fazer parte do nosso tributo em homenagem aos 30 anos do Helloween. Como se sente em participar desta homenagem junto com outros grandes músicos nacionais?

PASTORE: Eu que agradeço a consideração e carinho de vocês, e me sinto honrado. Realmente grandes músicos envolvidos e todos merecem estar nesse tributo show de bola.

HBR: Para você o que faz com que o Helloween chegue aos trinta anos com tanto prestigio e cada vez mais atraindo mais pessoas para sua legião de fãs e o que a diferencia de outras bandas?

PASTORE: Acho que fazer puramente o metal que os consagrou, sem inventar moda! O público quer isso e eles o fazem, outras bandas querem modificar e perdem a essência, como o Metallica a um tempo atrás com aqueles discos ruins: Load, Reload e St Anger (risos).

HBR: Você escolher gravar uma versão de How Many Tears do álbum Walls Of Jericho e no começo dos anos dois mil você interpretou ao vivo essa música ao lado do guitarrista Roland Grapow. O que tanto te atrai nesta música?

PASTORE: Eu cantei com o Grapow a Eagle Fly Free também, mas How Many Tears foi muito elogiada no youtube e eu adoro a versão do ao vivo com o Kiske. Então é isso!!

HBR: Como foi o processo de gravação? Você passou por alguns problemas de saúde durante este período.

PASTORE: O processo de gravação foi perfeito no instrumental, eu fiquei doente com uma sinusite crônica que tem me prejudicado desde 2009. Estou em tratamento e logo estarei novo em folha, quero fazer bonito nesse tributo.

HBR: Com sua experiência, o Heavy Metal no Brasil ainda tem muito o que melhorar ou as bandas estão no caminho certo e só precisam de mais espaço da mídia para crescerem?

PASTORE: Acho que o Brasil é celeiro de grandes músicos, tem muita gente boa, mas a mentalidade de muita gente teria que se modificar. Tem muita egolatria e desunião, muita puxada de tapete, e quem ganha com isso!?! Ninguém!

PASTORE: Tínhamos que ser unidos com carinho, respeito e hierarquia, você batalha 30 anos, constrói uma história e chegam moleques que mal começaram a tocar ou cantar te desrespeitando para ganhar espaço, quer espaço!?! Trabalhe por ele, faça sua história, que respeito e nome virão da forma correta, mas eu já cansei de falar. Hoje nem perco tempo me unindo com gente assim e nem discuto mais, me uno com quem quer isso e me respeita, hoje em dia tirando Iron, Kiss, Metallica e algumas outras bandas. O resto está no mesmo barco. Então para que se achar a última bolacha do pacote. (risos)

HBR: Você retornou com sua banda Pastore com novos músicos, fale um pouco sobre eles e o que eles trazem de novo para o som da banda.

PASTORE: Sim o Pastore foi reformulado agora com duas guitarras, que era como eu queria no início, são eles Marcelo de Paiva (bateria), Ricardo Baptista (guitarra), Adriano de Carvalho (baixo) e Alden Nobre (guitarra). Eles estão mantendo a essência do som do Pastore, mas com características mais tradicionais, como foi no The Price For The Human Sins. O The End Of Our Flames é um ótimo cd, mas convergiu mais para o Thrash e o The Price For The Human Sins vendeu mais no Japão! Está bem legal.

HBR: Você já tem algo pronto para o próximo álbum da Pastore ou ainda vai começar a penar na composições?

PASTORE: Estamos compondo um novo single e já temos algumas coisinhas boas vindo. É só o que vou adiantar. (risos)

HBR: Em sua carreira você já gravou grandes músicas, pretende no futuro regravar algumas delas, talvez com uma qualidade melhor ou com uma nova cara?

PASTORE: Quem sabe regravarei sim, eu fui bem prejudicado no início por poucas horas pagas por selos ou estúdios que os técnicos não sabiam gravar discos de Heavy Metal, então pode ser que aconteça mesmo.

HBR: Deixe um recado para seus fãs e os fãs do Helloween que estão ansiosos para te ouvir no tributo.

PASTORE: Quero agradecer a vocês pelo espaço e aos fãs que curtem o trabalho que fazemos, ouçam com carinho esse grande tributo e apoiem a cena indo a shows e comprando cds originais de bandas brasileiras!!!KEEP THE FLAME!!!! Valeu!

https://www.facebook.com/PastoreOficial
https://www.facebook.com/Mario.Pastore
https://www.facebook.com/HelloweenBR
http://helloweenbrazil.blogspot.com.br

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

HelloweenHelloween
Banda rejeitou música que se tornaria clássico do Masterplan

907 acessosUnisonic: CD e DVD "Live in Wacken" sai em julho774 acessosEm 29/05/2015: Helloween lança o álbum My God-Given Right3454 acessosMasterplan: capa e data de disco com músicas do Helloween880 acessosRio Rock City: Quando o vocalista novo dá certo?0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Helloween"

UnisonicUnisonic
"Somos melhores que o Helloween!"

HelloweenHelloween
"Future World" em mashup com os três vocalistas

Michael KiskeMichael Kiske
Ex-Hellowen: "O Iron Maiden vende a morte às pessoas!"

0 acessosTodas as matérias da seção Notícias0 acessosTodas as matérias sobre "Pastore"0 acessosTodas as matérias sobre "Helloween"

MetallicaMetallica
Lars Ulrich comenta sobre seu maior erro

HetfieldHetfield
"Você não iria gostar de mim se soubesse minha história"

HumorHumor
Quais são os rockstars mais chatos do mundo?

5000 acessosGuns N' Roses: Ellen Jabour conta como foi estar com banda5000 acessosMetallica: a habilidade com as baquetas de James Hetfield5000 acessosCarlos Eduardo Miranda: "Um monte de roqueirinho que só quer ser da Globo"5000 acessosMarcos Kleine: Honrado em fazer parte do Ultraje a Rigor5000 acessosNirvana: a mãe de Kurt ficou furiosa ao ver o documentário3726 acessosJingle true: "Ooolha o Léééééééó ha ha ha ha ha ha ha ha!"

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Mais comentários na Fanpage do site, no link abaixo:

Post de 07 de agosto de 2014

Sobre Rodrigo Lima

Conheci o metal em 1998 com os festival Skol Rock com as bandas Iron Maiden e Helloween que hoje são minhas preferidas e principais influências. Principalmente o Helloween que me inspirou a criar um Fâ-Clube brasileiro para a banda, o Sole Survivor Helloween Brasil.

Mais matérias de Rodrigo Lima no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online