Runaways: Jackie Fox conta como foi estuprada por Kim Fowley

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Bruce William, Fonte: The Huffington Post, Tradução
Enviar Correções  

Em texto publicado no Huffingtonpost em 2015, Jackie Fox, baixista da Runaways, e outras testemunhas contam como ela foi violentada pelo empresário da banda, Kim Fowley, durante uma festa realizada num motel na virada do ano novo de 1975/76, após um show da banda em Orange County, na Califórnia.

publicidade

Por volta de uma da manhã, Fowley levou a banda para um motel próximo do clube, onde começaram a festejar com amigos. Jackie achava que era apenas uma integrante provisória da banda, mas começou a acreditar que seria efetivada após os shows. Havia muitos jovens da mesma faixa de idade dela (16 anos) observando-a, o que a deixou muito feliz, com uma sensação de poder.

Mas a boa sensação durou pouco. Logo após chegar ao hotel, um sujeito que ela imaginou ser um roadie lhe ofereceu uma anfetamina e disse que ela precisava tomar aquilo, sem questionar. Foi o que ela fez. Outra pessoa que estava na festa disse deram vários comprimidos para a garota, no que seria uma preparação para o que viria, que Jackie nunca havia contado publicamente até hoje, algo que mudaria sua vida.

publicidade

A maioria das pessoas eram jovens, e estavam espalhados em salas diferentes, onde fumavam e bebiam. Joan Jett tocava guitarra com um amigo, Kari Krome fumava maconha com um cara do lado de fora, e Lita Ford não estava presente.

Quando chegaram Helen Roessler e Trudie Arguelles, duas amigas de Jackie, elas não acreditaram no que via. Jackie estava completamente chapada, eles nunca a tinham visto neste estado.

publicidade

Até que chegou uma hora em que Jackie deitou numa cama e disse que precisava dormir, não conseguia se manter em pé. Um roadie chegou até ela e perguntou se estava tudo ok, e Fowley perguntou se o sujeito queria fazer sexo com Jackie. "Ela não se importa", teria dito Fowley. "Se importa?", perguntou.

Ela tentou protestar, mas estava sem forças. "Você não sabe o que é o terror até que percebe que algo terrível está prestes a acontecer contigo e você não pode fazer nada", disse. "Eu não podia me mexer, não podia falar, tudo que podia fazer era olhá-lo no olho e deixar claro que não queria... não sei como eu parecia para quem me olhava, mas eu sabia o que acontecia dentro de mim e era um cenário de horror". O roadie não topou a oferta de Fowley e em seguida, Jackie começou a cochilar e perder a consciência.

publicidade

Daí, de acordo com Roessler, Fowley foi até Jackie e começou a tirar sua blusa. Ela estava sem sutiã. "Ninguém se importava", disse Roessler. "Era muito bizarro, todos estavam sentados próximos e faziam de conta que nada estava acontecendo", emendou, e explicou ainda que passou a encarar Fowley com cara feia na esperança que ele percebesse e parasse o que fazia, mas ele não deu bola. Quando Fowley começou a tirar a calça de Jackie, Roessler não aguentou e foi embora. Brent Williams, outro que estava no local, chegou na sala a tempo de testemunhar Fowley penetrando Jackie com o cabo de uma escova de cabelo. "É um daqueles momentos que você percebe que há um holofote direcionado para você", disse Williams. "Todos me olhavam para ver o que eu ia dizer. A vontade era de sair dali", e foi o que Brent fez.

publicidade

Neste meio tempo Fowley havia convidado outros caras para transar com Jackie e havia tirado sua roupa e estava sobre ela. "Kim está trepando com alguém!" ecoou uma voz na porta do motel, chamando os outros para ver.

Na cama, Fowley se exibia para as pessoas, rangendo os dentes e rosnando como um cão enquanto transava com Jackie, que disse: "Lembro de ter aberto os olhos e Kim Fowley me violentava, e haviam pessoas me olhando". Ela percebeu que Marie Currie e Joan Jett também estavam observando, e esta foi a última lembrança que ela guardou da noite. A reportagem diz que Jett, através de uma representante, afirmou que não presenciou a coisa como foi descrita acima, e Cherie Currie disse ter se manifestado contra e saído do local onde tudo acontecia.

publicidade

Jackie não deixou a banda, e dias depois, num ensaio, ninguém comentou nada sobre o assunto, e este silêncio para ela significava que também deveria ficar quieta. Cherie Currie disse que as garotas, com idade entre 16 e 17, nunca falaram sobre aquilo, embora não houvesse uma decisão ou estratégia, tratava-se de uma regra não falada que dizia "esqueça isto e siga em frente". Kari Krome, que tinha apenas 14 anos na época, disse que também foi assediada sexualmente por Fowley.

publicidade

Kim Fowley, falecido em 2015, sempre negou ter mantido qualquer tipo de envolvimento sexual com algumas das meninas da Runaways, mas Vickie Blue, que substituiu Jackie na banda em 1977, disse que as outras integrantes da banda sempre falavam sobre o estupro de Jackie, dizendo coisas como "Kim traçou a Jackie como um cachorro".

Posteriormente, Joan Jett comentou o episódio, veja no link abaixo:

The Runaways: Joan Jett se pronuncia sobre estupro de Jackie FoxThe Runaways
Joan Jett se pronuncia sobre estupro de Jackie Fox

Jackie e Fowley em 1977
Jackie e Fowley em 1977

publicidade


WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin