Blur: "Festivais não nos chamarão mais se não tocarmos Song 2"

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Célio Azevedo, Fonte: NME.COM - First For Music News
Enviar correções  |  Ver Acessos

O baterista do Blur Dave Rowntree argumentou que a banda de Britpop não se reservaria a tocar em festivais se eles não pudessem executar seus hits.

Fotos de Infância: Janis JoplinDavid Bowie: conheça 60 fatos da vida do camaleão

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

O grupo teve um verão agitado, aparecendo em festivais como Isle Of Wight e Benicassim. Eles também encabeçaram um evento no horário de verão britânico no Hyde Park, em Londres, no último mês de junho.

Em declarações ao portal XFM, Rowntree alegou que ele e seus companheiros de banda quase se sentem obrigados a tocar hits como 'Song 2' em festivais devido ao fato de que muitos dos presentes não estarão familiarizados com o seu material menos conhecido e atual.

"É difícil. É uma hora e meia de show. Você sabe, se nós não tocarmos 'Song 2' nós nunca mais seremos convidados para nenhum festival."




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção NotíciasTodas as matérias sobre "Blur"


Astros do rock: os pedidos de desculpas mais notóriosAstros do rock
Os pedidos de desculpas mais "notórios"

Capas de álbuns: o que existe ao redor de grandes artes?Capas de álbuns
O que existe ao redor de grandes artes?


Fotos de Infância: Janis JoplinFotos de Infância
Janis Joplin

David Bowie: conheça 60 fatos da vida do camaleãoDavid Bowie
Conheça 60 fatos da vida do camaleão


Sobre Célio Azevedo

Nascido no Rio de Janeiro, Célio Azevedo é jornalista pós-graduado, músico, compositor e escritor. Apaixonado por heavy metal, apreciador de rock alternativo. Desde 1997, através de bandas como Blur, Silverchair, Sonic Youth, Helloween e Iron Maiden, foi inspirado em diversos estilos musicais para desenvolver o seu próprio. Atualmente, analisa a realidade política nacional e internacional sob uma perspectiva conservadora. É autor de "A Cobertura do JB e do Globo da Queda do Muro de Berlim (1989) e do Fim da URSS (1991)", "Manuscritos Poéticos" e "Java para todos". Também lançou os álbuns de estúdio: "2012", "Mr. Fusion", a ópera rock "Celio Azevedo's Scout - Scoutish: The XXI Rock Opera", além de outros trabalhos em plataformas alternativas.

Mais matérias de Célio Azevedo no Whiplash.Net.

Goo336x280