Kreator: "Hoje em dia tudo é apenas o capitalismo, apenas a propaganda"

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Oscar Xavier, Fonte: Metal Rules, Tradução
Enviar correções  |  Comentários  | 

Matéria de 23/04/16. Quer matérias recentes sobre Rock e Heavy Metal?

Em entrevista ao Metal Rules, Mille Petrozza, vocalista/guitarrista da banda de thrash metal alemã KREATOR, expressou sua opinião sobre suas letras e o rumo da humanidade. Veja um trecho da entrevista logo abaixo.

4481 acessosKreator: banda está na trilha sonora de Dark, nova série da Netflix5000 acessosMetallica: a capa do "Death Magnetic" lembra uma vagina?

Metal Rules: "Outro tema que surgiu em suas letras várias vezes é sobre seu ponto de vista onde você afirma que a sociedade ou a própria humanidade é quase como uma praga. Eu não sei se isso é o que você estava tentando dizer em algumas das canções, mas é o que eu entendi de qualquer maneira. Eu estava pensando, se isso for verdade, se fosse possível você viajar para qualquer ponto no passado para mudar alguma coisa na história e fazer do mundo um lugar melhor, o que você faria se fosse possível?"

Mille Petrozza: "Hum... antes de tudo, é claro que não seria possível. Eu não acho que mudaria muito porque a natureza humana é baseada na experiência. Um monte de coisas na história da humanidade deu errado, porém nas coisas erradas, há sempre algo bom que você pode levar para fora de uma experiência ruim. Eu acho que a humanidade precisava fazer certas experiências para se tornar o que é agora. Eu acho que agora está um pouco estagnado. Eu não acho que não há nenhuma esperança real para eu ver qualquer coisa mudar drasticamente na forma como as pessoas pensam. Hoje em dia tudo é apenas o capitalismo, apenas a propaganda e apenas um monte de materialismo acontecendo. Eu não sei, se eu poderia mudar alguma coisa indo ao passado, eu acho que de qualquer maneira as pessoas simplesmente saem da maneira como elas realmente são."

Metal Rules: "Então, você acha que a música e a mensagem que contém nela... você acha que esse tipo de coisa pode mudar alguma coisa?"

Mille Petrozza: Um pouco. Não realmente mudar, mas talvez fazer as pessoas conscientes e começarem a questionar as coisas com mais frequência. Algumas pessoas leem as letras, inspiro-me principalmente falando com as pessoas, a comunicação é muito importante. A outra coisa importante é a literatura e a arte, e você poder tirar proveito ao máximo disto. Algo como ver o mundo através dos olhos de outras pessoas e ouvir o que eles têm a dizer, e então você contribui com algo para eles, dar-lhes algo de volta. É sempre como dar e receber, dar e receber, e eu acho que essa é a chave, como a comunicação e ouvir outras pessoas. Eu não sei se eu poderia mudar o mundo com a minhas letras, mas pelo menos as pessoas que leem as letras podem ver o meu ponto de vista sobre as coisas. Eu acho que isso é algo bastante ok para a minha parte."

Leia a entrevista completa em inglês no link abaixo:

http://www.metal-rules.com/interviews/Kreator_ViolentRevolut...

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

KreatorKreator
Banda está na trilha sonora de Dark, nova série da Netflix

755 acessosKreator: Saudando os fãs em novo vídeo de "Hail To The Hordes"24 acessosEm 18/12/1966: Mille Petrozza (Kreator)21 acessosEm 22/07/1997: Kreator lança o álbum Outcast14 acessosEm 01/06/2012: Kreator lança o álbum Phantom Antichrist0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Kreator"

Whatculture!Whatculture!
Site elege dez maiores discos de Thrash Metal

VelocidadeVelocidade
Top 10 de músicas de Metal para ser multado

Thrash MetalThrash Metal
Os melhores discos lançados depois do ano 2000

0 acessosTodas as matérias da seção Notícias0 acessosTodas as matérias sobre "Kreator"


MetallicaMetallica
A capa do "Death Magnetic" lembra uma vagina?

SilverchairSilverchair
A triste história por trás da capa do álbum Freak Show

Iron MaidenIron Maiden
Video mostra "erros" da banda ao vivo

5000 acessosMetal Extremo: chocando os jurados em reality-shows5000 acessosBeatles: como seriam os quatro rapazes hoje em dia?5000 acessosBullet For My Valentine: Baterista conta o inferno que é abrir para o Iron Maiden4262 acessosPhil Anselmo: "cantar afinado é como uma obrigação"4026 acessosChildren Of Bodom: Black metal é pura comédia para Laiho5000 acessosMTV Unplugged: As 25 melhores apresentações da história

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Mais comentários na Fanpage do site, no link abaixo:

Post de 24 de abril de 2016


Sobre Oscar Xavier

Headbanger, ouviu Heavy Metal pela primeira vez aos 11 anos de idade, o disco "Brave New World" do Iron Maiden, desde então não parou mais. Atualmente suas bandas favoritas são Pantera, Slayer, Dissection e Satyricon.

Mais matérias de Oscar Xavier no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em junho: 1.119.872 visitantes, 2.427.684 visitas, 5.635.845 pageviews.

Usuários online