Peter Hook: revelando-se vítima do sexo masculino de violência doméstica

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Leonardo Daniel Tavares da Silva, Fonte: The Guardian, Tradução
Enviar Correções  

O ex-baixista do NEW ORDER, Peter Hook, se pronunciou acerca de seu casamento problemático com Caroline Aherne, dizendo que ela o atacou com ele facas, garrafas e cadeiras.

Hook, 60, disse que era um marido abusado em seu casamento com a atriz vencedora do BAFTA e comediante que morreu de câncer em julho.

publicidade

Escrevendo em sua nova autobiografia, Substance, Hook disse que os anos de abuso o levaram a "não poder em boa consciência" participar das homenagens a Aherne depois do falecimento dela.

publicidade

Ele escreveu: "Sim, eu amava, sim, ela podia ser muito engraçada, e houve momentos em que me sentia privilegiado por ter uma audiência particular com um talento cômico tão grande assim.

"Mas ela era uma pessoa muito perturbada também e em nenhum lugar isso se manifestou mais do que em nosso relacionamento."

Hook, que co-fundou também a banda de rock JOY DIVISION, e Aherne casaram em Las Vegas em 1994, mas o casal se separou três anos depois.

publicidade

Ele disse que Aherne tentou "fazer lavagem cerebral" nele com comentários negativos antes de se tornar fisicamente abusiva.

Descrevendo o início da violência, ele escreveu: "Ela me atacou, usando as unhas para arranhar o meu pescoço, arrancando meu cordão e rasgando minha blusa. Era algo bem chocante.

"E, embora ela estivesse realmente arrependida na manhã seguinte, isso marcou o início de um comportamento grave em que ela encostava cigarros no meu braço, me atacava com garrafas, facas, cadeiras e outros móveis variados. Isto era desencadeado pela menor coisa - falar ou olhar para uma outra mulher era uma das principais".

publicidade

Em uma ocasião, Hook escreveu, Aherne lhe deu um tapa na frente de "30 outros comediantes" no meio de uma festa depois do prêmio da British Comedy. Ele descreveu um outro incidente quando Aherne supostamente usou uma tesoura em seus pertences, incluindo fotografias de seus filhos.

Hook disse se sentir constrangido e envergonhado pelo episódio e acredita que isso o levou à depressão clínica. Ele escreveu: "Eu era um marido abusado e é embaraçoso. E você se sente envergonhado e não pode contar a ninguém. Eu precisava de ajuda".

publicidade

Hook e Aherne se separaram depois da "pior briga de todas", no qual Hook disse temer que sua esposa o esfaqueasse. Na manhã seguinte, ela deixou sua casa em Didsbury, South Manchester. Hook escreveu que ela disse: "Eu estou partindo, eu vou te matar se eu não fizer isso."

As divulgações de Hook originaram uma reação enorme on-line, com alguns questionando o timing das revelações - publicadas antes do lançamento de seu livro na quinta-feira - apenas três meses após a morte de Aherne.

publicidade

Mas suas palavras foram acolhidos por instituições de caridade que apoiam as vítimas masculinas de violência doméstica.

Mark Brooks, presidente da Mankind Initiative, disse: "É muito raro ainda acolher quando uma figura pública conhecida como Peter Hook fala sobre ser uma vítima de violência doméstica do sexo masculino. Toda esta área continua sendo um dos últimos grandes temas tabu da Grã-Bretanha ".

publicidade

Brooks disse que uma em cada três vítimas de violência doméstica no Reino Unido eram do sexo masculino, de acordo com estatísticas do Ministério do Interior. Ele acrescentou: "Muitos homens não reconhecem que são vítimas e quando o fazem eles temem que não serão levados a sério e sentem uma sensação de vergonha.

"Alguém da estatura de Peter Hook vindo a frente vai fazer uma enorme diferença, não só dando aos homens a confiança para que apresentem, mas também abrindo os olhos da sociedade ao fato de que tanto homens quanto mulheres são vítimas de violência doméstica".

publicidade



Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


AC/DC: a história do nome e a idéia do uniforme de AngusAC/DC
A história do nome e a idéia do uniforme de Angus

Temperatura Máxima: as atrizes pornôs que incendiaram o cenário RockTemperatura Máxima
As atrizes pornôs que incendiaram o cenário Rock


Sobre Leonardo Daniel Tavares da Silva

Daniel Tavares nasceu quando as melhores bandas estavam sobre a Terra (os anos 70), não sabe tocar nenhum instrumento (com exceção de batucar os dedos na mesa do computador ou os pés no chão) e nem sabe que a próxima nota depois do Dó é o Ré, mas é consumidor voraz de música desde quando o cão era menino. Quando adolescente, voltava a pé da escola, economizando o dinheiro para comprar fitas e gravar nelas os seus discos favoritos de metal. Aprendeu a falar inglês pra saber o que o Axl Rose dizia quando sua banda era boa. Gosta de falar dos discos que escuta e procura em seus textos apoiar a cena musical de Fortaleza, cidade onde mora. É apaixonado pela Sílvia Amora (com quem casou após levar fora dela por 13 anos) e pai do João Daniel, de 1 ano (que gosta de dormir ouvindo Iron Maiden).

Mais matérias de Leonardo Daniel Tavares da Silva no Whiplash.Net.

WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin