Metallica: "Spit Out The Bone" não deve ser tocada em turnê norte-americana

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Bruce William, Fonte: Metallica Remains, Tradução
Enviar correções  |  Comentários  | 

Matéria de 02/06/17. Quer matérias recentes sobre Rock e Heavy Metal?

Lou Brutus da HardDrive Radio realizou uma entrevista com o baterista do Metallica, Lars Ulrich, antes da apresentação da banda em 12 de Maio no Lincoln Financial Field em Philadelphia, Pennsylvania. Você pode assistir a conversa abaixo, e alguns trechos traduzidos podem ser conferidos a seguir.

162 acessosMetallica: "Fade To Black" em oito diferentes estilos5000 acessosAC/DC: "aquela coisa Glam foi idéia do Malcolm"

Sobre a resposta esmagadoramente positiva do novo álbum do Metallica, "Hardwired... To Self-Destruct":

Ulrich: "Eu estava falando para alguém mais cedo, eu tenho ouvido uma frase nos últimos seis meses que eu nunca tinha ouvido antes na minha vida em trinta e cinco anos estando em uma banda de rock, que é, 'Por que vocês não tocam mais músicas novas esta noite?'. Usualmente é, tipo, 'Por que vocês estão tocando tantas músicas novas? Por que vocês estão tocando o álbum inteiro? Toquem mais coisas antigas. Toquem mais coisas antigas'. Esse é meio que o mantra que você ouve quando é um músico atualmente. E neste disco, nós tocamos quatro músicas novas, nós tocamos cinco músicas novas, teve alguns shows em que tocamos seis músicas novas - metade do disco - e as pessoas ainda vem e dizem, 'Onde está 'Spit Out The Bone'? Onde está isto e aquilo? Toquem mais músicas novas'. E é, tipo, cara, estamos apenas começando. Estamos há seis meses nessa dança, e ainda temos bastante turnê pra fazer. E estamos apenas começando a molhar nossos pés. Eu acho que tocamos sete das doze músicas, então ainda temos cinco. E, obviamente, o que parece ser uma das favoritas do fãs, tipo 'Spit Out The Bone', nós teremos todas elas. Eu não acho que introduzir a 'Spit Out The Bone' em um estádio [seria a coisa certa a fazer]. É uma música bem profunda. Eu acho que essa funcionaria melhor em uma arena. Mas, ouça, o fato de que os fãs abraçaram este disco nesse nível, o fato das pessoas quererem ouvir mais, e o fato de que nós nos sentimos confortáveis o suficiente para sair e abrir um show de estádio com novas músicas é meio que um testamento de quão bem esse disco foi recebido - digo, bem além do que imaginávamos. Tem sido verdadeiramente... As pessoas estão lá falando, 'É o melhor disco desde o Black Album'. Algumas pessoas estão dizendo que é o melhor disco de todos os tempos. Digo, ouvir essas coisas depois de trinta e cinco anos, é meio que louco. Pois tem essa coisa no mundo da música que, 'os melhores dias já se foram', e quando você tem uma chance de desafiar isso, é ótimo, especialmente quando isso acontece organicamente como toda esta coisa. Então estamos muito agradecidos, e é realmente uma boa hora no Metallica no momento."

Sobre por que ele acha que o "Hardwired... To Self-Destruct" foi tão bem recebido pelos fãs do Metallica:

Ulrich: "Cara, me perguntaram muito isso nos últimos seis meses. Digo, não existe uma resposta fechada - há um monte de fatores. Eu acho que o grande herói desconhecido deste disco todo, foi o [produtor] Greg Fidelman. Ele tem sido nosso... Basicamente, nosso cara do som, nosso engenheiro, nosso faz tudo desde o 'Death Magnetic' [de 2008], e ele tem sido... Eu acho que ele finalmente aperfeiçoou nosso som e descobriu como é o nosso modus operandi e como funcionamos melhor, tanto em termos de estúdio quanto em termos de como devemos soar e como ele consegue não apenas a performance, mas os sons e dinâmicas e tudo isso. Então eu acho que ele é boa parte da resposta. E, sabe, obviamente, estas músicas talvez sejam um pouco menos progressivas e um pouco mais orientadas ao groove e talvez um pouco mais coesas de certa forma. Então isso é provavelmente uma pequena parte disso. E você nunca pode descontar o... Sem ser muito louco aqui, você nunca pode descontar as energias do universo e como as coisas estão se alinhando e o disco certo na hora certa. Se esse disco saísse dois ou três anos atrás, talvez não teria sido tão bem recebido. Sabe o que eu quero dizer? Tem algo no cenário musical - o que todo mundo está fazendo, como seu disco se relaciona com o que todo mundo está fazendo. Então são muitos desses fatores. E, claro, nosso charme e boa aparência [risos]. Deu certo. Digo, em trinta e cinco anos, algumas coisas funcionam, outras não. Sempre damos nosso melhor, como vocês sabem, e acertamos neste. Então é, como eu disse, um bom momento."

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Mais comentários na Fanpage do site, no link abaixo:

Post de 02 de junho de 2017


MetallicaMetallica
Buscando material para reedições de "Justice" e "Black Album"

162 acessosMetallica: "Fade To Black" em oito diferentes estilos1275 acessosMetallica: veja cover caipira de "Sad But True" do Steven'N'Seagulls0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Metallica"

Classic RockClassic Rock
100 grandes discos da década de 1980 segundo a revista inglesa

MetallicaMetallica
Os dez melhores momentos de Cliff Burton no baixo

Phil AnselmoPhil Anselmo
"Load", do Metallica, nunca deveria ser lançado

0 acessosTodas as matérias da seção Notícias0 acessosTodas as matérias sobre "Metallica"


ACDCACDC
Dave Evans: "Aquela coisa Glam foi idéia do Malcolm!"

Sexo e RockSexo e Rock
Músicas com conotação sexual

MotorheadMotorhead
Lemmy Kilmister fala sobre ser solteiro para sempre

5000 acessosHeavy Metal: os dez melhores álbuns lançados em 19865000 acessosVan Halen: o constrangedor encontro de Eddie com o Nirvana5000 acessosEm 08/03/1995: Ingo Schwichtenberg, baterista do Helloween, comete suicídio4724 acessosPearl Jam: confira "Even Flow" numa inusitada versão em pagode5000 acessosMetallica: Veja como fica seu nome com o formato do logo da banda5000 acessosRenato Russo: a história do maior nome do rock nacional

Sobre Bruce William

Bruce William pensava em ser um motoqueiro rebelde mas descobriu que é um Wieder Blutbad nerd apaixonado por uma Fuchsbau. Avy jorrāelan, CatW!

Mais matérias de Bruce William no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em junho: 1.119.872 visitantes, 2.427.684 visitas, 5.635.845 pageviews.

Usuários online