Twisted Sister: fisicamente, Dee Snider não consegue mais fazer o que fazia

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Igor Miranda, Fonte: Eddie Trunk / Blabbermouth
Enviar correções  |  Ver Acessos

O vocalista Dee Snider disse, em entrevista a Eddie Trunk (transcrita pelo Blabbermouth), que não se arrepende de ter encerrado as atividades do Twisted Sister, em 2016, mais de um ano após a morte do baterista A.J. Pero. O motivo, segundo ele, é que não dá para apresentar, fisicamente, o mesmo vigor de suas performances com a banda no passado.

Humor: Os impressionantes diários secretos de Roger WatersAndre Matos: o que ele faria se fosse mulher por um dia?

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

"Honestamente, não consigo fazer, hoje, o que fiz no último show do Twisted Sister - fisicamente. Não estou ficando mais jovem e as coisas estão se deteriorando e há coisas que eu sabia... eu me debatia como um louco, me jogava no chão e dizia: 'não posso seguir por muito tempo'. E estou fazendo um disco de metal agora, mas não farei o que fiz no Twisted Sister fisicamente", afirmou.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

O cantor complementou que, com o fim do Twisted Sister, ele poderia explorar outras vertentes. "Eu senti que, parando com o Twisted Sister, pelo menos, eu poderia mudar de marcha como artista. As pessoas dizem: 'você ainda é intenso', 'você ainda é isso' ou 'aquilo', mas o Twisted, para mim, foi outra coisa que precisei parar de fazer", disse.

Snider também ficou pensativo sobre seu futuro após ter lido um comentário feito por Tom Araya, frontman do Slayer, banda que anunciou sua turnê de despedida no início deste ano. "Digo isso com amor a Tom Araya, mas li uma entrevista onde Tom conversa sobre não conseguir mais bater cabeça no palco por conta de seus problemas no pescoço. E ele disse: 'eu costumava me definir a partir do quanto me debatia no palco, e, agora, tudo o que consigo fazer é sentar ali e ter o ritmo'. Foram as palavras dele. Aquilo me atingiu como uma tonelada de tijolos, porque senti por Tom e pensei: 'não quero que isso aconteça'. Ninguém vence a gravidade", afirmou.

O próximo disco solo de Dee Snider foi produzido por Jamey Jasta e ainda não tem data para ser lançado. O álbum sucede "We Are The Ones", de 2016.




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção NotíciasTodas as matérias sobre "Dee Snider"Todas as matérias sobre "Twisted Sister"Todas as matérias sobre "Slayer"


Kerry King: comentários sobre a passagem pelo Megadeth nos anos 80Kerry King
Comentários sobre a passagem pelo Megadeth nos anos 80

Músicas boas mas pouco conhecidas: a vida nem sempre é justaMúsicas boas mas pouco conhecidas
A vida nem sempre é justa


Humor: Os impressionantes diários secretos de Roger WatersHumor
Os impressionantes diários secretos de Roger Waters

Andre Matos: o que ele faria se fosse mulher por um dia?Andre Matos
O que ele faria se fosse mulher por um dia?


Sobre Igor Miranda

Jornalista formado pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU) e apaixonado por rock há mais de uma década. Começou a escrever sobre música em 2007, com o surgimento do saudoso blog Combe do Iommi. Atualmente, é redator-chefe da área editorial do site Cifras e mantém um site próprio (www.IgorMiranda.com.br). Também co-fundou o site Van do Halen, para o qual trabalhou até 2013.

Mais matérias de Igor Miranda no Whiplash.Net.

adGoo336