Folk Punk: conheça coletânea lançada por 16 bandas latino-americanas

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Júlia Pelinson
Enviar correções  |  Ver Acessos

O gênero é folk punk e as bandas são do Brasil, da Argentina, do México, do Chile e da Colômbia. Pela iniciativa dos argentinos do "Aires Bastardos", 16 grupos se juntaram para lançar a coletânea "Latinoamerica Folk Punk 2018", já disponível no YouTube. O compilado conta com 14 músicas autorais e dois covers, "Drunken Lullabies", do Flogging Molly, e "Galway Girl", uma tradicional balada irlandesa.

Metallica: Para Hetfield, algumas bandas deveriam morrerNoisecreep: os 10 clipes mais assustadores do heavy metal

Uma das bandas é The Mcminers, de Minas Gerais, que participa da coletânea com a música "Behead the Captain". Gabriel "O'Finnegan" Leão, fundador do grupo, conta que ficou muito feliz pelo convite dos colegas argentinos e fala sobre o atual cenário musical na América Latina: "todas as bandas desta coletânea vivem uma realidade difícil que é tocar música autoral sem apoio de grandes selos. Estamos na luta por contra própria. Somos de países periféricos, sonhamos com o Folk/Celtic Punk e não vamos desistir facilmente".

Outros três grupos brasileiros fazem parte da coletânea: "Lugh", do Rio Grande do Sul, "The Celtas", de Minas Gerais, e "Rats", do Rio de Janeiro.

A música folk punk surgiu na década de 1980, no Reino Unido, e ganhou força nos anos 1990 com a formação das bandas norte-americanas Flogging Molly e Dropkick Murphys. Esta mundialmente conhecida pela música "I'm Shipping Up To Boston", que fez parte da trilha sonora do premiado filme de Martin Scorsese, "Os Infiltrados". O estilo cresceu e hoje existem diversas bandas de folk punk em todo o mundo.

Latinoamerica Folk Punk 2018

01. Lugh - Garrafas do Ofício (BRA)
02. Aires Bastardos - Marche una poción (ARG)
03. Gypsy Vanner - Galway Girl (ARG)
04. Cochinillas Alcohol Club - El Beso del Diablo (MEX)
05. Index Of - Nada queda en pie (ARG)
06. The Celtas - All the Way to the Bansky (BRA)
07. Rats - Saloon 79 (BRA)
08. La Fiesta del Diablo - Resaca de Ciudad (CHI)
09. The Mcminers - Behead the Captain (BRA)
10. No Pibe - Control AT (ARG)
11. Panchofolk - Dime que no eras tú (CHI)
12. Bestiario - De Luto (COL)
13. Punching Namard - As They Say (BRA)
14. Seven Rats - Drunken Lullabies (CHI)
15. Rase my Kilt - 1982 (ARG)
16. Lucky Seven - Por Libertad (MEX)




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato. Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Denuncie os que quebram estas regras e ajude a manter este espaço limpo.


Todas as matérias da seção Notícias

Metallica: Para Hetfield, algumas bandas deveriam morrerMetallica
Para Hetfield, algumas bandas deveriam morrer

Noisecreep: os 10 clipes mais assustadores do heavy metalNoisecreep
Os 10 clipes mais assustadores do heavy metal

Burzum: A polêmica história e filosofia de Varg VikernesBurzum
A polêmica história e filosofia de Varg Vikernes

Nirvana: Dave Grohl explica porque não toca clássicos ao vivoNirvana
Dave Grohl explica porque não toca clássicos ao vivo

Heavy Metal: os dez melhores álbuns lançados em 1986Heavy Metal
Os dez melhores álbuns lançados em 1986

Wendy Dio: Dando a Rob Halford anel que foi de Ronnie James DioWendy Dio
Dando a Rob Halford anel que foi de Ronnie James Dio

The Beatles: Algumas questões a respeito da temática luciféricaThe Beatles
Algumas questões a respeito da temática luciférica


Sobre Júlia Pelinson

Jornalista mineira apaixonada por rock. Formou-se em 2014 pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Desde então, trabalha como assessora de comunicação em instituições culturais e sua parte favorita é escrever sobre exposições de arte. Além de frequentar shows, seu novo hobby nas horas vagas é contribuir com o Whiplash.Net.

Mais matérias de Júlia Pelinson no Whiplash.Net.

adClio336|adClio336