Tudo no Shuffle: 15 bandas de rock/metal para conhecer

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Guilherme Cardoso, Fonte: Tudo no Shuffle
Enviar correções  |  Ver Acessos

Para a primeira lista de 2019, escolhemos 15 bandas, de vários estilos.

Acompanhe nossa playlist de metal atualizada semanalmente:

Não deixe de curtir nossa página no facebook para acompanhar novas postagens.

1 - Big Wreck

Formada em 1994, a banda Big Wreck faz um hard rock progressivo e com altas doses de música pop. Sim, é uma combinação esquisita de gêneros mas que funciona muito bem para o grupo liderado por Ian Thornley, cuja voz parece uma mistura de Chris Cornell com Sting (também uma mistura bem esquisita).

Por onde começar: A banda já possui 5 discos lançados, o mais recente, "Grace Street" de 2017, com quase 70 minutos de duração é uma boa mostra da diversidade sonora da banda. Há músicas pop hard rocks bem diretas e gostosas (como o ótimo single "One Good Piece of Me") , baladas acústicas e composições mais progressivas, mas sempre bem acessíveis, como "A Speed Recovery" que, em 7 minutos, mostra melodias fáceis de cantar e também solos trabalhados de guitarra.

2 - Celeste

A banda francesa Celeste, fundada em 2005, une alguns dos gêneros mais extremos e pesados do metal, como black, sludge e doom metal, com a fúria do hardcore, isso ainda mantendo um senso meio torto de melodia. Os álbuns da banda costumam ser longos e consomem o ouvinte com sua intensidade altíssima de sons e emoções.

Por onde começar: O grupo possui 6 álbuns lançados, "Animale(s)", lançado em 2013, é um álbum duplo e permanece como o trabalho mais ambicioso da banda sobre uma sombria história de amor. Em mais de uma hora de música, a banda dosa sua velocidade em alguns momentos, mas nem assim as músicas perdem a alta intensidade e a atmosfera sufocante.

3 - Damnation Plan

Os finlandeses do Damnation Plan estão na ativa desde 2004 e já possuem dois álbuns lançados. O grupo bebe de fontes como groove metal, metalcore e death metal melódico nos instrumentais e de power metal e heavy metal tradicional nos vocais. Para isso, a banda conta com dois vocalistas, um que canta as partes limpas e outro para os vocais extremos. Assim, muitas composições usam a velha tática do versos pesados e refrões melódicos. Outras tem ares mais grandiosos, com algo de power metal.

Por onde começar: O primeiro álbum "The Wakening" mostra o potencial da banda, com momentos pesados (vide a faixa-título e o grande riff de "Walk of Illusion") e outros mais épicos e emocionantes, como em "Ashes".

4 - Dissentience

O jovem quarteto norte-americano faz um thrash/death metal para deixar grandes nomes do gênero, como Megadeth, Sepultura e Death, orgulhosos. Além disso, a banda mostra em suas composições muita técnica, com riffs e solos trabalhados e compassos estranhos. Bandas mais recentes como Gojira e Sylosis também podem ser percebidas como influências do Dissentience.

Por onde começar: A banda só tem um EP lançado, "Mask of Pretense" de 2018, então não tem muito para escolher.

5 - Enforced

Outra banda dos EUA e também ainda em início de carreira, Enforced prefere unir o thrash metal mais de Slayer com punk rock e hardcore. O resultado é um som brutal para bater cabeça sem piedade.

Por onde começar: Com apenas uma demo e um EP ("Retaliation" de 2017), também não há muito para ouvir ainda da banda. Mas não deixe de ouvir a faixa-título do EP, cujo início é praticamente "Mandatory Suicide" versão 2.0.

6 - Iron Tongue

Mudando de gênero, Iron Tongue irá agradar a fãs de blues e rock clássico. As composições da banda são, em geral, lentamente desenvolvidas, (parecem perfeitas para o cenário de uma cidade poeirenta e abandonada), com doses de psicodelia, solos e riffs blueseiros e vocais cheios de alma.

Por onde começar: Lançado em 2013, "The Dogs Have Barked, The Birds Have Flown" é daqueles álbuns que embriagam o ouvinte com sua atmosfera irresistível.

7 - Judiciary

Em 2017, a banda Power Trip tomou o mundo do metal de assalto com "Nightmare Logic", um álbum com o peso do thrash metal e a diversão do hardcore como há muito tempo não se via. Os conterrâneos do Judiciary seguem a mesma filosofia, fazer thrash metal com hardcore sem enrolação e muito headbang.

Por onde começar: O primeiro álbum da banda "Surface Noise" foi lançado recentemente, são 26 minutos para bater cabeça sem parar.

8 - MonstrO

Com ex-membros do Torche e Danzig e o irmão de Troy Sanders do Mastodon, Kyle Sanders, a banda MonstrO lançou apenas um álbum, que foi produzido por William Duvall (vocal do Alice in Chains). Uma pena porque o stoner rock que a banda faz (ou fazia) é bem original, com guitarras cheias de delay, momentos psicodélicos sem exagero e principalmente com um atmosfera alegre e de alto astral.

Por onde começar: O único álbum da banda, o homônimo, lançado em 2011. Destaque para a bela "Concertina".

9 - Quantum Pig

Quantum Pig é uma dupla inglesa de prog rock. Os dois compositores optam por um prog rock calcado na criação de atmosferas elegantes e futurísticas. Ao mesmo tempo, eles valorizam composições emotivas ao invés da pura demonstração de técnica e injetam ótimas melodias em suas músicas, fazendo assim um progressivo sofisticado mas acessível.

Por onde começar: Pelo único álbum da banda, "Songs for Industry and Sunshine", lançado há poucos dias. (A bateria do álbum foi gravada por Craig Bunnell, do Frost e da banda de Steven Wilson).

10 - The Rabble

Os neozelandeses são uma boa banda para fãs de punk rock em geral, especialmente de Rancid. Com 4 álbuns lançados, o grupo não é nenhum inovador do gênero, mas faz ótimo uso do que ele tem de melhor, destacando-se os refrões fortes e grudentos. As comparações e semelhanças com Rancid são óbvias sobretudo pelos vocais e pela incorporação de ska em várias músicas.

Por onde começar: "The Battle's Almost Over" de 2007, com seus 54 minutos, o que é praticamente um épico para um álbum de punk rock. Alguns destaques são "Seeking", "Salvation", "The Battle" e "Start Again", todas com bons refrões.

11 - Radkey

Radkey é um power trio de Missouri com três álbuns lançados e a missão de fazer rock'n'roll. Os vocais graves lembram Misfits, há muito de punk rock Ramoniano na simplicidade das músicas e também um lado mais melódico de rock do final dos anos 90, início dos anos 2000.

Por onde começar: O álbum "Delicious Rock Noise" de 2016, que realmente é um delicioso som de rock.

12 - The Showdown

A banda cristã The Showdown começou com um grupo de metal alternativo e depois se converteu ao groove metal, que foi sua melhor fase. Para essa fase, a banda ouviu muito Pantera, para fazer músicas com riffs gigantes de pesados e refrões também gigantes só que de melodias.

Por onde começar: "Blood In The Gears" de 2010 é daqueles álbuns que podem não ser obras-primas mas que são difíceis de não gostar porque tem tudo redondinho. A dobradinha "Take Me Home" e "Blood In The Gears" tem pesos e melodias nas medidas certas.

13 - Silent Civilian

Na onda de metalcore norte-americano dos anos 2000, surgiu o Silent Civilian, banda que nunca teve o sucesso de seus contemporâneos. Mesmo assim, a banda usa a mesma receita de bandas mais como Killswitch Engage, All That Remains e As I Lay Dying e, por isso, deve agradar a fãs de metalcore em geral.

Por onde começar: O segundo álbum "Ghost Stories" de 2010 mostra a banda em grande forma. Músicas como "Victim of Fear", "The Phoenix" (com um senhor riff) e "Sustenance" não ficam atrás de grandes músicas de metalcore.

14 - Turncoat Syndicate

Formado em 2012, o grupo norte-americano Turncoat Syndicate faz uma mistura de grunge, rock alternativo e hard rock, alternando entre momentos mais experimentais e outros mais diretos e roqueiros.

Por onde começar: O único álbum do grupo é "The Life You Wanted", lançado em 2018. Destaque para "Relax...This Won't Hurt" que tem um refrão com um vocal poderoso.

15 - Witchrider

Os austríacos do Witchrider são basicamente um Queens of the Stone Age mais metal. Os vocais lembram bastante Josh Homme enquanto as guitarras da banda são bem mais contundentes que as do QotSA.

Por onde começar: Pelo único álbum da banda, "Unmountable Stairs" de 2015, esse com a capa de gosto duvidoso.




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Notícias

Álbuns ao vivo: 10 grandes registros da história do rockÁlbuns ao vivo
10 grandes registros da história do rock

Slayer: Kerry King explica como se deve balançar a cabeçaSlayer
Kerry King explica como se deve balançar a cabeça


Sobre Guilherme Cardoso

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, entre em contato enviando sua descrição e link de uma foto.

adGoo336