Galeria do Rock: Loja contesta fechamentos e diz que Band foi sensacionalista

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Igor Miranda, Fonte: Die Hard (texto opinativo)
ENVIAR CORREÇÕES  

A loja de discos Die Hard Records, uma das mais tradicionais da Galeria do Rock em São Paulo, publicou um longo texto opinativo pelo Instagram para contestar os dados apresentados por uma reportagem do programa "Bora SP", da TV Band. A repórter Maiara Bastianello apurou que 30 estabelecimentos foram fechados e 400 funcionários demitidos do centro comercial.

Cenografia: os pedestais mais bizarros do Rock e MetalFãs de Rock: você conhece o estilo de se vestir de cada um

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

MariliaKaz @ wikimedia
MariliaKaz @ wikimedia

Em visita ao local, a Band mostra uma série de lojas fechadas - embora o fechamento possa ter a ver com as restrições de funcionamento devido à pandemia - e Marcone, entrevistado que representa a Galeria do Rock, afirmou que estabelecimentos estão declarando falência. Outro número, de frequência diária, chegou a ser citado: uma loja por dia está fechando as portas no local. Johnny Magrão, dono de uma loja de discos, também foi ouvido e afirmou que, apesar da opção de compra online, o público não tem investido dinheiro em aquisições do gênero, devido ao momento crítico vivenciado.

Galeria do Rock: 30 lojas fechadas e 400 demissõesGaleria do Rock
30 lojas fechadas e 400 demissões

Como resposta à reportagem da Band, a Die Hard afirma que a abordagem ao assunto foi "sensacionalista" e que outros lojistas não foram consultados. Os números apresentados foram questionados, já que seriam inconsistentes com a realidade do local.

"A matéria é de um programa sensacionalista, e diz no início que a Galeria tem 10 mil visitantes, mas no final diz que são 5 mil, se corrige (?), uma informação só, checada e documentada, é o mínimo que se espera; diz também que 30 lojas já fecharam e que 400 (quatrocentas!!!) pessoas já foram demitidas. A matéria não dá detalhes, não devem ser mais de 13 pessoas empregadas de cada uma destas 30 lojas, dado o tamanho destas, nem caberiam lá dentro, pode ser que tenham se referido aos desempregos indiretos, isto a matéria também não elucida", diz.

A publicação ainda aponta: "Uma loja que entra em falência em menos de 40 dias, sem ao menos recorrer aos, ainda insuficientes e atrasados recursos da União, é porque já deveria estar com a administração seriamente comprometida, a matéria diz isto de outra forma, mas é algo a se considerar sim".

O texto também declara que os empréstimos para pequenos empresários, citados na reportagem, são, na verdade, um projeto de lei que ainda está em trâmite, a ser votado nesta semana. "A matéria tem, nos parece, de intuito nobre, todos queremos a volta ao normal, registre-se, e o abandono do Centro de SP citado por ela é a verdade, e faz tempo, mas o momento, no mundo, é de resguardo e de atenção", afirma.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Vale destacar que, nesta quarta-feira (22), de acordo com a Agência Brasil, o plenário da Câmara aprovou um programa especial de crédito para micro e pequenas empresas, no valor total de R$ 15,9 bilhões. O Projeto de Lei 1.282/20, oriundo do Senado, cria o Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (Pronampe), que concede crédito mais acessível às microempresas, com faturamento bruto anual de até R$ 360 mil, e empresas de pequeno porte, cujo faturamento anual de até R$ 4,8 milhões. Como foi modificado pelos deputados, o texto volta para análise do Senado.

Por fim, a publicação destaca que trata-se de apenas uma opinião de um lojista. "Este texto foi redigido e publicado devido às quantidades de mensagens que recebemos, pessoas desconfiadas com o que assistiram, pessoas preocupadas conosco e com a Galeria do Rock, familiares e amigos, aos quais agradecemos a preocupação, porém, estamos tranquilos", diz.

Leia, abaixo, o texto da loja na íntegra:

"OPINIÃO DA DIE HARD SOBRE A MATÉRIA SOBRE A GALERIA DO ROCK NA BAND

Não é segredo pra ninguém que a mídia manipula, que geralmente têm políticas girando em torno de interesses. A matéria da Band que circula desde o dia 22 de abril nos soa sensacionalista, nos parece querer induzir a um tipo de opinião, a de que tudo na Galeria do Rock está sendo desmoronado por causa da quarentena em vigor no Estado de São Paulo há mais ou menos 40 dias.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

No nosso piso, apenas uma loja, aparentemente, poderia estar fechando, está em reformas, não sabemos se pra ser entregue ou se estão apenas aproveitando o momento pra reformar, muita gente está aproveitando pra fazer isso.

A matéria é de um programa sensacionalista, e diz no início que a Galeria tem 10 mil visitantes, mas no final diz que são 5 mil, se corrige (?), uma informação só, checada e documentada, é o mínimo que se espera; diz também que 30 lojas já fecharam e que 400 (quatrocentas!!!) pessoas já foram demitidas. A matéria não dá detalhes, não devem ser mais de 13 pessoas empregadas de cada uma destas 30 lojas, dado o tamanho destas, nem caberiam lá dentro, pode ser que tenham se referido aos desempregos indiretos, isto a matéria também não elucida. Nós não fomos consultados, todos os parceiros que conhecemos (lojas de CDs e VINIS, geralmente considerados os produtos mais "fracos"), e não são poucos estes parceiros, todos estão trabalhando normalmente dentro das possibilidades atuais, não sabemos de nenhuma demissão ou de alguma loja fechada desde o início da quarentena. Um detalhe que pensamos, uma loja que entra em falência em menos de 40 dias, sem ao menos recorrer aos, ainda insuficientes e atrasados recursos da União, é porque já deveria estar com a administração seriamente comprometida, a matéria diz isto de outra forma, mas é algo a se considerar sim. Sabemos que nossa sensação sobre esta matéria é pouca coisa pra bater de frente com os números apresentados, espero que respaldados, podemos estar numa bolha lá dentro, por isso reforçamos, esta é a nossa opinião, ao menos sirva para mostrar uma outra visão que a matéria criou. Nós contestamos estes números e esta visão fatalista das coisas.

Na matéria entrevistam dois comerciantes, um deles, ligado à administração de certa forma, e o outro, um lojista de CDs, ambos com a mesma visão. Estávamos lá no dia da gravação, a repórter nos viu, ela diz "lojas fechadas, tudo fechado", mas podemos ver ao menos três abertas, obviamente as que trabalham com comércio eletrônico, nós estávamos abertos e fazendo pacotes, ela poderia, ao menos por curiosidade da própria profissão, ter nos consultado, porém, não o fez. Antes de qualquer coisa, adiantamos que nós não falamos com a grande mídia, já faz muito tempo, tivemos péssimas experiências, com distorção do que dissemos, descaradamente e da forma conhecida como costumam editar, e do uso de outras ferramentas menos, digamos, éticas, porém, independentemente disto, não quiseram saber nossa opinião, talvez por estarmos ativos e em plena correria e, portanto, em desencontro com o objetivo da matéria? Talvez...

Outro ponto é sobre os empréstimos, a matéria diz das dificuldades que as microempresas sempre tiveram, mas o Projeto de Lei sobre o empréstimo emergencial para as pequenas e microempresas está tramitando pelo Congresso ainda, sendo votado esta semana, se não me engano hoje, qualquer outro empréstimo que não seja este, emergencial, está, obviamente, sujeito às condições anteriores para aprovação. Na matéria também ensaiam uma previsão de futuro, vamos nos abster de comentar sobre isso pois não cremos que alguém tenha esta condição neste momento, quando os maiores especialistas do assunto admitem que o ineditismo e o tamanho desta crise impedem prognósticos confiáveis.

Nós temos um excelente relacionamento com a administração da Galeria do Rock, já os parabenizamos pela excelente equipe que temos, estamos trabalhando com a Galeria fechada, porém, limpa, segura, e com todos os serviços sendo prestados de maneira exemplar, recebem os produtos das transportadoras, motoboys e correios quando não estamos lá, e são essenciais para a nossa sobrevivência como Empresa agora, este texto não pretende ataca-la, porém, como a matéria nos envolve enquanto proprietários de um estabelecimento lá há 23 anos, e como temos uma opinião, que não precisa coincidir com a de ninguém, a expressamos livremente. A matéria tem, nos parece, de intuito nobre, todos queremos a volta ao normal, registre-se, e o abandono do Centro de SP citado por ela é a verdade, e faz tempo, mas o momento, no mundo, é de resguardo e de atenção...

Este texto foi redigido e publicado devido às quantidades de mensagens que recebemos, pessoas desconfiadas com o que assistiram, pessoas preocupadas conosco e com a Galeria do Rock, familiares e amigos, aos quais agradecemos a preocupação, porém, estamos tranquilos, em nosso post de 20 de abril explicitamos toda a nossa realidade, e é naquela situação que continuamos.

Obrigado amigos clientes, parceiros, e desculpe-nos se esta opinião fere o pensamento ou a posição de alguém, nossa intenção não é afrontar ou atacar, é apenas o que diz o título do texto, APENAS NOSSA OPINIÃO!

Cuide-se e boas vibrações a todos. TODOS!

OBS: Obrigado amigos Luiz Carlos e Samuel Frade de Carvalho que nos questionaram sobre assuntos que não tínamos pensado em abordar!!!"




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção NotíciasTodas as matérias sobre "Galeria do Rock"


Cenografia: os pedestais mais bizarros do Rock e MetalCenografia
Os pedestais mais bizarros do Rock e Metal

Fãs de Rock: você conhece o estilo de se vestir de cada umFãs de Rock
Você conhece o estilo de se vestir de cada um


Sobre Igor Miranda

Jornalista formado pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU), com pós-graduação em Jornalismo Digital pela Universidade Estácio de Sá. Começou a escrever sobre música em 2007 e, algum tempo depois, foi cofundador do site Van do Halen. Colabora com o Whiplash.Net desde 2010. Atualmente, é editor-chefe da Petaxxon Comunicação, que gerencia o portal Cifras, Ei Nerd e outros. Mantém um site próprio 100% dedicado à música. Nas redes: @igormirandasite no Twitter, Instagram e Facebook.

Mais matérias de Igor Miranda no Whiplash.Net.

Goo336x280 GooAdapHor Goo336x280 Cli336x280