Abbath: Reunião com o Immortal "sim, é claro; mas tem que ser algo especial"

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Carlos Henrique Schmidt, Fonte: Bravewords
Enviar Correções  

Falando com Martin Blekkerud no Dagbladet da Noruega, Abbath (Olve Eikemo) falou sobre a possibilidade de se reunir com seus ex-colegas do Immortal, banda que deixou em 2014 devido aos excessos com alcóol e droga e que ele afirma ter sido usado como desculpa para se livrar dele, resultando numa batalha legal sobre a propriedade do nome da banda, que foi finalmente concedido a Demonaz (Harald Nævdal).

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

"Recebi uma mensagem de Horgh (Reidar Horghagen / bateria) dizendo que foi ótimo eu ficar sóbrio. Harald e eu não conversamos mais. Mas não há mais sangue ou amargura da minha parte. Percebo que eu era uma parte do problema. As coisas estão ótimas para mim agora. E se estou aberto a uma reunião com o Immortal? Sim, é claro. Mas tem que ser algo especial. Só gostaria que pudéssemos nos sentar e conversar sobre acerca do que aconteceu, quando tudo virou um inferno, em vez de envolver advogados".

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Em janeiro, Abbath anunciou sua intenção de entrar em um programa de reabilitação e se manter limpo, afirmando: "Não é segredo que estou lutando contra o vício. Agora, percebi que é hora de começar uma briga com esse demônio." Eu me comprometi com um programa de reabilitação que vai me ajudar a ficar limpo de uma vez por todas. Sinto-me mais motivado e determinado do que nunca para vencer esta batalha."

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Vocalistas: as vozes mais agudas do Metal segundo o NoisecreepVocalistas
As vozes mais agudas do Metal segundo o Noisecreep

Frances Bean Cobain: assustada com tatuagem de fãFrances Bean Cobain
Assustada com tatuagem de fã


Sobre Carlos Henrique Schmidt

Graduado em Computação e Administração, a paixão pela música pesada surgiu nos primeiros anos da adolescência e permanece até os dias de hoje. Apesar da preferência pelos estilos mais x-tremos da música pesada (Black, Death, Grind), o seu universo musical não limitado por estes rótulos, mas pelo que a música em si transmite.

Mais informações sobre Carlos Henrique Schmidt

Mais matérias de Carlos Henrique Schmidt no Whiplash.Net.

Cli336 Cli336 Cli336