Slipknot: Jay Weinberg não gosta de usar máscara, mas enxerga propósito maior

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Igor Miranda
Enviar Correções  

O baterista Jay Weinberg falou sobre o uso de máscaras no Slipknot em entrevista ao canal de YouTube "The Metal Circus". O músico revelou o que muitos já devem imaginar: é um saco tocar com o acessório no rosto, mas existe um propósito maior por trás disso.

Corey Taylor: cantor anuncia álbum solo e lança clipe com Halford, Lars, Manson e mais

Manowar: você acha as fotos da década de 80 ridículas?

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

"Você tem apenas que lidar com isso, tem que aceitar. Não é divertido, não é agradável, não é nada disso. Porém, é necessário, com certeza", afirmou, inicialmente, conforme transcrito pelo BraveWords.

Weinberg pontuou que o uso das máscaras no Slipknot tem a ver com "transmitir a boa abordagem artística que o Slipknot tem". "Eu entendo que quando entrei para a banda, isso era um grande fator. É isso - e você precisa aguentar, porque não vai mudar. Não tenho a habilidade ou a intenção de mudar isso. É apenas parte do processo e eu acabo curtindo", disse.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Durante seu período no Slipknot, houve um elemento em especial que fez Jay Weinberg criar certo apreço pelo uso de máscaras. "Transforma a performance em algo físico que eu sempre gostei desde quando comecei a tocar bateria. Gosto da 'fisicalidade' nisso, é uma das minhas coisas favoritas. É um desafio. Então, se deixa ainda mais desafiador, você tem outros empecilhos para lutar contra. Você trabalha contra elementos como calor, umidade, desconforto, dor. Tudo isso faz parte. Não ligo, apenas aprendi a aceitar", afirmou.

A entrevista pode ser conferida na íntegra (em inglês, sem legendas) no player de vídeo a seguir:

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Slipknot nunca abandonará máscaras

O percussionista e líder do Slipknot, M. Shawn "Clown" Crahan, garantiu em recente entrevista ao canal de YouTube "The Fred Minnick Show" que a banda nunca fará um show sem elas. Apesar do incômodo, não há como abrir mão do visual impactante, segundo ele.

"Não há um dia que todos os músicos da banda desejem que não tenhamos que usar essas coisas. Especialmente porque foi minha ideia. Pelo que sei, talvez, alguns dos caras acham que é a pior coisa do mundo. Eles toparam porque nos amamos e porque temos um sonho, além de uma marca. Porém, secretamente, alguns pensam: 'não acredito que estou preso a isso minha vida toda'", disse, inicialmente.

Clown apontou que ninguém jamais foi forçado a entrar no Slipknot, então, há consentimento. "Só subo no palco com essas coisas. Nunca obriguei ninguém. Parece que é o que queríamos fazer. E ajudou, é quem nós somos. As pessoas perguntam o tempo todo se vamos abandonar as máscaras e eu respondo: por que preciso fazer isso? [...] Só perguntam isso por causa de outros artistas. Eu sou o Clown (o Palhaço) em uma banda chamada Slipknot. Não somos do seu tipo ('We are not your kind'). Não somos como vocês. Não faço parte dessa hipótese", afirmou.

Em agosto de 2019, o vocalista Corey Taylor concedeu uma entrevista ao site Overdrive onde revelou ter o mesmo pensamento expresso por Clown. Segundo Taylor, as máscaras "são parte fundamental da arte" deles. "É parte da razão pela qual mudamos as máscaras para cada álbum", afirmou.

Em seguida, Taylor fez uma comparação com o Kiss, que abdicou de suas máscaras e fantasias na década de 1980, embora tenha retornado na segunda metade dos anos 1990. "É diferente do Kiss, que sempre usou a mesma maquiagem e nunca evoluiu. Nós sempre mudamos entre os álbuns, não só as máscaras, como também as roupas. Dá para diferenciar de cada disco pelo uniforme", disse.

O vocalista disse que "coisas como essa preservam a relevância do Slipknot". "Isso mantém a música vibrante e os shows diferenciados, além de nos impedir de estagnar. Não nos vejo tirando as máscaras. Se eu tivesse essa noção de fazer o Slipknot sem máscaras, acho que seria tipo: 'bem... eh, não'", afirmou.

Por que o Slipknot usa máscaras

Em maio de 2019, Corey Taylor revelou à OC Weekly por que o Slipknot usa máscaras. O vocalista destacou que a justificativa se tornou diferente ao longo dos anos, já que, a partir de determinado momento, as pessoas já conheciam os rostos dos integrantes.

"A razão pela qual começamos a usar máscaras, em primeiro lugar, foi para retirar a ênfase da identidade e usar para entrar mais na música. Agora, após tantos anos, nós usamos as máscaras para deixar as performances mais intensas", afirmou o vocalista.

Taylor destacou, ainda, que as máscaras são uma característica muito peculiar do Slipknot. "É parte do que faz um show do Slipknot ser único, mas se você gosta da música, ela se destaca, não importa o que aconteça. Para nós, tem apenas a ver com fazer o melhor show para nosso público e nossos fãs. Se o seu coração está no lugar certo e você ama isso, não tem como dar errado", disse.

Comente: O que você acha da performance de palco e das máscaras do Slipknot?




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Corey Taylor: cantor anuncia álbum solo e lança clipe com Halford, Lars, Manson e maisCorey Taylor
Cantor anuncia álbum solo e lança clipe com Halford, Lars, Manson e mais

Corey Taylor: filho do vocalista se arrebenta andando de bicicleta, mas passa bemCorey Taylor
Filho do vocalista se arrebenta andando de bicicleta, mas passa bem

Corey Taylor: música do primeiro disco solo será lançada nesta quarta-feira (29)Corey Taylor
Música do primeiro disco solo será lançada nesta quarta-feira (29)

Knotfest: edição do festival no Brasil já tem data para acontecer, revela jornalistaKnotfest
Edição do festival no Brasil já tem data para acontecer, revela jornalista

Corey Taylor: vocalista divulga bastidores de vídeo de seu projeto soloCorey Taylor
Vocalista divulga "bastidores" de vídeo de seu projeto solo

Dorothea Taylor: vovozinha manda Slipknot, Disturbed e Paramore na bateriaDorothea Taylor
Vovozinha manda Slipknot, Disturbed e Paramore na bateria

Estados Unidos: várias grandes bandas de rock e metal recebem auxílio do governoEstados Unidos
Várias grandes bandas de rock e metal recebem auxílio do governo

Slipknot: Corey Taylor revela qual a sua música preferida da bandaSlipknot
Corey Taylor revela qual a sua música preferida da banda

Passinho metal: página bomba com funkeiros dançando Maiden, Metallica e maisPassinho metal
Página bomba com funkeiros "dançando" Maiden, Metallica e mais

Slipknot: Corey Taylor responde anúncio que procura cover dele para banda tributoSlipknot
Corey Taylor responde anúncio que procura cover dele para banda tributo


Corey Taylor: Quase me atirei da varanda de um hotelCorey Taylor
"Quase me atirei da varanda de um hotel"

Slipknot: oito imagens da banda através dos anosSlipknot
Oito imagens da banda através dos anos


Manowar: você acha as fotos da década de 80 ridículas?Manowar
Você acha as fotos da década de 80 ridículas?

Cultura inútil: Em quantas músicas Coverdale utilizou love (1)Cultura inútil
Em quantas músicas Coverdale utilizou "love" (1)


Sobre Igor Miranda

Jornalista formado pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU), com pós-graduação em Jornalismo Digital pela Universidade Estácio de Sá. Começou a escrever sobre música em 2007 e, algum tempo depois, foi cofundador do site Van do Halen. Colabora com o Whiplash.Net desde 2010. Atualmente, é editor-chefe da Petaxxon Comunicação, que gerencia o portal Cifras, Ei Nerd e outros. Mantém um site próprio 100% dedicado à música. Nas redes: @igormirandasite no Twitter, Instagram e Facebook.

Mais matérias de Igor Miranda no Whiplash.Net.

Goo336x280 GooAdapHor Goo336x280 Cli336x280 GooInArt