Amyl and the Sniffers: Um "novo" AC/DC?

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Rick Ruebell Bergmann
Enviar Correções  

Banda Punk formada em Melbourne no final de 2016, Amyl and the Sniffers, como? Banda Punk é um novo AC/DC? Calma Cocada. Primeiro vamos listar os marginais: Amy Taylor - vocal; Declan Martens- guitarra; Bryce Wilson - bateria; Gus Romer - baixo.

Slipknot: Corey explica as nojentas desvantagens das máscaras

Nirvana: Krist Novoselic comenta o suicídio de Cobain

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Sobre as semelhanças do Amyl com o AC/DC, a questão é olhar para o instrumental da banda, a Amy é uma ótima vocalista e frontwoman para o Amyl, mas o estilo vocal das músicas deles não tem nada a ver com os vocais do AC/DC, então esqueça compará-los nos vocais, a questão é o instrumental.

No meio do Punk Rock eles são volte e meia criticados por serem, supostamente, "lentos" para serem uma boa banda Punk, alguns fãs de Punk dizem que eles deveriam tocar mais acelerados, ao mesmo tempo, quando perguntados sobre seu estilo musicals eles, a banda, gosta de se intitular como uma banda de Pub Punk, a explicação oficial é uma zoeira de que eles são uma banda Punk que toca em botecos, mas por trás dessa zoeira está se justificar para as críticas de "banda lenta", é como se eles falassem algo como "sim, nós não somos uma típica banda Punk, somos mais como uma banda e amigos tocando para curtir uma noite no bar".

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Esse é o ponto, esse tal de "Pub Punk" significa que eles não são exatamente Punks, eles têm algo além no seu som, basicamente no instrumental, eles têm riffs com variações de andamento, intercalados com "guitarradinhas"/solos boogies, às vezes beirando o Blues, eles têm uma bateria básica mas que sustenta a pegada o tempo todo, e eles tem um cavalo no baixo, mas calma ai, o baixo não é exatamente um destaque no AC/DC, sim verdade, mas o baixo no Amyl não funciona com o no AC/DC, no Amyl o baixo é super destaque, super pesado e audível o tempo todo, aqui está uma diferença que na verdade os torna parecidos com o AC/DC, porque o Amyl tem apenas uma guitarra, só que o baixo aparece tanto quanto a guitarra, então, o Declan e o Gus tocam no Amyl não como o Malcolm/ou/Angus e o Cliff tocam no AC/DC, eles tocam como o Malcolm e o Angus tocam no AC/DC (falando da história da banda, claro, eu sei que o Malcolm já não está mais aqui, seu bocó), e o Declan e o Gus fazem isso trocando de papel o tempo todo, quando durante tal música o Declan faz a guitarra base o Gus fica espalhando notas altas e pesados no baixo, em seguida o Declan parte para um solo de guitarra e então o Gus vai fazer a base na música no baixo, é uma combinação, um introsamento muito interessante que lembra a síntonia entre os irmãos Young, vale dizer que o Gus não é da formação original, mas ele é uma peça fundamental, que foi buscada Tasmânia, ele deu um novo peso e energia para a banda; outra semelhança entre o Amyl e o AC/DC são os back-vocals meio agressivos, meio escrachados, atacando os microfones com a mesma pegada que tocam seus instrumentos (os primeiros albums do AC/DC tem back-vocals assim), por fim, tem a semelhança de "zero frescura" no som, direto ao que interessa, começa no máximo e depois se vire para conseguir aumentar a pegada ainda mais. E claro, eles citam o AC/DC como uma grande influência.

Vale lembrar, na sua chegada na Europa em 1976 o AC/DC foi confundido, misturado com o movimento Punk, vale lembrar também que Melbourne é uma cidade fundamental no crescimento, na construção do AC/DC, nasceram em Sydney mas se tornaram uma banda cascuda pra valer quando se mudaram para Melbourne no início de 1975, mas essas são apenas curiosidades e entre as duas bandas, nada além disso.

Mas melhor do que ler todo esse blá blá blá é você conferir a banda e ver se eles têm algo de AC/DC, então deixarei quatro ou cinco vídeos, para começar o clipe de seu maior "sucesso" e que também é sua melhor música em versão de estúdio, clipe de Some Mutts (Can't Be Muzzled) vale dizer, a Amy tem uma bundinha linda e ela não tenta esconder isso, o rabinho dela meio que faz parte da personalidade musical da banda, mas ela dá muita conta do recado como vocalista e frontwoman, não é apenas um rabinho MUITO bonito.

Outro clipe bacana deles é Got You, os outros são meio pé no saco. Sobre os cabelos mullets, por enquanto, uma marca da banda, caso você não saiba esse corte de cabelo surgiu na Austrália no fim dos anos 70 como um tipo de "cabelo Punk Australiano", como aquele país também é um forte mercado a música Country é fácil imaginar o caminho que esse cabelo pegou, o Amyl adotou esse cabelo como uma forma de "fingir" que vivem nos anos 70, particularmente eu acho tudo isso desnecessário, mas não chega a atrapalhar.

Mas vamos ao que interessa de verdade, performance ao vivo, nas versões de estúdio e nos clipes eles são bacanas e tal, mas no palco essa banda prova ter algo de especial.

Para começar, uma performance BRUTAL de Some Mutts em um boteco em San Francisco, março de 2019, palco pequeno, cercados pelo público, suor pingando no teto, banda socando muito, Amy virando SpiderWoman, quase volta com um drink, Declan tocando muito uma guitarra muito além de Punk, Gus assassino no baixo e no back-vocal, confere ai a pegada, a energia e a vibe ao vivo deles.

Outra ótima música deles em um ótima performance ao vivo, Westgate, ao ouvir essa levada riffada ai não vêm na tua cabeça a imagem do Angus correndo pelo palco? E o Gus dá outra aula no baixo e a Amy como lider.

Vale a pena também conferir o bom humor deles nas entrevista, outra semelhança com o AC/DC, a parte da questão musical é claro, nessa entrevista aqui o Declan dá uma resposta bem "legal" a partir dos 1:50s.

Para terminar, show completo no tal Burger Boogaloo em Oakland em julho de 2019, performance sensacional do início ao fim, atmosfera incrível do local, o caras tocam muito, a Amy passa o show inteiro subindo nos amplificadores para chegar mais perto do público, também fica o tempo todo brincando com o R puxado do sotaque australiano, ela é uma figura muito carismática no palco, não é uma punkzinha azeda com ódio do mundo, show começa com GFY (Go Fuck Yourself) na sequência Balaclava Lover Boogie, ai vem I'm Not A Loser, Cup of Destiny, Got You, é pedrada atrás de pedrada, mas destaco as duas que já falamos aqui, aos 17:21s começa Westgate e aos 29:32s Some Mutts, duas performances animalescas, o link tem 43 minutos, mas o show termina aos 36, foi uma transmissão ao vivo e então no fim ficou com esses minutos extras, confere ai esse show sensacional dessa sensacional banda nova.

Eles estão com contratos assinados com importantes empresas musicais Britânicas, mas o coronavírus congelou os planos para esse meio de ano, mas tenha certeza, depois da covid esses vira-latas vão contaminar o mundo com seu Pub Punk Rock australiano, apenas aguarde.




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Slipknot: Corey explica as nojentas desvantagens das máscarasSlipknot
Corey explica as nojentas desvantagens das máscaras

Nirvana: Krist Novoselic comenta o suicídio de CobainNirvana
Krist Novoselic comenta o suicídio de Cobain


Sobre Rick Ruebell Bergmann

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, enviando sua descrição e link de uma foto.

Cli336x280 CliIL Cli336x280 CliInline WhipDin