Edu Falaschi: "Vivo hoje a melhor fase da minha carreira!"

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Fabio Pitombeira, Fonte: FullRock
Enviar correções  |  Ver Acessos

EDU FALASCHI inicia em 2017 uma nova fase em sua carreira, tanto com o ALMAH quanto com a sua carreira solo, esta última com shows sendo agendados por todo Brasil, tendo em seu repertório os principais clássicos da sua fase no ANGRA, e ainda contando com Aquiles Priester (baterista) e Fabio Laguna (tecladista).

Sexo e Rock and Roll: músicas com conotação sexualAlice in Chains: mensagem subliminar na capa de The Devil Put Dinosaurs Here

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Fomos conversar com o cantor que, como sempre, foi muito solícito.

No ano de 2015 você comemorou 25 anos de carreira, com diversas ações e lançamentos. Como foi este período de celebração na sua vida? Se sente realizado com tamanho reconhecimento?

Edu Falaschi: Sim, muito realizado, foi muito cansativo também, eu gravei dois discos em um ano, o "Moonlight" e o "E.V.O" do ALMAH, além de outras coisas como tours, etc. E ainda fui agraciado com um CD tributo a minha historia! Jamais esquecerei este momento!

Neste primeiro semestre de 2017 a mídia mundial foi tomada de assalto, com o anúncio de sua carreira solo, tendo como foco os principais clássicos de sua fase no ANGRA. Como se deu essa ideia, tendo em vista que o ALMAH lançou um grande disco em 2016?

Edu Falaschi: Exato, desde que eu sai do ANGRA em 2012 eu recebo pedidos de vários lugares para cantar músicas da banda! No Brasil e exterior (principalmente)! Depois de alguns anos eu decidi que esse é o momento certo para isso! Comecei no Peru, em Lima, e foi assustador ver tanta gente cantando comigo as músicas clássicas de quinze anos atrás! Estávamos muito emocionados! É muito legal relembrar os tempos de "Rebirth" e "Temple Of Shadows" principalmente!

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Ainda falando da sua recém anunciada carreira solo, destaco as presenças dos seus ex-companheiros de ANGRA, Aquiles Priester (baterista) e Fabio Laguna (tecladista). Tem muitos anos que vocês não trabalham juntos, então, como se deu esta reaproximação para este projeto?

Edu Falaschi: Liguei para o Fabio, falei do projeto, ele abraçou a ideia. Ele me passou o telefone do Aquiles, ai falei com ele, prontamente aceitando meu convite! Foi tudo bem tranquilo e natural. Eu acho que temos todos que nos unir! Eu faço o possível para juntar a galera! Toco com o ANGRA como convidado, fiz o show Ballads com o Luis Mariutti (ex-ANGRA), Ricardo Confessori (ex-ANGRA), Demian Tiguez (ex-SYMBOLS) e o Junior Carelli do NOTURNALL, agora estarei com o Aquiles Priester e o Fabio Laguna no EDU FALASCHI REBIRTH OF SHADOWS TOUR, que também conta com o guitarrista Roberto Barros, além dos meus companheiros de ALMAH, Dafras e Mafra. Isso será histórico!

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Edu Falaschi: Eu sempre digo que a nossa música, nosso legado, é maior que qualquer ressentimento, pois os fãs de verdade querem curtir o som e não ficar tomando partido em brigas desnecessárias! Além de que, eu já me sinto mais velho, mais cansado, quero distância de polêmicas e confusões. Sabe aquela sensação de realização? É o que sinto! Todos os dias acordo e agradeço a Deus por ter me dado a vida que eu sempre quis! Fiz muitas, mas muitas coisas, nesses mais de vinte e cinco anos de carreira. Foi intenso, sem parar, muita luta, sonhos concretizados e outros não, tomei muita rasteira da vida e de pessoas, me levantei e me reergui por mais de uma vez, então, hoje estou na minha plenitude como profissional e como pessoa! Sinceramente? Sinto que o fim está próximo! Tipo, missão cumprida, sabe? Então quero aproveitar ao máximo essa fase! Meu espírito guerreiro ainda levanta a bandeira e vai pra cima! Vamos curtir juntos o ALMAH e as turnês do EDU FALASCHI REBIRTH OF SHADOWS TOUR e Ballads!

04. Esperamos que sua carreira ainda dure por muitos e muitos anos! (Risos). Enfim, para que não fique confuso para a imprensa e fãs, recentemente teve um show em São Paulo, que contou com os também ex-ANGRA Ricardo Confessori (baterista) e Luis Mariutti (baixista), onde vocês executaram diversas baladas compostas por você. Como surgiu essa ideia e no que essa banda se difere da que contará com Aquiles e Laguna?

Edu Falaschi: A ideia do Ballads veio do empresário Paulo Baron, para comemorar o dia dos namorados, tocando só as baladas da minha carreira, principalmente com o ANGRA, mas fazemos umas do ALMAH também, além de covers! Foi genial da parte do Baron! Deu super certo! A banda se animou e quer fazer mais desses shows! Foi sensacional! É um show tocando apenas músicas lentas! Apesar que muitas delas tem partes pesadas, mas são essencialmente baladas!

Edu Falaschi: O show EDU FALASCHI REBIRTH OF SHADOWS TOUR com o Aquiles e Laguna é um show tradicional, com as músicas rápidas como "Spread Your Fire", "Temple Of Hate", "Nova Era", "Live And Learn", e é apenas ANGRA, dos meus tempos de "Rebirth" até o "Aqua"!

Juntamente com o anúncio do show, mencionado na pergunta anterior, foi lançada uma coletânea digital com algumas das melhores baladas de sua carreira. Todos estes projetos envolvendo a sua carreira solo estão interligados ou cada um foi sendo concebido individualmente?

Edu Falaschi: Existe um planejamento! Tudo faz parte de um projeto que trabalha minha carreira solo como um todo, tornando ela real e consolidada! Mas como eu sempre digo: a música é o alicerce de tudo! Se ela existe como arte e é de qualidade, bem feita e com conteúdo, se torna possível esse planejamento!

Então, com tudo muito bem explicado por você, só me resta perguntar: Como está sendo revisitar suas músicas do ANGRA nesta etapa da sua carreira? Você sente falta dos momentos que passou como vocalista da banda?

Edu Falaschi: Está sendo maravilhoso! É muito confortável hoje em dia! Estou muito feliz de cantar músicas do "Rebirth" e "Temple of Shadows" de novo! Claro que sinto saudades daquela época! Sinto saudades de muitas coisas, da nossa juventude no "Rebirth", das turnês malucas, das minhas primeiras viagens internacionais, etc! Não temos que ter vergonha de sentir saudades! Foram anos maravilhosos para todos nós! Foi muito legal! Sentir saudades não quer dizer que o passado foi melhor que o agora! Certamente no futuro sentirei saudades do hoje! É natural! Eu sinto muito amor por tudo o que construimos juntos! É muito carinho! Mas também amo tudo do Hoje! Minha filha e esposa, minha vida, minha banda, meus amigos e meu futebol de fim de semana!

Mencionei acima o álbum "E.V.O", último álbum lançado pela sua banda, ALMAH. Após sete meses do seu lançamento, qual a repercussão do mesmo diante da mídia especializada e fãs? Podemos esperar uma turnê mais abrangente em suporte a este disco?

Edu Falaschi: Olha, vocês sabem que eu sou super sincero! O álbum é maravilhoso! Foi o disco do ALMAH que mais fez sucesso perante as críticas de mídia e fãs! Porém, fizemos pouquíssimos shows no início dessa turnê, e isso se deu por alguns motivos. Primeiro pelo momento em que o país se encontra! Estava pior meses atrás, isso gerou, pelo menos pra nós, uma demanda menor por parte de produtores de shows! Por outro lado foi bom pra gente organizar e planejar projetos futuros como um possível DVD do ALMAH! Ainda estamos em turnê, o CD "E.V.O" saiu não tem nem um ano, então temos tempo e estamos organizando mais shows do ALMAH pro segundo semestre!

08. Pegando carona na pergunta anterior, principalmente porque gostei bastante do último álbum do ALMAH, recentemente a banda lançou um novo videoclipe, para a música "Pleased To Meet You", que possui um tema político e polêmico, com imagens do atual presidente americano Donald Trump e do ditador norte coreano Kim Jong-un. Qual sua posição diante do atual estado que o mundo se encontra politicamente, e como sua visão de mundo se conectou com este trabalho audiovisual?

Edu Falaschi: Como eu disse, estamos produzindo! A banda é importante pra gente! E esse clipe veio no momento certo! "Timming" perfeito! É super atual e mostra a realidade do mundo! Eu vou falar a verdade do que sinto! Acho que o ser humano está "bugando". A humanidade está se perdendo! Essa geração está completamente desnorteada! No sentido literal! Estão sem "norte"! Sem rumo e o que é pior, sem esperança! Eu não me adapto a esse mundo atual! Por isso vou ficando cada vez mais na minha!

Mudando um pouco o rumo desta pauta, ficamos sabendo que acontecerão ótimas parcerias com você, primeiro, o convite para gravar com a grande banda Francesa HEAVENLY ao lado de ilustres convidados e também o show com a maior banda de Metal da Espanha, a AVALANCH. Como se deu essas parcerias e o que você pode dizer sobre a cena Metal daqueles países?

Edu Falaschi: Sim, o HEAVENLY me chamou para cantar numa música do seu CD novo que terá muitos convidados importantes! E também fui convidado pelo AVALANCH a participar do show de DVD deles em Madri! Esse show marca a reunião dos caras! Eles são a maior banda de Metal da Espanha! Será uma grande honra e um desafio cantar em espanhol! Toquei muitas vezes na Espanha e, especialmente, França e a cena é bem forte por lá!

10. Outro tema digno de estar nesta entrevista, é que recentemente os dois discos do SYMBOLS que contaram com você nos vocais, foram lançados no Spotify, Deezer, além das principais plataformas digitais do mercado. Como pintou essa ideia? O SYMBOLS ainda tem um valor inestimável para você, correto?

Edu Falaschi: Sim, é muito importante pra todos nós que tocamos na banda! Acho legal estar disponível em streaming para a nova geração conhecer a história do SYMBOLS!

Aproveitando sua experiência, tendo vivido de perto o mercado fonográfico em ascensão e, principalmente, a sua decadência, como você avalia a comercialização de produtos físicos e agendamento de shows nos dias de hoje?

Edu Falaschi: A indústria fonográfica tradicional está morta! O mundo mudou, o mercado da música mudou, o jeito de se fazer música mudou e o de se ouvir também mudou! O LP, Fita Cassete e CD existiram porque era necessário ter algo físico para transportar a música!

Edu Falaschi: Hoje isso não é necessário! Não faz sentido mais ter um CD se você pode ter o streaming! Claro que tem gente como eu, que curte as capas, os encartes, mas somos minoria! A nova geração é sem paciência, tudo é muito rápido pra eles, não se apegam mais a nada, ninguém mais ouve um CD inteiro, hoje descobrem uma banda, amam por um dia, daí já vem outra banda e assim por diante! Mas cara, quer saber a real? Tudo bem! A vida é assim! As coisas mudam! Vai ficar choramingando!!? Tem que se trabalhar com as ferramentas que estão disponíveis! O mundo da música agora é virtual! E que seja! Uma coisa nunca vai mudar! Sempre existirão pessoas querendo fazer música e outras querendo ouvir música! O que mudou é o jeito de conectar as duas partes! Quem for inteligente, talentoso e inovar vai se dar bem! Desejo toda a sorte do mundo para os novos artistas! Como eu já disse, sinto que já fiz o que tinha que fazer e agora apenas curto o momento e aproveito do que plantei! Faço usofruto do meu legado e estou muito feliz com esse momento!

Quais os seus planos para o segundo semestre de 2017 e em 2018?

Edu Falaschi: Fazer shows e um possível DVD do ALMAH, turnê mundial do EDU FALASCHI REBIRTH OF SHADOWS TOUR e também fazer o show Ballads quando possível! Tenho alguns lançamentos pra fazer que serão anunciados no momento certo!

Obrigado Edu pelo seu tempo. Como sempre é um grande prazer entrevistá-lo. É chegada a hora das suas considerações finais...

Edu Falaschi: Obrigado a vocês e aos fãs pelo apoio de sempre!




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção EntrevistasTodas as matérias sobre "Edu Falaschi"Todas as matérias sobre "Angra"


Kiko Loureiro: em vídeo, debulhando no solo de Tornado of SoulsKiko Loureiro
Em vídeo, debulhando no solo de "Tornado of Souls"

Angra: ouça o cover de Walk do Pantera com Renatón nos vocaisAngra
Ouça o cover de "Walk" do Pantera com Renatón nos vocais


Sexo e Rock and Roll: músicas com conotação sexualSexo e Rock and Roll
Músicas com conotação sexual

Alice in Chains: mensagem subliminar na capa de The Devil Put Dinosaurs HereAlice in Chains
Mensagem subliminar na capa de The Devil Put Dinosaurs Here


Sobre Fabio Pitombeira

Trabalha desde 2002 com produção de shows em Teresina. Teve a oportunidade de trabalhar com grandes nomes do Heavy Metal e Rock and Roll como Paul Di Anno, Ira!, Hangar, Angra, Shaman, Andralls, Drowned, Clamus, Dark Season, Megahertz, Anno Zero Empty Grace, Mordydia, Káfila, entre outros.

Mais matérias de Fabio Pitombeira no Whiplash.Net.

Goo336x280 GooAdapHor Goo336x280 Cli336x280