Angra: repaginando o guarda-roupa - entrevista com Andreolli

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Pedro Hewitt, Fonte: FullRock
Enviar correções  |  Comentários  | 

Com um número de shows gigantescos para o ano letivo e faltando poucos dias para o show aqui em Teresina, Felipe Andreolli disponibiliza um pequeno tempo para responder a primeira parte de uma entrevista desenvolvida por mim (Pedro Hewitt) e Larissa Vieira. Ele fala um pouco sobre a demora do lançamento do novo álbum, detalhes de shows, curiosidades do novo line-up, entre outras coisas, leiam:

116 acessosAltair: comédia diabólica de Progressive/Power Metal5000 acessosAstros do rock: o patrimônio líquido de cada um

Pedro Hewitt: Nobres amigos é um enorme prazer executar essa entrevista em nome da Full Rock, ao lado da Larissa Vieira com uma das bandas que melhor representa o metal brasileiro. Antes de mais nada, queria saber como a banda reagiu com o ‘’boom’’ de Secret Garden?

Felipe: Olá Pedro, o prazer é todo meu! Foi fantástico acompanhar a reação das pessoas ao Secret Garden, especialmente por se tratar de um momento tão único na nossa história, onde contamos com dois novos membros, Fabio e Bruno. É claro que, quando estávamos compondo, dava pra sentir que ali tinha algo muito especial, mas é somente quando o disco é finalmente revelado que o verdadeiro potencial dele se manifesta. Não poderíamos estar mais satisfeitos!

Larissa Vieira: Cheguei a ler no site oficial da banda uma nota sobre esse oitavo álbum, nela consta que as musicas contam em capítulos a historia do cientista Morten Vrolik. O que quero saber é toda a inspiração do cd foi retirado da história dele? Por que justo esse tema? A demora do lançamento de outro material após o Aqua foi pelo fato de uma longa procura para o novo tema ou por conta da entrada do Lione?

Felipe: A estória desse cientista foi a maneira que encontramos pra sintetizar todas as ideias que foram surgindo ao longo do processo de composição. Os conflitos internos que ele passa são também reflexo das diferentes maneiras de encarar o mundo que cada um de nós tem. A nossa diversidade de pensamentos alimenta essa trama. A demora em lançar novo material foi puramente circunstancial. Com a entrada do Fabio em 2013, fazia mais sentido cair na estrada do que se trancar em um estúdio. Dessa maneira pudemos nos conhecer e entrosar melhor, e também sentir a reação do público.



Larissa Vieira: Ainda sobre o álbum, eu também li que contou com a participação de Simone Simons (Epica), da rainha Doro Pesch, além da pré-produção de Roy Z. Isso demonstra o quanto à banda evoluiu com o passar dos tempos, o que isso significou para vocês? Houve consequências com esse aumento da fama?

Felipe: Ter essas pessoas participando do disco traz muita credibilidade, e isso é resultado da história que o Angra construiu ao longe de 23 anos. Se hoje podemos contar com grandes nomes em um trabalho nosso é porque eles também nos respeitam por toda a nossa trajetória. Musicalmente, a presença de cada participação traz variedade de timbres e texturas, e nos ajuda a contar a história do disco de maneira mais fiel.

Pedro Hewitt: O álbum preferido meu e da Larissa é nada mais, nada menos que o Rebirth, que ao meu ver foi um início muito bom para o lado ‘’comercial’’ da banda. Após 14 anos do lançamento, como vocês percebem esse disco na carreira até agora?

Felipe: Eu hoje por coincidência estava revendo algumas fotos e matérias daquela época, e foi um período muito legal. No meu caso, havia ainda uma inocência e um sonho muito grande, que aos poucos foi se concretizando, levando a banda a lugares que eu nem poderia imaginar. O disco em si foi de extrema importância, porque mostrou a uma multidão de incrédulos que o Angra estava vivo e muito bem, com energias renovadas, e pronto pra dar sequência à carreira que, na época, completava 10 anos. Ainda gosto muito de tocar as músicas desse disco que, estilisticamente falando, são uma transição entre o “velho” e o “novo” Angra.

Pedro Hewitt: Para finalizar, haverá um setlist especial para o show? Podemos esperar novidades/surpresa? Agradecemos muito pelo tempo que disponibilizaram para responder as pergunta. Nós desejamos uma ótima e agradável turnê, e Teresina está aguardando ansiosamente pelo show.

Felipe: A tour acabou de começar, mas já estamos planejando mudanças no set list ao longo dos shows. Tem músicas novas e antigas que queremos incluir no repertório, inclusive algumas que não tocamos há muitos anos. Podem esperar surpresas sim!

Créditos de fotos: Fanpage Facebook Angra, Rock Meeting, ítalo Superstamps

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Mais comentários na Fanpage do site, no link abaixo:

Post de 05 de junho de 2015

AngraAngra
Em vídeo, Rafael revela nome e conceito do novo álbum

116 acessosAltair: comédia diabólica de Progressive/Power Metal766 acessosAngra Fest: com Massacration, Geoff Tate, Noturnall e outros0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Angra"

AngraAngra
Como fica "Carry On" nas vozes do Van Canto

Rafael BittencourtRafael Bittencourt
"O que vou ensinar para este menino?"

Paganini e o Heavy MetalPaganini e o Heavy Metal
A onipresença do "Capriccio nº 24" no Heavy Metal

0 acessosTodas as matérias da seção Entrevistas0 acessosTodas as matérias sobre "Angra"0 acessosTodas as matérias sobre "Rhapsody"

Astros do rockAstros do rock
O patrimônio líquido de cada um

NightwishNightwish
Participação de Dawkins em álbum irritou alguns fãs

Pink FloydPink Floyd
As 10 melhores escolhidas pela UCR

5000 acessosAs regras do New Metal/Nu-metal5000 acessosGuns N' Roses: A crítica de Portnoy ao trabalho de Matt Sorum5000 acessosÓdio musical: os artistas mais detestados em lista da Spinner5000 acessosPhil Anselmo: "Eu odeio astros do rock"5000 acessosCapas de discos: agora com ícones da cultura pop5000 acessosDan Spitz: a vida complicada do pai de filhos gêmeos autistas

Sobre Pedro Hewitt

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, entre em contato enviando sua descrição e link de uma foto.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em junho: 1.119.872 visitantes, 2.427.684 visitas, 5.635.845 pageviews.

Usuários online