Alefla: entrevista com a vocalista Fla Moorey

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Cláudia Nascimento, Fonte: JacareZine Brasil
Enviar correções  |  Ver Acessos

Com 9 anos de estrada e muita experiência adquirida nesse tempo, a banda ALEFLA (Pindamonhangaba - SP) está a todo vapor com o processo de finalização do seu novo álbum "End of the World" que será lançado ainda nesse semestre. A banda mostra muita qualidade e profissionalismo, além de estarem prontos para mostrar seu novo trabalho e preparados para expandir sua base de fãs muito além da cena local. Em entrevista para o JacareZine a vocalista (diga-se de passagem simpaticíssima) Fla Moorey, falou a respeito do processo de gravação/composição desse novo registro e sobre a trajetória da banda.

Dr. Sin: Agora todo mundo lamenta? Vão se foder!, diz Regis TadeuRachel Sheherazade: uma bela versão de Iron Maiden a capella em novo vídeo

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Primeiramente, gostaria que você fizesse uma breve apresentação da banda para quem não conhece.

Ola pessoal do JacareZine Brasil, gostaríamos de agradecer pela oportunidade e por divulgar o trabalho das bandas. Somos uma banda de Heavy Metal, iniciamos nossa caminhada em 2004 na cidade de Pindamonhangaba, e atualmente estamos trabalhando no nosso primeiro registro, END OF THE WORLD. No começo a banda era uma reunião de amigos, algo para diversão, mas com o passar do tempo os ensaios começaram a ficar mais direcionados e decidimos nos fixar como banda e iniciar nosso trabalho que dura até hoje.

Qual o significado de ALEFLA?


Começou como uma brincadeira, mas a palavra ALEFLA nasceu da junção das iniciais dos integrantes que fundaram a banda "Alexandre, Leandro e Flávia", tínhamos vários nomes em mente e pensamos em muda-lo algumas vezes, mas por ser um nome único, entre milhares de bandas que existem, e de fácil pronúncia, decidimos investir e seguir com o nome ALEFLA. Parece que acertamos kkkkk.

O novo álbum da banda está sob condução de Tito Falaschi, como que foi/está sendo trabalhar com eles?

Está sendo uma experiência monstruosa, podemos dizer que musicalmente e profissionalmente aprendemos muito. O TITO FALASCHI é o encarregado de todo o trabalho de produção, mixagem e masterização, e desde o primeiro contato soube extrair o melhor de cada integrante nas composições e execuções. Tentamos absorver todos os pontos que ele elogiou, criticou e aconselhou para melhorarmos nosso trabalho, isso na atmosfera musical, visual e na qualidade de apresentação ao vivo e instrumental, foi muito importante pra banda essa parceria, pois além da gravação, conhecemos o JOAO DUARTE (que cuidou de toda a parte visual da banda) e estamos no cast da MS METAL PRESS (assessoria de imprensa), que será a distribuidora e fará o lançamento de nosso CD. Vale muito a pena buscar um profissional para realizar o registro da sua banda e o TITO FALASCHI nesse meio, heavy metal, é o melhor produtor do país. Deixar a título de curiosidade, somos fãs deles desde o Symbols então imaginem como está sendo essa experiência.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Ainda em relação ao álbum "End of the World" (que será lançado segundo semestre de 2014) como está o processo de gravação e como foi o processo de composição, desde a escolha do nome, arte e o tema.

Atualmente terminamos a gravação das 11 músicas e os trabalhos estão concentrados na Mixagem final. Como iniciamos esse a fase de composições em 2007, existem músicas muito antigas (Killing Sparrow, Battlefield) e outras relativamente novas (Watching Over Me, Seven Sign), as ideias iniciais são apresentadas pelo Alexandre Nascimento e através desse primeiro respiro que a banda trabalha e do corpo as obras. O interessante destacar que a banda conseguiu uma identidade quando começamos a utilizar as guitarras de 7 cordas, que deram mais peso e profundidade a minha voz. O nome do álbum seria KILLING SPARROW, que foi a primeira composição da banda, mas após a finalização e a releitura das musicas, em conjunto com o TITO FALASCHI, decidimos mudar o nome para END OF THE WORLD e o João Duarte fez a concepção das artes em cima da letra e das propostas que passamos a ele, o resultado foi simplesmente perfeito!!!!!

Fale um pouco sobre as influências da banda.

As principais influências da banda são IRON MAIDEN, METALLICA, MEGADETH, NEVERMORE, STRATOVARIUS, HELLOWEN, AFTER FOREVER, NIGHTWISH, TARJA e MASTERPLAN

E o mercado de shows?

Há festivais e outros bons eventos espalhados pelo país, porem são pontuais, muitas cidades não possuem um local, ou eventos regulares do estilo, dando prioridade a bandas covers as autorais. Muitos fests são criados por um ou um grupo de amigos que curtem o estilo (Cachoeira Rock Fest, Guaru Metal Fest, Trinka Metal) e na nossa região temos alguns locais que acreditam e cedem espaço para bandas autorais (Cervejaria Obvio, Hocus Pocus) , mas o principal fator que faz o mercado ser restrito é o baixo público comparado a outros estilos musicais.

Nesses 9 anos de banda quais foram as maiores dificuldades?

As dificuldades sempre fizeram a banda crescer e isso que nos motivou até hoje. Poderíamos citar vários acasos, mas os principais são:
7 meses sem baixista e baterista, mesmo assim continuamos e escrevemos Killing Sparrow e Hope to Live.
No final de 2013 Julio e Jonathan deixaram a banda, foi uma pancada bem forte, pois as gravações estavam terminadas, todas as músicas ensaiadas e a formação perdurava por alguns anos.
Mas como citado, quando ficamos parados conhecemos Paulo Ferreira, que atualmente é nosso baterista e com a saída do Julio e do Jonathan, Leandro Pimenta (fundador da banda) retornou e Renan Lucena ingressou como novo guitarrista do ALEFLA!!!!

Como você descreveria a cena independente do Vale do Paraíba, em relação a eventos e bandas.

Existem muitos músicos capacitados na nossa região, não teria espaço e memoria para dizer todos, mas existem bandas com trabalho sério, pessoas que procuram realizar algo com qualidade e se preocupam em apresentar isso ao público. Poucos são os eventos que tem um bom som, um local adequado, mas a cena independente está relacionada a isso, o problema muitas vezes é a falta de uma maior união. Nesse tempo que estamos juntos, muitas bandas iniciaram e terminaram sem conseguir deixar algo na memória, muitos locais aconteceu o mesmo, nós do ALEFLA queremos seguir outro caminho, esperamos que nosso registro deixe algo de bom para os ouvintes e ao metal do Vale do Paraíba, e ao Metal da nossa cidade!!

Para ler a entrevista na integra acesse:
http://www.jacarezine.com




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção EntrevistasTodas as matérias sobre "Alefla"


Dr. Sin: Agora todo mundo lamenta? Vão se foder!, diz Regis TadeuDr. Sin
Agora todo mundo lamenta? Vão se foder!, diz Regis Tadeu

Rachel Sheherazade: uma bela versão de Iron Maiden a capella em novo vídeoRachel Sheherazade
Uma bela versão de Iron Maiden a capella em novo vídeo


Sobre Cláudia Nascimento

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, enviando sua descrição e link de uma foto.

Goo336x280 GooAdapHor Goo336x280