JackDevil: entrevista com o baixista Renato "Speedwolf"

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Marcos Koskinen, Fonte: Jackdevil Fans
Enviar correções  |  Comentários  | 

"Speedwolf" fala sobre as gravação do EP "FASTER THAN EVIL", sobre sua história como baixista e fala como o André é fera em arte gráfica, entre outras coisas. Confira a entrevista na íntegra, conduzida por Marcos Koskinen:

4731 acessosJackdevil: Extremistas e homofóbicos deveriam largar o metal5000 acessosComo batizar a criança: os nomes de bandas mais estúpidos

Marcos: Primeiramente eu queria dizer que é uma grande honra estar entrevistando você, eu sou um grande fã do seu trabalho e estou muito feliz pela oportunidade. Para começar conte-nos um pouco dos primórdios da banda, como começou toda essa loucura de Thrash Metal?

Renato: A Jackdevil começou comigo e com o Andrezão. Pouca gente sabe, mas nós começamos como um trio. Nesta época quem tocava bateria era Raul “Animal”, um dos bateristas mais feeling/técnica que já tive o prazer de dividir palco, viajar, compor e tocar. Depois de aproximadamente 3 meses de ensaios decidimos chamar o Yuri Abelha pros vocais, um cara que eu sou amigo desde 1999. Com esta formação gravamos o EP Road to Hell, porém nunca o lançamos. Partimos pros primeiros shows e o Raul por motivos pessoais preferiu sair da banda. Em paralelo nós decidimos que o André deveria voltar a assumir os vocais. Abelha saiu da banda. O André então retorna com força total à frente da banda, melhor do que nunca!

Marcos: E como foi a entrada do guitarrista Ricardo Andrade e do baterista Filipe Stress?

Renato: Como continuação da resposta anterior: Encontramos o Ric meio que por acaso, o mesmo tinha apenas 17 anos e era fã de tudo aquilo que a gente escutava no começo da banda. Nem rolou teste, quando o conhecemos sabíamos que ele era dono da lacuna que existia na banda naquele momento. O Raul, mesmo passando por dificuldades ainda fez alguns shows nessa época para que a banda não parasse, hoje sou muito grato a este rapaz. Foi então que nós tivemos a ideia de chamar Chabinho pra banda. A realidade é que ele tocava muito mal. Mas não sei explicar, só sei que apostamos nele e demos todas as condições para que ele pudesse evoluir. Hoje quando vejo o Ric e Chambinho firmes na banda e recebendo os elogios do grande público como grandes instrumentistas que se tornaram, sinto a sensação de ter tomado as decisões corretas!

Marcos: A banda esta prestes a fechar contrato com uma gravadora, certo?, você poderia nós contar mais detalhes dessa grande novidade?

Renato: Não posso dar detalhes. O que posso dizer é que estamos sendo sondados por uma grande gravadora mundial, responsável pelo suporte a excelentes trabalhos dos grandes titãs do metal mundial.

Marcos: como foi ser escolhido pelos leitores do site Whiplash.net como a banda Revelação de 2012?

Renato: Cara, isso significou muito pra gente. Eu mesmo nunca vou me esquecer disso. Este reconhecimento chegou após muito trabalho realizado em 2011 e 2012. O curioso é que na época tínhamos apenas a demo Under The Satan Command! A votação foi pelo grande público e feita em dois turnos. Nossa banda ser escolhida demonstra essa a descentralização de produção de música autoral dos grandes centros culturais tradicionais do Brasil.

Marcos: Como foi a gravação do primeiro EP "Oficial" da banda e a produção do videoclipe?

Renato: Na verdade o Under The Satan Command é uma demo. Sua gravação foi em Dezembro de 2011. Gravamos todos os instrumentos de uma só vez e a mixagem final ficou por conta de nosso amigo Cid Campelo. A gravação do clipe também foi aos moldes de produções sem nenhum orçamento. Não tínhamos nenhum dinheiro! Porém acredito que as lentes conseguiram captar a atmosfera que nós almejávamos. Fizemos algumas imagens andando pelo Centro Histórico e captamos as imagens principais no Estúdio Acústica. Porém esta empreitada só foi possível através do apoio do Rogério Acústica, Vinícius Aquino e Diones Hendrix.

Marcos: e como foi a gravação o 2 EP "FASTER THAN EVIL"?

Renato: Já a gravação do Faster Than Evil, vou envolta em todo um trabalho de pré-produção por parte da banda e produção por Cid Campelo e Felipe Hyily. Desde o momento em que estávamos em processo de composição já sabíamos que este material seria capaz de representar muito bem a fase atual da banda. Tenho muito orgulho desse EP que em apenas 4 meses de lançamento já bate records de downloads em nossa página.

Marcos: Comente sobre a arte da capa do EP?

Renato: Foi integralmente feita pelo André Nadler. Pouca gente sabe, mas ele é fera em arte gráfica. Quando ele me mostrou a capa pronta eu disse: puta que pariu, meu irmão, é isso mesmo!

Marcos: Como surgiu a vontade de tocar baixo? Como foi o começo?

Renato: Na verdade eu não sei o por quê de tocar baixo, eu era uma criança e não sabia de nada, comecei aos 12 anos. Meu primeiro baixo custou 60 reais!

Marcos: Qual foi a primeira música que você tocou no baixo?

Renato: Meu tio me deu o Californication do RHCP, fiquei louco aqui e minha vida era tirar as músicas desse cd, tentando desvendar tabulaturas.

Marcos: Como você se sente podendo influenciar pessoas a tocar baixo?

Renato: Cara, eu sou um entusiasta do contra-baixo. Nada me deixa mais feliz do que ver um juvenil procurando aprender o instrumento. Nas minhas redes sociais muitas pessoas vêm me dizer, e começaram a aprender por minha causa, eu só posso ficar feliz e dizer que minha missão neste mundo está completa! (risos)

Marcos: Quais são as bandas que você mais gosta de ouvir?

Renato: Eu tenho escutado muito essas bandas da nova geração do metal (NWOHM), além dos clássicos como Black Sabbath, Rainbow, Deep Purple, Rush, Slayer, Sodom, etc. Esta semana escutei muito Municipal Waste e Suicidal Angels.

Marcos: Todo músico começa como fã, no seu caso qual foram suas principais Influências?

Renato: O Geezer Blutler sempre foi e sempre será o maior! Gosto pra caralho dos “alunos” dele como: Burton e Harris. Admiro muito o Geddy Lee não só pelo baixo, mas também pelo seu timbre vocal poderoso!

Marcos: como esta sua expectativa para a primeira turnê da banda pelo Brasil? a Faster Than Evil Tour.

Renato: Vamos com força total! Em breve sairão as datas e então poderemos falar mais!

Marcos: Atualmente, vocês estão gravando o próximo CD da banda?

Renato: Ainda não, isto está programado para ser feito no final de 2013, talvez a partir de Novembro ou Dezembro. No momento já temos várias ideias que estão começando a tomar forma.

Marcos: Como funciona o processo de composição da banda?

Renato: Alguém chega com alguma ideia pronta ou incompleta e a banda desenvolve, geralmente parte do Andrezão ou de mim, mas eventualmente todos de alguma forma participam também. O Ric vem evoluindo bastante neste quesito, passando a participar mais deste processo de composição.

Marcos: Qual a principal dificuldade encontrada para manter-se na ativa?

Renato: Na vida tudo é difícil, porém os desafios estão aí pra nos colocar a prova.

Marcos: O que vocês acham que precisa melhorar no rock nacional?

Renato: Em primeiro lugar acredito que algumas bandas devem encarar seu trabalho com mais seriedade, aprender como as coisas funcionam e deixar de falsas expectativas ou delírios causados pela falta de informação. Veja bem, não to falando de profissionalismo, o que quero dizer é que a gente encontra muito marinheiro de primeira viagem falando pelos cotovelos sem qualquer noção básica de respeito. Nós da Jackdevil sempre procuramos respeitar todos, principalmente quem chegou primeiro que a gente. Acredito que se as bandas se mostrarem mais compromissadas com seu próprio trabalho o público logo entenderá que nosso país não perde em nada para o que é produzido na Europa ou EUA.

Marcos: Qual o segredo da banda em fazer fãs por onde passa com seus shows?

Renato: O segredo é dedicação.

Marcos: Como vem sendo a evolução da banda, em termos de som, shows e crítica, desde a primeiro EP "Oficial" lançado, chamado "UNDER THE SATAN COMMAND" e o "FASTER THAN EVIL" deste ano?

Renato: Muitos observaram que houve uma evolução, nós mesmo da banda já sabíamos que não éramos mais os mesmos ao começar a trabalhar no último EP. Não nos preocupamos em soar como no primeiro material, somos uma banda nova e acredito que ainda estamos na fase de construção da nossa sonoridade. Ainda não temos um álbum cheio e na minha opinião as pessoas que gostam do nosso som é porque acreditam no potencial da banda, porém sou consciente que este ainda não foi desenvolvido por completo.

Marcos: Em poucas palavras, o que você pensa sobre essas bandas:

-TANATRON?

Renato: Pioneira na cena maranhense que agora volta com força total e está prestes a tocar com o Annihilator em São Paulo, mostrando que sua representação ultrapassou os limites do Estado do Maranhão.

-FURIA LOUCA?

Renato: Uma banda de um nível de profissionalismo altíssimo composta pelos artistas mais talentosos da cena maranhense. Representou a cena no MOA e demonstra que suas conquistas não pararam por aí. Em breve lançarão CD novo.

-CRANIUM CRUSHING?

Renato: Faz algum tempo que não vejo um show deles, tive oportunidade de conversar com o guitarrista Raphael que me informou que retornarão com os ensaios e voltarão aos circuitos de shows. Banda de grande nome na cena maranhense e com bastante destaque na cena underground nacional.

-FILHOS BÄSTARDOS?

Renato: Gosto muito da banda e dos integrantes. Já tomamos muita cerveja e curtimos muito metal juntos! Esta banda fez uma tour pelo RJ e de acordo com Tiago Ameba foi muito bem sucedida!

-BERÇO DE JUDAS?

Renato: Esta banda tem o melhor baixista da cena maranhense: Mairon Viana. Agora com vocalista novo estão concluindo a gravação de seu CD. Espero ansioso para escutar o trabalho concluído!

-GRAVE REAPER?

Renato: Banda com um trabalho excelente! Composta por guerreiros do metal underground! Letras em português e um Speed/Black Metal cortante e ríspido.

Marcos: Bom Renatão está chegando o final da nossa entrevista. Gostaria de agradecer mais uma vez pela oportunidade de entrevistá-lo e queria pedir que deixasse uma mensagem para os fãs da JackDevil que os acompanham aqui na Pagina JackDevil Fans, forte abraço, sucesso e até mais, valeu!. \mm/

Renato: Quem agradece sou eu, meu irmão. A quem acompanha a página queria dizer o quanto nós somos agradecidos. O público sempre nos apoiou e deu todo suporte ao trabalho da banda. Toda essa força nos ajuda a continuar!

Entrevista por: Marcos Koskinen
Edição: Marcos Koskinen

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

JackdevilJackdevil
Extremistas e homofóbicos deveriam largar o metal

0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Jack Devil"

Metal BrazucaMetal Brazuca
Algumas bandas que você precisa conhecer

NordesteNordeste
Cinco bandas que estão retomando o Old School

CapasCapas
As 10 mais bonitas lançadas em 2014 eleitas por blog

0 acessosTodas as matérias da seção Entrevistas0 acessosTodas as matérias sobre "Jack Devil"

Sem imaginação?Sem imaginação?
Os nomes de bandas mais estúpidos da história

Fotos de InfânciaFotos de Infância
Phil Anselmo, Dimebag, Rex Brow e Vinnie Paul

Roger MoreiraRoger Moreira
Resposta bem humorada a "crítica" no Agora é Tarde

5000 acessosLed Zeppelin: a inspiração por trás de "Kashmir"5000 acessosSinceridade: e se as capas de discos dissessem a verdade?5000 acessosTarja: agredida sexualmente por fã durante show no México em 20005000 acessosBruce Dickinson: Use Your Illusions? Aquele formato é uma bosta!5000 acessosGuns N' Roses: exigências para os shows no Brasil4327 acessosKiss: banda toca clássico do Led Zeppelin em versão acústica

Sobre Marcos Koskinen

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, entre em contato enviando sua descrição e link de uma foto.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online