Anti-Heroi: entrevista com a banda Machinage

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Jony Roque, Fonte: Anti-Heroi recordz
Enviar correções  |  Ver Acessos


Recentemente o Blog Anti-Heroi Recordz realizou uma entrevista com o vocalista e guitarrista da Machinage Fábio Delibo onde ele fala sobre as duas turnês americanas, próximo álbum e futuro da banda. Parte da entrevista pode ser lida abaixo.

Kiko Loureiro: ele intimidou Chris Adler quando mostrou CD soloTom Grosset: O mais rápido baterista do mundo segundo o Guinness

Anti-Heroi: O Machinage teve inicio em 2007 e sempre teve a mentalidade de ter sua identidade própria, depois de 5 anos de estrada, um disco muito bem aceito pela mídia e critica e duas turnês americanas bem sucedidas você acha que encontraram sua identidade sonora?

Fabio: Então, isso da identidade sonora é uma coisa difícil de responder porque na verdade nunca escrevemos as músicas buscando um estilo, na verdade tocamos o que achamos legal, eu acho que sabemos o caminho a seguir, que é a proposta desde o início mas sem seguir rótulos, e a aceitação da mídia nos mostra que estamos certos no que estamos fazendo, a ideia e fazer um álbum melhor ainda, sempre usahusuasha.

Anti-Heroi: Vocês fizeram duas Turnês Americanas, qual a experiencia de tocar fora do Brasil e o que essas turnês trouxeram de positivo para a carreira do Machinage?

Fabio: É uma experiência única, é um sonho realizado, as bandas são tratadas como bandas, isso é o mais legal de tudo isso, você não vai lá tocar por meia dúzia de cervejas, você é tratado como músico, e isso somou muito para a banda. De positivo trouxemos muita coisa, a experiência de palco em poder tocar todos os dias, a convivência com a banda, uma visão mais aberta do mercado, tudo isso somou pra nós.

Anti-Heroi: E o que mudou da primeira para a segunda turnê americana? Tendo em vista que vocês voltaram para os Estados Unidos mais experientes.

Fabio: A primeira foi um tiro no escuro, não sabíamos o que iria acontecer realmente, dessa vez já fomos sabendo o que teríamos pela frente, da primeira também fomos mostrar a banda porque praticamente ninguém nos conhecia, e dessa vez voltamos com um publico, as pessoas já iam aos shows com as camisetas da banda, cantavam nossos sons, então foi muito mais interessante dessa vez, mas é consequência da primeira, foi muito massa.

Para o ler o restante da entrevista é só acessar o link abaixo:

http://antiheroirecordz.blogspot.com/2012/08/entrevista-mach...




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção EntrevistasTodas as matérias sobre "Machinage"


Kiko Loureiro: ele intimidou Chris Adler quando mostrou CD soloKiko Loureiro
Ele intimidou Chris Adler quando mostrou CD solo

Tom Grosset: O mais rápido baterista do mundo segundo o GuinnessTom Grosset
O mais rápido baterista do mundo segundo o Guinness


Sobre Jony Roque

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, enviando sua descrição e link de uma foto.

adWhipDin adWhipDin adWhipDin