Matérias Mais Lidas

imagemO reencontro entre Steve Harris e Paul Di'Anno na Croácia

imagemEddie aparece em versão samurai no primeiro show do Iron Maiden em 2022; veja foto

imagemA fundamental diferença entre Paulo Ricardo e Schiavon que levou RPM ao fim

imagemJen Majura disse que sair do Evanescence não foi decisão dela e recebe apoio dos fãs

imagemConfira as músicas que o Iron Maiden tocou no primeiro show de 2022

imagemRoger Daltrey revela a música "amaldiçoada" que o The Who não toca mais ao vivo

imagemSystem of a Down: por que Serj Tankian não joga mais nenhum vídeo game?

imagemAngra: Quantos shows seguidos a voz aguenta sem restrições? Fabio Lione responde

imagemSentado em cadeira de rodas, Paul Di'Anno faz primeiro show em sete anos

imagemDee Snider cutuca bandas com falsas aposentadorias e ingressos caros

imagemOzzy Osbourne diz que está bem aos 73 anos, mas sabe que sua hora vai chegar

imagemO clássico do Helloween que fez Angra mudar nome original de "Running Alone"

imagemVeja Iron Maiden tocando músicas do "Senjutsu" pela primeira vez ao vivo

imagemAndre Matos sempre foi de esquerda e reprovaria governo atual, diz irmão do maestro

imagemDo Ozzy ao Slayer: veja os momentos mais metal do desenho South Park


Stamp

Michael Jackson: para ele, Elvis não era rei e Beatles não eram melhores que negros

Por Igor Miranda
Em 24/08/20

Uma carta inédita de Michael Jackson, cantor pop falecido em 2009, traz comentários sobre Elvis Presley, Beatles e Bruce Springsteen. O texto foi redigido pelo artista em junho de 1987 e descoberto só agora, conforme publicado pelo site do tabloide The Sun.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

A carta tem o racismo como tema principal. "Ao longo da história, homens brancos sempre marcaram a história colocando os brancos acima de negros, como Elvis sendo o rei do rock, Springsteen sendo o 'chefe' ('the boss') e Beatles sendo os melhores", reflete Michael, inicialmente.

imagemLittle Richard: Paul McCartney, seu aluno mais célebre, lamenta morte nas redes

Em seguida, o Rei do Pop questiona os "títulos" oferecidos a esses artistas. Ele diz que Elvis Presley "não era rei" e que iria mostrar a Bruce Springsteen "quem é o chefe", em referência ao apelido dele, "The Boss" ("O Chefe").

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

O artista reconhece, ainda, que os Beatles "eram bons, mas não eram melhores cantores ou dançarinos do que os negros". Críticas são feitas à imprensa, que "fazem o público acreditar em tudo o que a mídia deseja".

Racismo não!: Beatles se recusavam a tocar só para brancos

Motivado a fazer a diferença, Michael Jackson afirma que irá "mudar tudo" a partir daquele momento, usando o poder de suas músicas, dança, visual e total reclusão em um mundo misterioso. "Vou governar como o Rei", afirma.

O objetivo de Michael em se tornar "o Rei" era para que "crianças brancas pudessem ter heróis negros, para que não se tornassem preconceituosas no futuro". "Meu intuito é ficar muito grande, muito poderoso. Virar um herói e acabar com o preconceito. Fazer essas crianças brancas me amarem por ter vendido 200 milhões de álbuns", diz.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Jackson pontua, ainda, que existe muita desigualdade no mercado fonográfico e que a MTV evitava ter artistas negros em sua programação. Também não era possível, de acordo com ele, emplacar cantores negros em revistas e jornais de brancos. Ele alega que já falaram para ele: "não colocamos negros nas capas, pois negros não sorriem".

imagemElvis Presley: Conheça a dimensão da obra do Rei do Rock

Em busca de reconhecimento de todas as pessoas, o cantor prometeu que iria fazer com que negros e brancos o amassem, fazendo com que aparecesse na capa de publicações como a "Time", a "Life" e a "Newsweek". "Fiz isso pela raiva. Para descontar. Para me provar. Amo brancos, negros, todas as raças. Quero que seja justo. Agora, é hora da minha realeza para sempre. Quero que todas as raças se amem como uma só", conclui.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

A imagem da carta manuscrita pode ser conferida no site do The Sun.

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp




Sobre Igor Miranda

Jornalista formado pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU), com pós-graduação em Jornalismo Digital pela Universidade Estácio de Sá. Começou a escrever sobre música em 2007 e, algum tempo depois, foi cofundador do site Van do Halen. Colabora com o Whiplash.Net desde 2010. Atualmente, é editor-chefe da Petaxxon Comunicação, que gerencia o portal Cifras, Ei Nerd e outros. Mantém um site próprio 100% dedicado à música. Nas redes: @igormirandasite no Twitter, Instagram e Facebook.

Mais matérias de Igor Miranda.