Insanity Force: entrevista para o blog Som Extremo

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Christiano K.O.D.A., Fonte: Som Extremo
Enviar Correções  

publicidade

A Insanity Force apareceu como um furacão na cena underground, trazendo verdadeiros esporros para os fãs de Death/Grindcore. No final de 2011, lançaram o elogiado EP "Resultado de Vingança" (ler resenha), contando em sua formação com três mulheres e um homem. Mas quem dá mais detalhes sobre isso, sobre a mudança de vocalista e sobre várias outras coisas, são a guitarrista Jaqueline e a baixista Fernanda, que concederam uma entrevista ao blog Som Extremo. Sugestão: após a leitura, baixem o material e saiam por aí batendo cabeça.

Vocalistas: Os 10 melhores da história do rock

Bon Jovi: o mistério de Tommy e Gina em "Livin' On A Prayer"

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal


Som Extremo: Para quem ainda não conhece a banda, poderiam dar um breve histórico?

Jaqueline: A banda se iniciou em 2008, comigo e a Shirley. Nossa ideia desde o princípio era ter uma banda formada só por mulheres. Tínhamos um estilo mais Death/Thrash na época, mas infelizmente, não foi possível manter os planos, por termos certa dificuldade. Após várias trocas de integrantes, mudamos um pouco a identidade musical e finalmente, em 2011, estabilizamos a formação com Emiliano na bateria, eu na guitarra, Fernanda no baixo e Shirley no vocal.

Som Extremo: Falando do recente lançamento de vocês, o EP "Resultado de Vingança", como o descrevem para aqueles que ainda não ouviram o material?

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Fernanda: Esse é o nosso primeiro registro na cena e está tendo uma ótima aceitação. A gravação está muito boa e audível. Mandamos um Death/Grind agressivo e empolgante. Para quem não conhece, vale a pena dar uma conferida no EP.

Jaqueline: Quem quiser baixar o EP inclusive, pode acessar nossa página do Facebook (no final da entrevista), tem vários blogs disponibilizando já!


Som Extremo: E a opção por letras em português (a maioria)? Esses serão sempre os planos?

Fernanda: Sim. Alem de valorizarmos o nosso idioma e nacionalidade, queremos que os bangers entendam 100% o conteúdo de nossas letras.

Jaqueline: Temos uns três sons em inglês e, por mais que combine mais com o estilo, ainda damos essa preferência, mas ainda terá poucas...

Som Extremo: O som de vocês parece ter inúmeras grandes referências do underground. Poderiam listar as bandas que os influenciam?

Jaqueline: Bom, desde que começou a banda com outras pessoas , sempre tivemos admiração pela banda Valhalla (Brasília) (N.R.- banda Thrash/Death formada somente por mulheres). Elas foram nosso ponto de partida como influência. A Krisiun também teve uma batalha no underground e por isso, admiramos a história dos caras em meio ao metal extremo nacional... Porém, todos na banda têm suas influências particulares. Fomos juntando o que tinha de melhor entre instrumentais e vocais de bandas bem diferentes umas das outras, assim como material de outras bandas nacionais como Hutt, Ratos de Porão, Flesh Grinder e Endrah. Até aquelas que todos curtem muito, como Cannibal Corpse, Napalm Death fazem parte de nossa inspiração.

Fernanda: Agora, em novas composições, não perdemos essas influências, mas estamos mais focados em bandas com instrumentais mais brutais ou mais voltados ao nosso estilo, como Deeds of Flesh, Prostitute Disfigurement, Gore Obssessed, Intestinal Disgorge, Mortician (que tocamos como cover nos shows) etc... enfim, tudo isso para complementar as influências mais antigas.

Som Extremo: Como vocês disseram, a ideia inicial era ter uma banda formada somente por mulheres. Vocês acham difícil encontrar uma baterista que toque som extremo? Por que?

Jaqueline: Sim. Mesmo mudando um pouco o som, continuando dentro dessa linha Death Metal, é muito, muito difícil encontrar uma baterista mulher que toque Death/Grind. E acredite: recorremos a muitas...

Fernanda: Não é que as mulheres não são capazes de tal coisa, mas bateria é um instrumento que não desperta tanto interesse nas mulheres e as poucas que tocam, geralmente executam outros estilos musicais, que não correspondem ao da Insanity Force. Então, para que a banda não ficasse parada, optamos por encontrar um bom baterista, fosse ele homem ou mulher.

Som Extremo: Shirley não está mais na banda, é isso mesmo? Por que ela saiu? Como está a procura por uma nova vocalista?

Fernanda: Infelizmente o tempo passa e as pessoas mudam, as ideias mudam e as influências mudam. Foi justamente esse fator "mudança" que resultou na saída da Shirley. As ideias já não batiam mais... entretanto, já estamos com outra vocalista.

Jaqueline: Ela já participou de poucos ensaios, parece que vai dar certo.

Som Extremo: Vocês já estão com novos sons por aí?

Jaqueline: Ainda preferimos deixar em 'off' até porque iremos gravar com vocal e será uma boa para revelar a nova vocalista da banda (risos). Mas os novos sons da Insanity Force passaram a ficar bem mais interessantes, com mais tempo de duração e boas variações de riffs pra galera agitar muito!!

Som Extremo: E agora, após o lançamento do EP, quais os planos da Insanity Force?

Fernanda: Nossos planos agora são divulgar os trabalhos, tanto o EP, quanto os novos sons. Ainda este ano, pretendemos lançar um full.

Jaqueline: Temos o intuito de fazer shows fora de São Paulo também, estamos vendo algumas datas para o Nordeste e Sul até o momento. Então, produtores que tiverem interesse em nos levar para suas cidades, é só entrar em contato por email!

Som Extremo: Vocês acham que o fato de haver mais mulheres na Insanity Force faz diferença na hora de arrumar shows, ou leva algum tipo de vantagem em relação a bandas com homens em sua maioria?

Jaqueline: Não vemos diferença nisso e nem queremos. Nós somos tratadas como qualquer banda da cena, inclusive já passamos vários "perreios" em shows , assim como qualquer grupo passa.

Fernanda: Queremos ser avaliadas e respeitadas pelo nosso som e atitude, e não pelo fato de a maioria ser mulher.

Som Extremo: O Som Extremo agradece a entrevista. Por favor, deixem seu recado final.

Jaqueline, Fernanda & Insanity Force: Agradecemos a você, Christiano, ao SOM EXTREMO e ao Whiplash pelo espaço concedido. Agradecemos também a todos que curtiram nosso EP e dão apoio, não só a nós, da Insanity Force, mas também à cena underground. E para quem ainda não ouviu ou não conhece a banda, aí vão nossas páginas para vocês acessarem, adicionarem e, principalmente, ficarem ligados nas novidades:

Download EP "Resultado de Vingança":
http://www.mediafire.com/?yjy35x4vxc2o26x




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Vocalistas: Os 10 melhores da história do rockVocalistas
Os 10 melhores da história do rock

Bon Jovi: o mistério de Tommy e Gina em Livin' On A PrayerBon Jovi
O mistério de Tommy e Gina em "Livin' On A Prayer"


Sobre Christiano K.O.D.A.

Um cara diretamente ligado ao Som Extremo, fã de livros e filmes, formado em Imagem e Som, Publicidade e Propaganda e Jornalismo. Faz parte da banda de grindcore Prey of Chaos e tem um blog dedicado à música barulhenta. Enfim, alguém que faz da música sua vida.

Mais matérias de Christiano K.O.D.A. no Whiplash.Net.

Cli336x280 CliIL Cli336x280 CliInline WhipDin