Dying Fetus: em entrevista para o Polêmico Rock

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Plínio Alves, Fonte: Polêmico Rock
Enviar correções  |  Ver Acessos


O Polêmico Rock conversou com Trey Williams (baterista do Dying Fetus) sobre o show no Brasil, e a carreira da banda. Confira a entrevista abaixo.

Vinil: quais são os dez discos mais valiosos do mundo?Separados no nascimento: Eddie e Seu Madruga

Polêmico Rock - Fala pessoal, é realmente um grande prazer e honra estar aqui, aproveitando esta oportunidade de entrevistar o Dying Fetus. Vocês já tocaram no Brasil antes. Então me diga quais são as expectativas de tocar no Brasil desta vez. Vocês presenciam algo diferente quando estão interagindo com o público brasileiro?

Trey Williams - Estamos muito ansiosos de retornar ao Brasil. Os headbangers brasileiros são um dos mais apixonantes públicos para se apresentar.

Polêmico Rock - Dying Fetus é uma banda que cresce exponencialmente, com trabalho árduo. Consequentemente vocês atingiram muitas massas de público (na carreira), concorda comigo? Vocês tem em mente algo do tipo "missão cumprida"?

Trey Williams - O sucesso da banda é o resultado da comunidade do Metal abraçar o que estamos fazendo (nosso estilo de música). Nós escrevemos músicas que gostamos de ouvir, e parece que há algumas pessoas que gostam do que estamos fazendo.

Polêmico Rock - Vocês gravaram o "History Repeats" este ano. Porém, o Dying Fetus chegou a fazer covers no começo da carreira (Napalm Death e Integrity). Portanto, a idéia de gravar um álbum de covers, tipo o "History Repeats" já não era uma intuição antiga do grupo?

Trey Williams - "History Repeats" foi gravado para passar o tempo de demora entre um disco e outro. Mas o Dying Fetus tem sua história de covers, então decidimos gravar e colocar estas músicas em um CD, músicas que gostamos e que foram influência para nós.

Polêmico Rock - O último álbum do Dying Fetus, "Descend Into Depravity", além de formidável, acredito que este tenha um significado especial, pois podemos encontrar extrema brutalidade, um polimento técnico incrível, e por fim, um trabalho mostruoso. Logo, o Dying Fetus é capaz de reunir experiência suficiente dos álbuns anteriores, e fazer algo ainda mais incrível. Enfim, vocês não oscilam entre discos bons e ruins. Minha pergunta é a seguinte: o que podemos esperar de um novo álbum? Vocês tem alguma previsão de quando o álbum será lançado?

Trey Williams - Nós estamos neste momento gravando um álbum com Steve Wright, no estúdio Wright Way. Se tudo correr bem, o álbum será lançado no começo da primavera. Este novo disco terá um polimento ainda maior que o "Descendo Into Depravity" e acredito fielmente que conquistaremos mais fãs.

Polêmico Rock - Eu não sou músico profissional, mas consigo enxergar que Sean Beasley exibe muitas técnicas, por hora acompanhando o que John Gallagher exibe na guitarra, como "sweeps" e "tappings" mostruosos, por exemplo. Enfim, vocês possuem muito talento, e a estrutura da música é absurda. Como acontece o processo de composição das músicas?

Trey William - Tanto Sean quanto John são músicos muito talentosos, e inclusive Sean adicionou músicas antigas com suas próprias técnicas, e continua a fazernovos materiais e a trazer novos elementos para as novas canções. Neste processo de criação, parece que Sean se espelha em muitas coisas que John faz.

Polêmico Rock - Com relação às letras, temos aqui elementos polêmicos: política, sociedade, ganância, violência, etc. Como acontece a composição das letras.

Trey Williams - O Dying Fetus irá sempre entrelaçãr a brutalidade técnica com essa idéia provocativa das letras. Isso é o que nós fazemos.

Polêmico Rock - Apenas uma curiosidade: a música "Kill Your Mother, Rape Your Dog", foi feita por diversão, ou só o video clipe foi feito com este toque humorístico?

Trey Williams - Este vídeo foi feito equanto a van da turnê estava sendo reparada. Como os caras estavam entediados, eles resolveram fazê-lo, para se divertirem e passar o tempo.

Polêmico Rock - Por favor, deixe uma mensagem aos fãs brasileiros, e para aqueles que irão testemunhar esta banda matadora dentro de alguns dias.

Trey Williams - Se preparem para receber o Dying Fetus no Brasil. Nós estamos preparados para atingir suas caras largas com a nossa explosão sonora.

Polêmico Rock - Eu fico imensamente agradecido por esta entrevista. Eu desejo à vocês a melhor e mais matadora carreira, e espero que vocês possam conquistar cada vez mais novos fãs ao redor do mundo.

Trey Williams - Obrigado pelo seu tempo e interesse. Trey Williams, Dying Fetus.




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção EntrevistasTodas as matérias sobre "Dying Fetus"


Heavy Metal: As melhores de 2012 segundo o LoudwireHeavy Metal
As melhores de 2012 segundo o Loudwire


Vinil: quais são os dez discos mais valiosos do mundo?Vinil
Quais são os dez discos mais valiosos do mundo?

Separados no nascimento: Eddie e Seu MadrugaSeparados no nascimento
Eddie e Seu Madruga

The Doors: A mais famosa foto do fantasma de Jim MorrisonThe Doors
A mais famosa foto do fantasma de Jim Morrison

Hall Of Fame: 500 Músicas Que Marcaram o Rock and RollHall Of Fame
500 Músicas Que Marcaram o Rock and Roll

Dream Theater: semelhanças na capa de álbum?Dream Theater
Semelhanças na capa de álbum?

Elton John: ele é fã de Alice In Chains e já homenageou Layne StaleyElton John
Ele é fã de Alice In Chains e já homenageou Layne Staley

Cornell: produtor vê Superunknown de outra forma após suicídioCornell
Produtor vê "Superunknown" de outra forma após suicídio


Sobre Plínio Alves

Plínio Alves, formado em Administração de Empresas, blogueiro nas horas vagas. O primeiro contato com o Heavy Metal se oficializou aos 11 anos de idade com um um CD do Nirvana, "Nevermind". Depois deste marco, a paixão pela música pesada se desencadeou de forma bem natural e prazerosa. Dois anos depois, estarrecido com o som pesado e provocador de bandas de Death e Black Metal, se tornou um fã de carteirinha do estilo. Embora seja fã de estilos específicos, declara ter afinidade com qualquer rótulo musical dentro do Heavy Metal, sem preconceito algum. Duas bandas que resumem sua vida: Alice in Chains e Deicide. Os demais textos do autor podem ser vistos no blog Polêmico Rock.

Mais matérias de Plínio Alves no Whiplash.Net.

adClioIL