Matérias Mais Lidas

imagemBill Hudson diz que tatuagem pode ter sido entrave para entrar no Megadeth

imagemMarcos Mion conta história de encontro (e manjada) com Bon Jovi no banheiro

imagemQuando Angus Young, do AC/DC, detonou o Led Zeppelin e os Rolling Stones

imagemO que mais impede Kiko Loureiro de voltar ao Angra? (Não tem nada a ver com o Megadeth)

imagemBeatles: Paul McCartney conta a história por trás de "Ob-La-Di, Ob-La-Da"

imagemEdgard Scandurra, do Ira!, explica atual sumiço do rock nas rádios brasileiras

imagemPhil Campbell conta como era fácil "comprar" Lemmy pra fazer qualquer coisa

imagemRage Against The Machine vem ao Brasil em dezembro, diz José Noberto Flesch

imagemApós viralizar com anúncio, Harppia revela identidade do novo baixista

imagemAutor de "God Save The Queen", Johnny Rotten diz que sente orgulho da Rainha Elizabeth

imagemA curiosa opinião de Ozzy sobre cover do Metallica para "Sabbra Cadabra"

imagemJimmy Page dá opinião sobre streaming e enaltece desconhecido herói dos músicos

imagemBruce Dickinson diz o que o surpreendeu quando retornou ao Iron Maiden

imagemKiko Loureiro explica por que acha uma merda seu solo de guitarra em "Rebirth"

imagemChad Smith chama matéria sobre Taylor Hawkins de "sensacionalista e enganosa"


PRB

Simon Kirke: entrevista com baterista do Free e Bad Company

Por Otávio Fernandes
Fonte: Gibson
Em 31/05/11

Em razão do lançamento do álbum solo "Filling the Void", Simon Kirke, o legendário baterista de Free e Bad Company, concedeu entrevista a Brady Lavia, do ste da Gibson.

Confira alguns trechos da conversa:

Brady: Você foi o único membro do BAD COMPANY que continuou na banda ao longo de todas as formações diferentes. Como a constante mudança de pessoal afeta você, pessoal e musicalmente?

Simon Kirke: Sim, é verdade. Bem, tem sido desde 1973, o que é - meu Deus - 38 anos atrás!

Divulgue sua banda de Rock ou Heavy Metal

Tem sido uma montanha-russa. Aprendi muito. Eu prefiro a formação original a qualquer uma das formações posteriores. Eu acho que Paul Rodgers é a voz da banda e Mick Ralphs é o guitarrista. E no baixo, Boz Burell, e suponho que eu mesmo na bateria. Mas nós tentamos outras pessoas ao longo do caminho. Eu não queria deixar a banda morrer só porque os outros membros não queriam continuar.

Funcionou até certo ponto e, em outros níveis, não deu certo. Algumas pessoas ficaram desapontadas quando Paul não quis mais estar na banda, então nós colocamos o Brian Howe na banda. Nós, de certa forma, adotamos um novo som. Isso funcionou para a época, no final dos anos 80.

Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva

Isso não elevou o nome da BAD COMPANY, mas foi algo que precisávamos tentar e nós mantivemos a banda viva. Eu acho que foi e ainda é uma banda incrível. Apenas passou por algumas mudanças, como um camaleão. Como qualquer outra banda ou qualquer pessoa que tenha uma longa carreira, vai acontecendo um pequeno declive na qualidade. Houve momentos em que fomos culpados por isso.

Brady: Brian Howe foi citado como tendo dito que o motivo pelo qual ele deixou BAD COMPANY foi que ele estava cansado de fazer todo o trabalho. Pode nos dar o outro lado dessa história?

Simon Kirke: (Risos) Sim, eu ouvi isso, eu ouvi isso, que ele estava cansado de fazer todo o trabalho. Bem, sem manter o seu departamento jurídico muito ocupado... (risos) Olha, ele tem direito à opinião dele. Ele, muito sinceramente, não se encaixava na banda. Essa é a pura verdade. Às vezes ele era difícil de lidar, como tenho certeza que eu era, mas a personalidade dele e nossas personalidades se chocavam no final. Nós apenas não nos dávamos bem, e assim nos separamos. Se ele fez ou não a maior parte do trabalho, é algo a ser debatido, mas nós tivemos algum período produtivo com ele. Nós fizemos alguma música muito boa com ele, então eu vou olhar pra trás, sobretudo com lembranças afetuosas. E isso é mais diplomático que eu posso ser.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Brady: Com Paul Rodgers dizendo que não há planos futuros para a BAD COMPANY e este álbum solo terminado, o que o futuro reserva para Simon Kirke?

Simon Kirke: É engraçada a maneira como você formula essa questão, parece que "Filling the Void" se refere ao que estou fazendo agora que a BAD COMPANY não está fazendo nada. Na verdade, eu nunca pensei assim. Eu não estou preenchendo o vazio deixado por Paul e Mick, embora pudesse ser interpretado desse modo.

Isso é algo que eu queria fazer há um longo, longo tempo. Eu tenho um monte de canções. Eu pretendo fazer outro álbum solo, e isso me permitiu a oportunidade de colocar essas músicas pra fora e ver como eles se saem sendo tocada por músicos profissionais. Então, eu finalmente encontrei uma janela de tempo na qual eu pude fazê-lo. Até agora, a reação tem sido muito positiva, por isso estou muito satisfeito.
Mas espero que a BAD COMPANY faça mais shows, porque ainda somos uma banda muito boa. Ainda gostamos de tocar...

Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Stamp
publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

Bruce Dickinson: com escolha inusitada, ele lista os 3 cantores que são a base do metalBruce Dickinson: com escolha inusitada, ele lista os 3 cantores que são a base do metal


Pré-Clube dos 27: 10 astros do rock que morreram antes dos 27 anos

Top 10: bandas importantes com menos de 10 discos lançados



Sobre Otávio Fernandes

Paulistano, trinta e tantos anos, formado em dramaturgia com especialização em documentário. Burocrata de profissão, já foi um pouco de tudo: de diretor de curta-metragens a barqueiro no rio Amazonas. Particularmente interessado no blues-rock do final dos anos 60 e no hard rock do início dos 70.

Mais matérias de Otávio Fernandes.