Opeth: "musicalmente, não me comprometo com ninguém"

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Kako Sales, Fonte: Blabbermouth.Net, Tradução
Enviar correções  |  Ver Acessos

Rob Laing, da revista Guitarist, do Reino Unido, recentemente conduziu uma entrevista com o guitarrista/vocalista Mikael Åkerfeldt, da banda de metal extremo progressivo OPETH. Alguns trechos da conversa podem ser vistos abaixo.

Hair Metal: Os maiores cabelos da história do rock pesadoInfluências: Folk Metal e Música Celta

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Guitarist: Uma pergunta difícil, mas, passados 20 anos, quais são suas maiores realizações?

Åkerfeldt: Realmente é uma pergunta difícil. Eu não me sinto especificamente orgulhoso no sentido de, "Ei, olhe para mim. Eu fiz isso e aquilo". Fico feliz com cada álbum novo que lançamos.

Guitarist: E tudo sem comprometimentos...

Åkerfeldt: Sim, definitivamente. Musicalmente, não me comprometo com ninguém. Se você me pedir pra fazer de um jeito, pode ir plantar batata, se é que você me entende. Uma vez que as músicas e letras estão prontas, eu sou igual a uma prostituta. Se for o que a gravadora quer que eu faça - farei as entrevistas, farei o que for necessário para a promoção do álbum, do nosso trabalho. Mas com relação à música, isso é da minha conta. Viro o diabo quando as pessoas chegam querendo interferir nas músicas. Não a banda - isso não é nenhum problema - mas se um executivo da gravadora chegasse e me dissesse: "Esse riff não está bom", eu provavelmente daria uma cabeçada nele. "Cala a boca e venda o álbum!"

Guitarist: Você mencionou recentemente que há a possibilidade de você gravar um álbum solo acústico - ainda pensa nisso?

Åkerfeldt: Sim, claro. Na verdade estou trabalhando em uma música para esse álbum agora. Estou trabalhando numa música para o OPETH e uma música para o solo. Mas fiz uma linha vocal que ficou horrível! Tenho que fazer algo melhor. Essa coisa com o "álbum solo" pode nem acontecer, mas é algo que quero fazer para mim - produzir um álbum do zero em meu home studio sem ajuda de ninguém.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Guitarist: O OPETH está crescendo com o passar do tempo. As pressões da parte dos negócios aumentaram sobre você pessoalmente?

Åkerfeldt: Sim, há muita pressão. Quando o álbum fica pronto, acaba o sossego. Eu imediatamente passo por quatro semanas de viagens para coletivas de imprensa e mais outras duas semanas de ligações telefônicas também para imprensa. Então começa a turnê, e há entrevistas todos os dias da turnê. E um monte de gente quer falar comigo porque eu componho a maioria das músicas e escrevo as letras; sou o vocalista. Então eu entendo, mas é entediante demais. Então, pessoalmente, há uma pressão gigantesca sobre mim o tempo todo. Mas estou tentando envolver mais os caras - especialmente nas entrevistas, me ajudando e acho que importante para eles porque eu tenho a tendência de ser centralizador sobre a música e é importante para eles ter uma opinião. Quero que eles participem mais das entrevistas. Eles não querem necessariamente, mas eu quero participar menos! Quando o OPETH aparece numa revista, não quero que seja apenas eu na capa, quero que seja a banda.

Leia a entrevista na íntegra na Guitarist Magazine.




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção EntrevistasTodas as matérias sobre "Opeth"


HailMetal.com: Os cinqüenta melhores álbuns de Death MetalHailMetal.com
Os cinqüenta melhores álbuns de Death Metal

Metal Moderno: 5 bandas aptas a se tornarem clássicasMetal Moderno
5 bandas aptas a se tornarem clássicas


Hair Metal: Os maiores cabelos da história do rock pesadoHair Metal
Os maiores cabelos da história do rock pesado

Influências: Folk Metal e Música CeltaInfluências
Folk Metal e Música Celta


Sobre Kako Sales

Mineiro de Januária, baterista autodidata, cresceu em ambiente familiar ligado à música popular e erudita. Seu pai chegou a fazer pequenas turnês com bandas da Jovem Guarda como tecladista no fim da década de 70. Aos 10 anos, iniciou os estudos de teoria musical e piano clássico. Teve o primeiro contato com o mundo do metal ao escutar o CD Angels Cry do Angra, aos 15 anos. Desde então tem se dedicado a conhecer, colecionar e difundir o melhor do metal brasileiro e mundial. Graduado em Letras/Inglês, principalmente por influência da língua-mãe do rock, tem como principais ícones do metal as bandas Angra, Symphony X, Dream Theater e Opeth.

Mais informações sobre Kako Sales

Mais matérias de Kako Sales no Whiplash.Net.

Cli336x280 CliIL Cli336x280 CliInline