ChimeraH: não se prendendo a rótulos e fugindo do marasmo

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Karina Detrigiachi
Enviar correções  |  Ver Acessos

A banda paulistana ChimeraH foi formada na cidade de Guarulhos pelos irmãos Bruno e Felipe Santos com a proposta de fazer um som pesado unindo o melhor de todas as vertentes do metal. E desde o ano de sua formação, 2007, a banda vem ganhando cada vez mais espaço e notoriedade no cenário nacional. O Whiplash, representado por Karina Detrigiachi, fez uma entrevista exclusiva com os integrantes Bruno Santos (guitarra), Felipe Santos (baixo) e Rogério Oliveira (guitarra e vocal) e entre vários assuntos eles falaram sobre a era do MP3 e o quanto isso tem ajudado as bandas novas a divulgarem seu trabalho no cenário nacional.

No alto do castelo: As diferenças entre os diferentes estilos de rockHard Rock: As bandas do gênero que ficaram para trás

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

A ChimeraH foi formada em 2007, nos contem um pouco sobre a trajetória da banda.

"A banda foi formada em 2007 com a intenção de unir o melhor das diversas vertentes do heavy metal em nossas composições, algo que soasse sincero e trouxesse a diversidade de gostos dos integrantes em virtude da enorme gama de influências da banda. Assim que definido o line up começamos a trabalhar com prioridade em nossas composições. Em 2008 tivemos alguns contratempos com a troca dos nossos antigos baterista e vocalista os quais foram substituídos de forma que a banda pudesse atingir os ideais e objetivos. Tudo resolvido, em 2009 tivemos a honra de lançar a Promo 'Infection' tocando com o Primal Fear e Sinner, o que nos rendeu um ótimo retorno tanto de público como de mídia. E agora em 2010 estaremos lançando o EP com 5 músicas 'Into the Night'".

O que significa ChimeraH? Qual a história por trás deste nome?

"'Chimera' é um símbolo mitológico com diversas faces que correspondia com as intenções da banda de trazer várias influências dentro do metal para o nosso som. Para diferenciar do nome mitológico, colocamos o H no final."

Quais são suas principais influências?

"Cada integrante contribui com sua particularidade para o som como por exemplo, o Rogério Oliveira tem como influência predominante o power e metal tradicional, os irmãos, Bruno e Felipe Santos trazem influências de thrash, death, hard e fusion, já o vocalista Diogo Nunes acrescenta a parte do metal melódico, e fechando com Marcelo Toselli com metal core e prog metal."

O vocalista da formação original era o Daniel Kopecky. Após sua saída ele foi substituído pelo Diogo Nunes. Foi difícil se adaptar a um novo vocalista? E o que mudou na banda após a entrada do Diogo?

"A adaptação foi fácil até mesmo porque a proposta da banda já estava solidificada e o Diogo já conhecia e gostava da banda, sendo assim não houve nenhuma mudança drástica."

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Com a revolução da era digital, mais precisamente, o surgimento do mp3, as bandas atualmente tem mais facilidade em divulgar seu trabalho. O quanto essa revolução tem ajudado a ChimeraH?

"Isso realmente é verdade... Graças a essas tecnologias o nosso som se tornou bem acessível, devido principalmente ao MySpace onde temos um grande número de visitas, fora ferramentas como o Youtube, o próprio Whiplash, que facilitam e muito a propagação do trabalho da banda."

Atualmente as bandas estão precisando cada vez menos de uma gravadora, e com isso, bandas novas surgem todos os dias, principalmente no cenário nacional. O que vocês acham que tem de diferente para oferecerem aos fãs de heavy metal e se destacarem em meio a tantas bandas novas?

"Procuramos expressar em nossa música, um trabalho de qualidade e sincero, como mencionamos antes, apostando na diversidade de características e experiências musicais fugindo do marasmo que assola o meio metal nos últimos anos, não nos prendendo a rótulos e modismos."

Ano passado vocês abriram o show do Primal Fear em São Paulo. Nos contem um pouco sobre esta experiência.

"Foi uma experiência bem proveitosa para a banda, o nosso trabalho teve uma exposição bem legal, onde tivemos um retorno acima do esperado, principalmente por parte da mídia especializada e uma receptividade calorosa do público presente, como pudemos notar no nosso Orkut e MySpace, onde o número de visitas chegou a ser multiplicado."

Quais são as bandas com as quais vocês gostariam de tocar?

"Seria um prazer dividir o palco com os grandes nomes da cena nacional e internacional, fica difícil dizer nomes, somente a oportunidade de poder apresentar nosso trabalho para o maior número possível de pessoas para nós já é gratificante."

Atualmente, certas bandas já reconhecidas mundialmente tem sofrido dificuldades em agendar shows e encontrar organizadores sérios para se trabalhar. Então creio que para bandas novas a situação não seja diferente, correto?

"Corretíssimo, com o crescente número de bandas cover e a procura cada vez maior por esse tipo de trabalho por parte do público, realmente está difícil ou quase impossível para uma banda de trabalho autoral de qualidade poder fazer shows para grandes públicos sem entrar no 'esquema do jabá' dos produtores e empresários que por organizarem eventos de maior porte chegam ao cúmulo de humilhar as bandas cobrando absurdos valores (pagar para trabalhar) sem proporcionar o mínimo de condições para uma apresentação decente, vide o cancelamento da apresentação do Dr.Sin no Grave Digger! Mas temos fé que isso um dia vai acabar!!! (risos)"

O que os fãs podem esperar do Ep "Into the Nigh" que será lançado em fevereiro, ele seguirá a mesma linha do CD Promo "Infection"?

"Sim. Mesmo porque duas músicas que estavam no Promo estarão no EP, mas com algumas modificações e melhorias."

Com é o processo de composição da banda? Todos participam ou alguém possui esta responsabilidade em particular?

"Normalmente alguém chega com a idéia inicial da música e a partir daí a coisa flui normalmente com cada um colocando as suas influências e ideias nas músicas."

Aonde vocês acham que a ChimeraH estará daqui há 10 anos? Vocês fazem planos em longo prazo?

"Esperamos obter o reconhecimento e estarmos consolidados no cenário. Estamos investindo em divulgação, o máximo possível e sabemos que o retorno desse investimento virá com um certo tempo, então nos resta trabalhar e esperar o retorno."

No próximo dia 14 de fevereiro a ChimeraH fará uma apresentação no Blackmore Rock Bar. O que vocês podem nos adiantar sobre esta apresentação?

"Será o evento Carnametal do Blackmore e na oportunidade estaremos divulgando as músicas do EP 'Into the Night' além de músicas novas, garanto que os presentes gostarão das novas composições."

Para finalizar, deixem uma mensagem a todos os leitores do Whiplash.

"Gostaríamos de agradecer de verdade a oportunidade que estão nos dando, não é fácil conseguir esse tipo de espaço num site tão conceituado no meio do metal como esse. Esperamos encontrar todos no Blackmore e nos próximos shows da ChimeraH.
Abraços."

Para mais informações, acesse

http://www.myspace.com/chimerahsounds




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção EntrevistasTodas as matérias sobre "Chimerah"


No alto do castelo: As diferenças entre os diferentes estilos de rockNo alto do castelo
As diferenças entre os diferentes estilos de rock

Hard Rock: As bandas do gênero que ficaram para trásHard Rock
As bandas do gênero que ficaram para trás


Sobre Karina Detrigiachi

Designer, nascida na cidade de São Paulo, Kari como é mais conhecida, cresceu ouvindo Deep Purple, Led Zeppelin, Skid Row e Alice Cooper. É apaixonada por todas as vertentes do Metal, porém ouve de tudo um pouco sem se prender a rótulos.

Mais matérias de Karina Detrigiachi no Whiplash.Net.

Cli336x280 CliIL Cli336x280 CliInline