Jaded Heart: entrevista com o baixista Michael Muller

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Joey Summer, Fonte: Joey Summer
Enviar Correções  


Nesta matéria o baixista Michael Muller fala sobre vários temas relacionados à carreira e aos álbuns do Jaded Heart, uma banda de Hard Rock oriunda da Alemanha, inclusive do grande desejo da banda em romper as fronteiras brasileiras, curiosidades e o porquê da saída do vocalista Michael Bormann.

Fotos de Infância: Arch EnemyFotos de Infância: Dave Mustaine, do Megadeth

Entrevista originalmente publicada no site www.joeysummer.com.

Joey Summer - Olá Michael, como vai? Em primeiro lugar muito obrigado por esta exclusiva, você é muito gentil. É uma excelente oportunidade de trazer aos fans brasileiros um pouco mais de informações sobre o Jaded Heart. Então vamos lá: Toda banda tem sua própria história, claro! Como a banda começou e quem a fundou?

Michael Muller - Em 1990 o vocalista Michael Bormann e seu irmão, o guitarrista Dirk estavam a procura de uma gravadora adequada pra a banda, no ano seguinte, eu e o antigo batera Axel Kruse, nos juntamos a eles. Desta forma, nascia o Jaded heart. Estivemos então em tour, abrindo shows de Glenn Hughes e Mother's Finest. Dirk deixou o grupo antes do segundo álbum, "Slaves and Masters". Vimos a luz e daquele momento em diante, passamos a trabalhar com músicos de estúdio (guitarristas). Para resolvermos esta situação, com sessões de guitarristas, recrutamos o guitarrista turco Barish Kepic em junho de 1998 como membro permanente da banda. Como que por sorte, fechamos contrato com a MTM baseada em Munich, Alemanha, com a nova linha de frente do Jaded heart. Nosso quarto álbum simplesmente intitulado "VI", foi produzido pelo guitarrista do AXE Bobby Barth no estúdio dele, o NEH Studios em Denver, Colorado (EUA). Depois da tour, Chris Ivo deixou a banda e foi substituído por pelo tecladista Henner Wenner. Em Dezembro começamos a trabalhar com o produtor Tommy Newton em nosso quinto álbum, "The Journey Will Never End". Em Outono de 2003, começamos a trabalhar nas músicas para o nosso novo álbum "Trust" de uma forma que soasse uma continuidade comparado ao álbum anterior. Assim que voltamos da estrada, Bormann e o resto de nós decidimos seguir nossos próprios caminhos. Começamos então a procurar por um novo e promissor vocalista, o vencedor das árduas e aparentemente sem fim audições, foi o sueco Johan Fahlberg (ex-ESCUDIERO) que não só venceu seus concorrentes como se adequou perfeitamente no sentido musical e pessoal a banda.

Michael Muller - 10 de Outubro foi o dia "D". Nosso álbum "Helluva time" foi lançado mundialmente pela gravadora italiana "Frontiers Records".

Michael Muller - Em Dezembro de 2005 estivemos abrindo os shows da banda "Helloween" na tour deles pela Espanha com Frederic Leclercq do Dragonforce na guitarra, temporariamente substituindo Barish.

Michael Muller - Março de 2006 Barish Kepic deixou a banda e mais uma vez começamos a procurar um talentoso membro para a banda. Encontramos outro sueco como "melhor candidato". Peter Ostreos, um amigo de longa data da banda e decidimos recebê-lo como o novo guitarrista do Jaded Heart. Peter trouxe novas idéias para o grupo e influências musicais para nós, muito mais do que estávamos esperando. Após tocarmos em alguns festivais locais com a nova formação, assinamos um contrato internacional com a Frontiers. No início de 2007 começamos então a gravar nosso oitavo álbum "Sinister MInd" devidamente lançado em 19 de outubro. O álbum foi gravado e mixado pelos veteranos Michael Voss e Chris Lausmann e produzido por nós mesmos.

Michael Muller - Atualmente estamos dando os toques finais no nosso próximo álbum de carreira, "Perfect Insanity" o qual iremos lançar no outono deste ano de 2009.

Joey Summer - Quais as dificuldades que vocês encontraram no começo da banda?

Michael Muller - A principal dificuldade foi encontrar bons shows sem ter uma gravadora pra dar apoio a isto e mesmo após assinarmos nosso primeiro contrato, com a Long Island Records, ainda assim foi difícil arranjar uma boa tour para nos lançar no mercado.

Joey Summer - O que significa Jaded Heart? Qual o propósito do nome?

Michael Muller - Hahaha! Quer saber? Somos todos muito fans do Dokken e gostamos demais daquela música. Nós tínhamos mais ou menos outros dez nomes pra escolher e após algumas cervejas resolvemos ficar com aquele mesmo. Mas naquela época todos nós estávamos com nossos "corações esvaídos"... hehehe.

Joey Summer - Hahaha! Muito bom de qualquer modo. Também sou muito fan do Dokken. Nós podemos sentir em cada álbum que vocês fizeram, diferentes "sotaques musicais", diferentes elementos no som e nas composições. Quem inspirou e quem influencia o som de vocês hoje?

Michael Muller - Temos diferentes influências pessoais que você pode notar em nossa música. Se você prestar a devida atenção, todas as formas de hard-rock, metal da velha escola como: Helloween, Metal Core, Killswitch Engage ou mesmo do metal novo como Incubus. Isto vem a tona quando compomos as músicas. É assim que gostamos, sermos criativos pondo nossas idéias juntas.

Joey Summer - Quantos membros antigos na formação de hoje?

Michael Muller - Veja a resposta no nosso histórico (risos) Mas a principal linha de frente pra mim hoje é a atual e com BARISH KEPIC.

Joey Summer - Fale um pouco sobre o processo de criação das músicas. Existe algum tipo de método?

Michael Muller - Todos nós na banda, temos nossos próprios home stúdios e estamos constantemente registrando nossas idéias. Quando chega a época de compormos algo para o próximo CD, nós coletamos as idéias de cada um e enviamos uns aos outros através da internet. Então, começamos a trabalhar em cima das idéias uns dos outros. Daí nós nos juntamos para ensaiar com todas essas idéias e tocar ao vivo, pra vermos como elas soam melhor.

Joey Summer - Não deixa de ser um método atual e interessante. Deus abençoe a internet! "Anymore", é sem dúvida uma grande música. O que a letra dela significa, o que ela tenta passar no seu ponto de vista?

Michael Muller - É basicamente no sentido de "cuidado, preste atenção!" Nosso mundo está a beira de uma terceira guerra mundial por causa de pessoas que neste planeta que agem como idiotas, construindo bombas para destruírem o mundo inteiro! Não queremos outra guerra mundial!

Joey Summer - Muito bom! Perfeito isto! Quem ajudou vocês e como foi que conseguiram seu primeiro contrato com gravadora?

Michael Muller - Estivemos dando uma relaxada em um bar onde o proprietário era AXEL e tinha uma banda tocando lá. Os caras tinham um agente de shows, tipo um empresário que tinha um irmão, SONDI, que era proprietário da Long Island records. Nós demos a ele nossa demos de apenas 4 faixas e uma semana depois após um show nosso, ele nos ligou e assinamos imediatamente.

Joey Summer - Porque Michael Bormann deixou a banda? Foi uma decisão difícil? E vocês mantém um bom relacionamento ainda?

Michael Muller - Infelizmente não nos falamos mais porque a separação não foi muito "amigável". Tivemos de tirar ele da banda porque ele passou a agir como um tolo, não gosto de falar mal dele para a imprensa (como ele fez e continua a fazer sempre que tem oportunidade...) mas tudo o que posso dizer é que ele estava muito contra tudo no JH e nossos fans. Isto simplesmente não rola quando se está em uma banda. Deveríamos ser amigos e não inimigos.

Joey Summer - Bom, nem sempre rola né? Cabeças diferentes nem sempre vão na mesma direção. É complicado. Para quais importantes bandas o JH já teve a oportunidade de abrir? E o quanto isto foi positivo pro grupo?

Michael Muller - foi muito importante pra gente sermos a banda de abertura pro Helloween. Tivemos a chance de provar que não éramos apenas mais uma banda de hard melódico e que éramos mais "metal" quando tocávamos ao vivo. Nós também tivemos uma grande tour européia com o Gotthard, o qual foi um grande passo pra gente.

Joey Summer - Por quantos países o JH já passou? Qual foi o lugar mais "arrasador"?

Michael Muller - Hum... praticamente a maioria dos países da Europa. Espanha foi maravilhoso e Inglaterra também. Suécia também é muito bom para o hard rock e o metal. Tocamos no Sweden Rock Festival em 2006. Isso foi "matador" também! Tivemos a oportunidade de tocar em alguns concertos pelos EUA quando estivemos lá para gravar o álbum "VI". Foi sensacional! Agora estamos realmente determinados a nos por a caminho pra tocar no Brasil qualquer dia.

Joey Summer - Ótima notícia! Adoraríamos vê-los por aqui! Existem um monte de novos estilos dentro do rock hoje em dia como o new metal, por exemplo. O JH teve algum problema com isto? Quero dizer, não seguindo uma tendência do mercado musical de hoje? A propósito a gravadora tem alguma influência ou poder pra decidir o repertório de vocês?

Michael Muller - Não, a gravadora não intervém nisto e tal. Claro que se decidirmos dizer a eles que estamos querendo lançar um álbum de "death metal", certamente eles irão dizer NÃO a este projeto, mas sempre mudamos um pouquinho a nossa direção musical. Desta vez será mais "metal" do que nos últimos trabalhos lançados. Não seguimos "tendências" mas somos influenciados por novos estilos musicais, com certeza. Esta é a coisa legal no JH de agora.

Joey Summer - É dito que o "dinheiro muda tudo". JH vive hoje apenas da sua música? Ou vocês tem outras atividades profissionais?

Michael Muller - É muito difícil fazer uma vida aqui na Europa vivendo apenas de música. Cada banda na Europa está na estrada hoje pra fazer muito dinheiro devido aos downloads ilegais de álbuns musicais. Isso é realmente uma droga! Então, uma banda como nós, tem que fazer muitos shows ou fazer covers pra fazer dinheiro. Todos nós temos diferentes empregos no mercado da música. Henning, Peter e eu temos filhos e precisamos fazer a grana continuar a entrar. Henning é também tecladista do White Lion, é seu segundo emprego.

Joey Summer - É não é muito diferente aqui no Brasil não. Os dowloads desenfreados acabaram com as grandes vendagens de CDs e os artistas tem que partir pra estrada mesmo. Agora, nos fale sobre o novo álbum. O que os fans podem esperar dele?

Michael Muller - O título é "Perfect Insanity" e será lançado em outubro de 2009. Ele vem com 12 novas canções e será bem pesado com melodias bem cativantes. Algumas faixas bem rápidas e uma balada e o típico material "grooveado" do JH. Coros bombásticos e mais metal do que antes. Nós gravamos guitarras, baixos e baterias juntos com "Michael Voss" (Casa Nova, Michael Schenker and Mad Max) em seu Kidroom Studios em Münster, Alemanha.

Michael Muller - Nós tivemos uma super atmosfera durante as gravações. Foi muito divertido e criativo! Verifiquem os vídeos no YouTube se puderem. Digitem: "Jaded Heart Studio". Existem alguns vídeos bem legais das gravações. Vocais, backings e todas as guitarras solo foram gravadas em Stockholm, Suécia. Temos duas participações especiais neste álbum: Um solo de guitarra tocado por Vinnie Moore e outro solo de guitarra tocado por Frederic Le Clerq do Dragonforce. Ele é um amigo muito chegado nosso devido a ajuda que ele nos deu durante a tour pela Espanha junto com o Helloween em 2005. Ele caiu dentro quando ficamos sem guitarrista por seis meses.

Joey Summer - Existe uma tour mundial planejada?

Michael Muller - Bem, não uma tour mundial, mas uma tour européia para o lançamento já está planejada. Gostaríamos muito de incluir o Brasil nesta tour. Também o Japão e Estados Unidos, mas sabemos que é muito dispendioso viajar com todo o equipamento e todas as despesas com voo, produção, etc... Mas, ei! se você souber de algum agente disposto a nos levar ao Brasil, nos contacte! Ficaríamos mais que felizes!

Joey Summer - Nossa! Com certeza estaremos tentando contatos neste sentido. Seria muito louco ter o JH por aqui! Cara! Você tira um super som grave de baixo. Qual o seu equipamento? O que costuma usar nos palcos e no estúdio? Baixos, equipamentos, etc...?

Michael Muller - Obrigado pela pergunta! Sim eu gosto do som do meu baixo bem grave e profundo. Tenho me inspirado no Fieldy, baixista do Korn. Adoro o som dele nos álbuns antigos do Korn. Ele me influenciou a usar baixos de 5 cordas. Eu também uso um acordoamento para 5 cordas no meu baixo de 4 cordas. Então eu o uso como se fosse um baixo de 5 cordas. Eu afrouxo a corda mais alta e a afino como uma quinta. Então eu afinado abaixo Lá, Ré, Sol e Dó. No estúdio eu sempre uso o meu sans Amp. Ele é simplesmente maravilhoso. Quando tocamos ao vivo eu uso um Tech21-Landmark Amp com cabeçotes Ampeg ou Line6. No álbum "Sinister Mind", eu usei um Dean Demonator e um BC Rich Gunslinger Bass do ano de 88. "Perfect Insanity" eu experimentei 3 baixos diferentes: Um ESP Customshop bass de 92, um Sandberg T-Bird de cinco cordas e outra vez um Dean Demonator. Amo meus baixos Dean. Possuo alguns e todos são ótimos! Mas, eu sou um "vibrador" neste sentido e amo todos os meus instrumentos...hahaha.

Joey Summer - Boa! (risos) Como vocês escolheram o novo vocalista, Johan Fahlberg? Vocês já se conheciam antes? A propósito ele é uma excelente vocalista.

Michael Muller - Foi engraçado, um amigo meu, Mikael Rosengren, apresentou nossa música a Johan. Ele conhecia nossa versão cover da música "Easy Lover" mas não sabia que era nossa. Mikael disse a Johan que estávamos a procura de um novo vocalista e disse a ele: "cara, você deveria mandar um e-mail pra eles". Assim ele o fez e nós pedimos que ele gravasse uma pequena versão de teste de "Anymore". Após ouvirmos dissemos: "É, ele é o cara!" Eu apenas escrevi um e-mail para Johan: "Você quer cantar?" Ele respondeu: "Yes"... foi assim! Mikael Rosengren agora está tocando em outra banda junto comigo chamada "Constancia" e o álbum sairá em primeiro de Julho de 2009.

Joey Summer - Existem pelo menos duas grandes bandas brasileiras no metal e conhecidas mundialmente. são elas: Sepultura e Angra. Eles soam bem diferentes uma da outra, claro. Mas você já ouviu algo de alguma delas? Ou de alguma outra banda brasileira?

Michael Muller - Sim! Amo sepultura e também Soulfly! Gosto do toque brasileiro na música deles. Angra me é familiar mas não conheço muito bem o som deles.

Joey Summer - Legal! Existe um líder no JH ou todos opinam?

Michael Muller - Somos um grupo agora! Cada um está envolvido em tudo. Somos fortes como um time. Isso pode até ser estressante as vezes, mas sempre trabalhamos assim! hahaha.

Joey Summer - Assim que tem que ser! Projetos futuros? Como um DVD por exemplo?

Michael Muller - Sim, estamos coletando material para um DVD neste momento. Temos toneladas de materiais bem legais de bastidores e das gravações dos nossos álbuns. Provavelmente filmaremos um show no próximo show para este fim. Neste momento estamos empenhados em finalizar o "Perfect Insanity" o qual iremos lançar mundialmente pela Frontiers Records. Será um álbum forte e poderoso, algumas faixas rápidas e uma balada (para as garotas, hehe).

Joey Summer - Haha...bem, David Coverdale disse certeza vez que o rockeiro que não gosta de baladas provavelmente não gosta de garotas também. (risos). Bem, fique a vontade para falar de qualquer outro tema que eu tenha esquecido de abordar.

Michael Muller - Sim. Acho que o metal e o hard-rock estão voltando pros dias de hoje. Existem tantas bandas novas por aí que temos visto tocando classic metal e hard-rock e nós todos deveríamos apoiar isto! Vão aos shows, comprem os CDs! Tenho visto em tantos festivais quantos novos fans, garotos de 19 anos com camisas do Iron Maiden "Killers". Isto é fantástico! Está voltando galera!

Joey Summer - Ótimo! Que voltem os bons tempos! Querem então incluir o Brasil na próxima tour. Certo?

Michael Muller - Oh sim! É como eu te disse: "Nos leve pra tocar aí!" Tenho ouvido histórias muito legais a respeito dos fans brasileiros das bandas que tem se apresentado por aí!

Joey Summer - Como de costume, deixe uma mensagem para os fans brasileiros, velhos e novos, do JH.

Michael Muller - Obrigado por me darem a chance de falar da minha banda, aqui nesta entrevista. Espero que não tenham ficado muito entediados... hehe. Por favor visitem nossos websites e nos escrevam mensagens. Responderemos a cada uma delas. Gostamos de estar em contato com nossos fans e pra nós é fascinante falar as pessoas que vivem em outras partes do mundo. Talvez nos vejamos pessoalmente quando pegarmos a estrada pelo Brasil!!! Felicidades pra todos e mantenham o rock e o metal vivos!!

Joey Summer - Michael, muito obrigado por esta entrevista e pelo carinho e afeição com os fans brasileiros. Espero que o Jaded Heart traga o quanto antes o melhor hard-rock dos últimos anos para nós aqui no Brasil! E dê um alô pra toda a galera do JH!

Michael Muller - De nada, cara!

Fonte: www.joeysummer.com

Entrevista realizada, redigida e traduzida por Joey Summer ([email protected]).

Contato da banda:
http://www.new.jadedheart.de
[email protected]




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Fotos de Infância: Arch EnemyFotos de Infância
Arch Enemy

Fotos de Infância: Dave Mustaine, do MegadethFotos de Infância
Dave Mustaine, do Megadeth


Sobre Joey Summer

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, enviando sua descrição e link de uma foto.

adWhipDin adWhipDin adWhipDin adWhipDin