OverHeat: a banda que quer superaquecer o rock brasileiro

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Gabriel von Borell
Enviar correções  |  Ver Acessos

Os paulistas da OverHeat estão buscando um lugar ao sol há apenas dois anos, mas já sabem muito bem o que querem. A banda deve lançar seu primeiro CD em breve e promete Rock N' Roll de qualidade. Com planos bem definidos, a OverHeat sonha com o mercado internacional.

James Hetfield: "Você não iria gostar de mim se soubesse minha história"Pantera: o surreal e constrangedor funeral de Dimebag Darrell

Whiplash! - Para começar, quero saber de vocês quando e como a banda surgiu?

André: A banda surgiu em 2007, porém, os integrantes que restaram foram só o Alec (guitarra solo) e eu, André (bateria). A gente deu o nome de OverHeat no primeiro semestre de 2009, mesma época em que entrou o guitarrista base Luís, e o ainda pendente, vocalista Douglas.

Whiplash! - O nome OverHeat tem algum significado implícito? Uma história por trás do nome?

André: OverHeat tem a ver com o objetivo da banda, 'superaquecer', fazer as pessoas esquecerem seus problemas enquanto estiverem no nosso show.

Whiplash! - Foi difícil o processo de formação do grupo? Houve mudanças, ou dificuldades, do início até o estágio atual?

André: Houve muitas outras pessoas na banda, muitas alterações aconteceram, muitas fases passaram e muitas barreiras foram ultrapassadas. Vários integrantes sem técnica/vontade/tempo suficiente já passaram pela OverHeat. Muitas coincidências aconteceram para que chegássemos ao estágio atual.

Whiplash! - Que tipo de som faz a OverHeat?

André: A gente tenta sempre agradar diversos públicos, misturando Heavy Metal com Hard Rock, de AC/DC e KISS até Pantera e Megadeth. Também estamos sempre tentando mudar, atualizar, para não ficar sempre a mesma coisa de 30 anos atrás.

Whiplash! - Quais são as influências da banda? Os grupos que inspiraram vocês?

André: As principais influências da banda são Motley Crue, KISS, AC/DC, Pantera, Megadeth e Iron Maiden.

Whiplash! - No início deste ano vocês gravaram uma demo chamada "(Un)Masked Madman", foi a primeira gravação? Como vocês se sentiram?

André: A gravação correu muito naturalmente, tivemos idéias para a música na hora de gravar os riffs, as frases de bateria e vocais. A música não parava de melhorar, e assim que ouvimos a música completa, com tudo pronto (mesmo sem o vocal original), ficamos todos arrepiados e orgulhosos.

Whiplash! - Já existem planos para a gravação de um álbum?

André: Sim, ele já tem capa e nome. A capa pode ser vista neste link e o nome do CD é "Addicted to Chaos", nome de uma música do CD, que está previsto para o meio do ano. Já estamos com oito músicas prontas, incluindo letras e melodias. Está tudo correndo muito bem e já temos show agendado para o dia 12/06, no Warriors Pub, em São Paulo. Para mais informações, o MSN é andreh_metal@hotmail.com.

Whiplash! - Qual a opinião da banda sobre a cena de Rock no Brasil atualmente? Existem mais aspectos positivos ou negativos?

André: Eu acho que o Rock está perdendo o velho conceito na cabeça das pessoas, principalmente na dos jovens. Tem gente fazendo músicas extremamente previsíveis e assinando contratos milionários, fazendo músicas que serão esquecidas em meses. Eu fico muito feliz em ver bandas como Ravenland e Shadowside, que estão há tempos na estrada, conseguirem cada vez mais espaço no Rock brasileiro. Há também as 'velhas' bandas como Dr. Sin, Angra, Sepultura, que estão de parabéns pelo sucesso contínuo, de muitos anos. No Brasil, tem muita gente com talento. O problema é a mídia que não ajuda nem um pouco. Não se preocupam mais em fazer músicas de qualidade, só música com foco 100% comercial.O Rock não é só sobre dinheiro.

Whiplash! - Vocês cantam em inglês, o objetivo da OverHeat é atingir o mercado internacional?

André: Sim, com certeza. A meta da OverHeat é atingir o mercado internacional, e conseguir contratos e turnês internacionais. Como acabei de dizer, o mercado nacional está muito pobre em questões musicais. O Rock está com muito pouco valor na atualidade e isso não pára de crescer. Esperamos poder contribuir com bandas 'novas' no mercado, para trazer o Rock ao lugar que nunca deveria ter saído: das rádios, televisões e todo tipo de mídia.

Whiplash! - Neste momento, se vocês tivessem a oportunidade de abrir o show de alguma banda nacional, qual seria e por quê?

André: Com certeza seria o Angra, ou então o Dr. Sin. São pessoas que tive o prazer de conhecer pessoalmente, e se mostraram extremamente profissionais. Além de bandas formadas por músicos muito experientes e com muita técnica, ainda têm um público muito fiel que segue as bandas há muito tempo.

Whiplash! - E para finalizar, quero que vocês aproveitem este espaço para deixar uma mensagem aos usuários do Whiplash!.

André: Só gostaríamos de agradecer pelo espaço e dizer que não importa o quanto isso nos custe, faremos de tudo para voltar o Rock à cena que já existiu. Também precisamos fazer um agradecimento especial à marca SuperSafira, que tem nos apoiado muito. O Rock durou mais de três décadas e ainda tem muito o que durar. E estamos aqui para fazer isso acontecer. Vida longa ao Rock and Roll!

Contatos para shows:
(11) 7671-3344 - (11)3774-5777 - (11)2204-5777 [André]

Ouça as músicas:
http://www.myspace.com/bandaoverheat

MSN:
andreh_metal@hotmail.com




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato. Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Denuncie os que quebram estas regras e ajude a manter este espaço limpo.


Todas as matérias da seção EntrevistasTodas as matérias sobre "OverHeat"


James Hetfield: Você não iria gostar de mim se soubesse minha históriaJames Hetfield
"Você não iria gostar de mim se soubesse minha história"

Pantera: o surreal e constrangedor funeral de Dimebag DarrellPantera
O surreal e constrangedor funeral de Dimebag Darrell

Prostitutas: As mais famosas e devassas do cenário Rock - Parte 1Prostitutas
As mais famosas e devassas do cenário Rock - Parte 1

Dr. Sin: Agora todo mundo lamenta? Vão se foder!, diz Regis TadeuDr. Sin
Agora todo mundo lamenta? Vão se foder!, diz Regis Tadeu

Black Sabbath: um Tony Iommi que você não conheciaBlack Sabbath
Um Tony Iommi que você não conhecia

Rock, Pop, Jazz, Metallica, Lulu: Quando o radicalismo cegaRock, Pop, Jazz, Metallica, Lulu
Quando o radicalismo cega

Lynyrd Skynyrd: a história de Sweet Home AlabamaLynyrd Skynyrd
A história de "Sweet Home Alabama"


Sobre Gabriel von Borell

Gabriel von Borell, nascido em 30/03/85, jornalista. Não vive sem música e também não se apega a rótulos musicais. Acredita que todo preconceito é burro, inclusive o musical. Escuta de tudo um pouco, considerando que um jornalista deve estar aberto pra conhecer e comentar sobre qualquer músico ou banda. Pode ser encontrado no Twitter em @gabrielborell.

Mais matérias de Gabriel von Borell no Whiplash.Net.

adClio336|adClio336