Matérias Mais Lidas

imagemBruno Valverde diz que preconceito contra ele veio mais da igreja do que dos metaleiros

imagemDez ótimas músicas do Iron Maiden escritas pelo agitado guitarrista Janick Gers

imagemRegis Tadeu se garante e não retira uma palavra do que disse sobre Di'Anno e Iron Maiden

imagem"A ingenuidade do fã do Iron Maiden é um negócio que beira o patético", diz Regis Tadeu

imagemA "traumática" e "desagradável" experiência de ser preso, segundo Arnaldo Antunes

imagemQuando Chorão, do Charlie Brown Jr, quase levou porrada do Rick Bonadio

imagemA inesperada música do Whitesnake que serviu de inspiração para "Carry On" (Angra)

imagemGeezer Butler, Heavy Metal e a clássica canção do Black Sabbath inspirada por Jesus

imagemA opinião de Herbert Vianna sobre a crítica musical e sua imagem de "bom moço"

imagemA dura crítica de Angus Young a Led Zeppelin, Jeff Beck e Rolling Stones em 1977

imagemA estratégia usada por Mille Petrozza, do Kreator, para "reaprender" músicas antigas

imagemPaul Di'Anno detona Regis Tadeu após vídeo em que critica seu encontro com Iron Maiden

imagemAC/DC: Angus Young recorda como fazia para ouvir rock em seus tempos de garoto

imagemHelloween divulga vídeo de "Best Time", com participação de Alissa White-Gluz

imagemThe Rolling Stones: 5 músicas para provar que Mick Taylor é um gênio


Stamp

Uriah Heep: "a indústria musical está uma bagunça"

Por Daniel Faria
Fonte: Metal-Temple.com
Em 04/01/09

Yiannis Zervos, do Metal-Temple.com, recentemente conduziu uma entrevista com o guitarrista Mick Box, da legendária banda veterana de rock progressivo URIAH HEEP, que desabafou sobre a atual situação da indústria musical.

Metal-Temple.com: "Wake the Sleeper" é seu novo álbum e é o primeiro em 10 anos! Por quê vocês esperaram tanto para lançar um novo trabalho?

Mick Box: "Porquê as gravadoras são uma merda completa! A indústria está uma bagunça. Com a internet e downloads grátis, gravadoras faliram, desapareceram... a indústria inteira está em queda livre, ninguém sabe o que vai acontecer. Então nós não conseguíamos achar um lugar para gravar com a indústria em tal estado, daí fizemos o que fazemos melhor - saímos em turnê e lançamos alguns DVDs, só para manter a coisa viva, sabe. Geralmente, a indústria não tinha um lugar para nós. E então finalmente nossa velha gravadora disse que eles queriam fazer um álbum conosco, e nós dissemos 'isto é brilhante, vamos fazer um', e então fizemos aquilo. Eles fixaram uma data de lançamento, e então esperamos um ano inteiro para a Universal lançar o álbum. Só estou dizendo isso para mostrar pra você como as coisas estão frágeis; a indústria está uma bagunça total".

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Metal-Temple.com: Você passou pelos altos e baixos da indústria musical. Quando você acha que foi a melhor época para se fazer música?

Mick Box: "A melhor época foi nos anos 70 porque a indústria gravadora estava em crescimento e eles apoiavam os artistas. Quando você assinava um contrato, você assinava para sete álbuns. Você crescia com a gravadora e a gravadora crescia com você. Hoje em dia você pode conseguir um contrato para um álbum só, e não tem espaço para criatividade dentro da indústria. É tudo muito rápido, muito descartável, é um botão para entrar no seu iPod e aí você segue adiante. Nós gastamos milhares de libras no estúdio para pegar o som mais otimizado possível e o MP3 encolhe o resultado final".

Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

Metal-Temple.com: Você está tão dedicado ao URIAH HEEP. Não gravou um trabalho solo ou algo nesses anos!

Mick Box: "Bem, eu formei a banda então é meu único 'esporte'. Para fazer um álbum solo, significa que você tem que desviar sua atenção da banda e eu não estava pronto para fazer isso. O grupo sempre precisou da minha atenção".

Metal-Temple.com: Das bandas que URIAH HEEP influenciou, você recebeu o reconhecimento que devia?

Mick Box: "Sim, é legal que nós tivemos tal efeito e influência em bandas como IRON MAIDEN, KING DIAMOND ou W.A.S.P. e esse pessoal. É bom inspirar pessoas a fazer mais música".

Como consegui viver de Rock e Heavy Metal

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

The Mentulls, no espírito "não custa tentar", manda recado para Uriah Heep




Sobre Daniel Faria

Nascido em 1977, cresceu em um lar onde rock progressivo dominava as ondas do ar. Aos 12 anos, com a compra de "Paranoid" (Black Sabbath) tudo mudou e o metal gradualmente passou a ser o som predominante em casa. Estudou Computer Science / Applied Science pela Concordia University (Montreal, Québec, Canada) e hoje vive em um vilarejo rural em Simcoe County, centro-sul de Ontario, Canada.

Mais matérias de Daniel Faria.