Shining Star: quando a música vai além das adversidades

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Ben Ami Scopinho
Enviar Correções  

O guitarrista Fábio Rocha, catarinense radicado em São Paulo, pode se considerar um afortunado sob vários aspectos. Estreou com "Fatal Mistake" (01) tendo como companheiros Nando Fernandes (voz, Cavalo Vapor) e os irmãos Andria e Ivan Busic (baixo e bateria, Dr Sin); e conseguiu um grande reconhecimento entre a mídia e público do exterior com o subseqüente "Enter Eternity" (03), cujo vocalista agora era ninguém menos que o norte-americano Lance King (ex-Balance Of Power).

publicidade

Mas todo o talento e dedicação do guitarrista parecem frequentemente esbarrar em problemas com as gravadoras – tanto que seu segundo álbum não conseguiu ainda ser liberado no Brasil – ou em manter uma formação estável para seguir tocando com tranqüilidade. Assim, entre tantos infortúnios, "Reset" chega via Silent Music Records e mostra a perseverança de seu idealizador, seguindo uma linha musical bem mais agressiva do que qualquer coisa já liberada pelo Shining Star. Em respostas bastante diretas, nesta entrevista Fabio dá uma geral na atual condição da banda:

Whiplash!: Olá Fabio! Primeiramente, gostaria de saber qual é a situação legal entre o Shining Star e a falida Frontline Records, no sentido de viabilizar o lançamento de seu disco anterior, "Enter Eternity" (05), ainda inédito no Brasil.

Fabio Rocha: Não temos mais contrato com a Frontline, até por que ela se extinguiu, mas tentamos com várias gravadoras brasileiras para relançá-lo no Brasil e não conseguimos. Enfim, se alguma gravadora se interessar pelo disco estarei aberto às negociações.

publicidade

Whiplash!: O trabalho de Lance King (ex-Balance Of Power) em "Enter Eternity" ficou excelente. Não houve interesse em colocar sua voz em "Reset"?

Fabio Rocha: Houve interesse sim, mas não chegamos a um acordo quanto à parte financeira, como seriam administrados os negócios relacionados ao CD, como agenda, royalties e custos da produção.

publicidade


Whiplash!: "Reset" é um excelente trabalho, que muito me surpreendeu por sua nova identidade musical, que se afastou da sonoridade clássica de "Fatal Mistake" e "Enter Eternity". O que o levou a seguir por esta linha mais agressiva e, sob muitos aspectos, moderna?

Fabio Rocha: O Shining Star não é uma banda que se mantém somente em um estilo, o primeiro CD é mais hard, o segundo mais melódico e o terceiro eu queria que soasse bem mais encorpado e agressivo, enfim, uma mudança que agrada aos novos fãs e talvez não agrade muito aos fãs dos dois primeiros discos, mas resolvi mesmo assim correr o risco, e a receptividade tem sido excelente.

publicidade

Whiplash!: Fabio, considerando que os artistas em geral têm a tendência em expressar seus sentimentos, o quanto você acha que a difícil fase pela qual passou nos últimos tempos influenciou as novas composições?

Fabio Rocha: Influenciou e muito, nas letras, nas composições, no meu jeito de tocar e na maneira em que encaro a vida agora nesta fase nova, depois de passar por longos três anos de antidepressivos e de uma profunda depressão que me levou ao fundo do poço.

publicidade

Whiplash!: Algo que provavelmente será unanimidade é que a mescla de Heavy Metal e Hard Rock proposta pelo "Reset" não soa similar a qualquer outra banda que esteja em evidência por aí, concorda?

Fabio Rocha: Talvez sim, talvez não, mas se formos pensar nisso realmente não vem à cabeça agora uma banda similar ao som que tentamos buscar no "Reset". Mas acho que isso não importa muito, o mais legal é saber que podemos fazer algo diferente, mantendo a qualidade e o profissionalismo.

publicidade

Whiplash!: Como foi a escolha dos novos músicos, em especial a decisão de colocar Ricardo Parronchi, baixista do Destra, para o posto de vocalista?


Fabio Rocha: O Juliano Collombo e o Rodrigo apenas gravaram o álbum, os únicos membros da banda no momento são Ricardo Parronchi e eu. O Ricardo é uma pessoa fantástica e grande amigo, tenho total confiança em seu trabalho e principalmente no seu caráter. Por esses motivos decidi escolhê-lo para gravar o álbum. Já havia o ouvido cantar algo na sua banda Destra e gostei muito de seus vocais, e como éramos amigos mandei umas músicas do "Reset" pra ele colocar a voz. Semanas depois ele já estava gravando o álbum por completo.

publicidade

Whiplash!: Já existem datas para o lançamento de "Reset" no resto da América Latina e Europa?

Fabio Rocha: Estamos negociando com gravadoras da Europa, mas novamente estamos esbarrando em problemas com nossa gravadora... Não sei ao certo o que vai acontecer.

Whiplash!: É consenso geral que há muito para ser melhorado no underground brasileiro. Considerando que o Shining Star já teve acesso aos mercados europeu e norte-americano, que medidas você acha que seriam viáveis serem aplicadas no sentido de melhorar a estrutura de nosso cenário?

Fabio Rocha: Excelente pergunta... Não sei o que pode ser feito pra melhorar, mas a verdade é que nosso cenário está FALIDO e com certeza não teremos mais as grandes bandas de rock ou heavy metal por um bom tempo, ou talvez nunca mais, infelizmente.

Whiplash!: Fabio, você poderia adiantar algo sobre seu novo projeto envolvendo músicos da Inglaterra, EUA e Brasil? Já encontrou uma vocalista?

Fabio Rocha: Na verdade ainda não, mas continuamos trabalhando em cima disso, se não encontrarmos ninguém eu mesmo assumirei os vocais do CD.

Whiplash!: Ok, Fabio. Agradeço-lhe pela entrevista, desejando muita sorte ao Shining Star. O espaço é teu para alguma consideração final.

Fabio Rocha: Agradeço aos fãs do Shining Star, ao Whiplash pela oportunidade, a você por essa entrevista e dizer que God Bless All!.

www.myspace.com/shiningstar7 - Myspace USA
www.myspace.com/shiningstarofficial - Myspace Brasil

publicidade




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Capas de disco: como seriam se fossem gifs animadosCapas de disco
Como seriam se fossem gifs animados

Metal contra o câncer: festival aceita cabelo como ingressoMetal contra o câncer
Festival aceita "cabelo" como ingresso


Sobre Ben Ami Scopinho

Ben Ami é paulistano, porém reside em Florianópolis (SC) desde o início dos anos 1990, onde passou a trabalhar como técnico gráfico e ilustrador. Desde a década anterior, adolescente ainda, já vinha acompanhando o desenvolvimento do Heavy Metal e Hard Rock, e sua paixão pelos discos permitiu que passasse a colaborar com o Whiplash! a partir de 2004 com resenhas, entrevistas e na coluna "Hard Rock - Aqueles que ficaram para trás".

Mais informações sobre Ben Ami Scopinho

Mais matérias de Ben Ami Scopinho no Whiplash.Net.

WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin