Sebastian Bach: "Rock & Roll é sinônimo de diversão"

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Rafael Tavares, Fonte: Blabbermouth, Tradução
Enviar correções  |  Comentários  | 

Mark Carras, do Rock My Monkey, realizou uma entrevista com o vocalista Sebastian Bach, que falou basicamente de seu novo trabalho, "Angel Down".

1025 acessosSebastian Bach: cantor faz cirurgia relacionada ao vocal5000 acessosBizarre Magazine: Quão bizarro é... Ronnie James Dio

Rock My Monkey: Uma coisa que eu percebi neste CD ["Angel Down"] é que você está usando seu registro agudo mais do que você tem usado ultimamente.

Sebastian Bach: "Sim, é verdade".

Rock My Monkey: Qual é a razão por trás disso?

Sebastian Bach: "Isso é muito, muito verdade. Uma coisa, eu fiz uma peça, 'Jesus Christ Superstar' em 2002 que realmente me fez gritar alto novamente. Eu me senti tão bem que eu disse para mim mesmo 'Eu vou sempre cantar assim, apenas porque eu posso'. Entende o que quero dizer (risos)? E porque não? Então eu disse, 'Meu próximo disco, cara, eu vou gritar como em 'Slave To The Grind'. Eu vou tentar cantar como naquele primeiro disco do SKID ROW, naquele estilo bem agudo'. E vários vocalistas surgiram cantando naquele estilo, o que o fez começar a ser legal novamente. Tem o cara do AFI, Davey Chaos, e tem um monte - é esse o nome dele? Davey Havok, desculpe (ambos riem)".

Rock My Monkey: Havoc, chaos.

Sebastian Bach: "(Risos) Vários desses vocalistas estavam aparecendo. O lance é que quando eu gravei a maioria dos vocais de 'Angel Down', eu estava vindo direto da turnê com o GUNS N' ROSES. Fizemos algumas semanas de shows com o GUNS e depois voamos de volta, direto de Vienna, Austria. Tocamos num festival com TOOL e GUNS N' ROSES no mesmo dia. Foi um festival incrível. Daí entrei direto num avião para L.A. de Vienna, e começamos a gravar assim que chegamos. Então minha voz no disco está muito aguda em algumas músicas pois eu estava gritando com Axl Rose toda noite, fazendo meu set e depois cantando 'My Michelle'. E eu me lembro de chegar pra gravar os vocais para 'Angel Down' e minha voz estar muito aguda. Muito alta! E foi difícil fazê-la ficar mais grave. Como na última música, 'Falling Into You', que é meio grave, os versos, e eu estava tão acostumado a cantar agudo que essa foi uma das músicas mais difíceis para que eu dominasse, pois minha voz estava muito, muito, muito aguda quando eu estava gravando o álbum. E 'You Don't Understand' — estou feliz que você tenha mencionado esta música. Porque uma coisa em que eu me concentrei muito foi em cantá-la limpa, e é muito desafiador cantar de forma bem limpa e pura para um cara da minha idade (risos). Então eu me concentrei muito nessa música, deixando-a muito pura e limpa, e eu adorei o resultado. Eu amo essa música, também. Fico feliz que você curtiu".

Rock My Monkey: Além de fazê-lo cantar "Back In The Saddle", o que você acha que Roy Z trouxe ao CD como um produtor, que talvez não estivesse ocorrido em outras circunstâncias?

Sebastian Bach: Ele trouxe uma coisa que foi totalmente essencial, e ele realmente fez do álbum um álbum melhor. E vou lhe dizer o motivo. Porque como você disse, minha banda é uma ótima banda de Metal, mas eles são músicos de Metal mesmo. Tipo, Steve DiGiorgio toca baixo no disco. Ele usa um baixo fretless em todo o álbum, e ele é um dos melhores baixistas de Heavy Metal do mundo. E tê-lo em meu disco é uma honra, e ele fez um ótimo trabalho. Me deixou maluco. Mas eis o seguinte. Nós temos músicas como 'Negative Light'. Eu a escrevi com o Steve. 'Take It Down With Me', escrevi com o Steve. Metal Mike, eu tinha 'American Metalhead'. Johnny tinha 'Stuck Inside'. Nós tínhamos 'Angel Down', pois eu a fiz com Adam Albright. O que estou tentando dizer, todas as músicas que mencionei são putas músicas de Metal. E Roy disse, 'Cara, isso é ótimo, Mas sabe do que você precisa? Você precisa de um Rock direto". E eu realmente não entendi o que ele quis dizer, pois eu sou o artista. É por isso que você arruma um produtor. Então ele foi, 'Deixa eu te mostrar um lance'. Daí tocou o riff de 'Love Is A Bitchslap', que é (imitando o riff de guitarra). É divertido. Não é como 'Negative Light', que é muito Metal. Então o que ele fez foi deixar o disco mais balanceado. Ele o equilibrou, o que foi muito importante. Foi idéia dele fazer 'Back In The Saddle', coisa que eu nunca teria pensado. Foi idéia dele adicionar mais Rocks diretos como 'Love Is A Bitchslap' que acabou sendo o primeiro single. Rock and roll deve ser sempre divertido, sabe? E foi essa carta que ele colocou na mesa. um clima divertido de Rock direto. Foi o que ele fez".

Leia a entrevista completa (em inglês) no rockmymonkey.com.

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Skid RowSkid Row
Reunião chegou a ter shows marcados, diz Bach

1025 acessosSebastian Bach: cantor faz cirurgia relacionada ao vocal0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Sebastian Bach"

Sebastian BachSebastian Bach
Ele é uma diva e não quer tocar em casas pequenas

Sebastian BachSebastian Bach
"Eu era um brinquedinho das mulheres mais velhas"

Sebastian BachSebastian Bach
Afinal, porque ele não entrou no Priest?

0 acessosTodas as matérias da seção Entrevistas0 acessosTodas as matérias sobre "Sebastian Bach"0 acessosTodas as matérias sobre "Skid Row"

Bizarre MagazineBizarre Magazine
Quão bizarro é... Ronnie James Dio

HumorHumor
Você está ouvindo rock progressivo demais quando...

Iron MaidenIron Maiden
Rachel Sheherazade é uma grande fã da banda

5000 acessosKing Diamond: o "Rei Satânico"5000 acessosSteven Tyler: primeira vez aos 7 anos, com duas gêmeas5000 acessosRoadrunner: os dez melhores vídeo-clipes da gravadora5000 acessosRevolver Magazine: Os 20 melhores álbuns de 20145000 acessosMetal: alguns dos melhores guitarristas do Brasil em vídeo5000 acessosArch Enemy: técnica vocal e vegetarianismo

Sobre Rafael Tavares

Nascido em 1987, descobri o rock and roll já cedo, aos 6 anos de idade, quando ouvi "I Don't Care About You" com o Guns N' Roses em algum momento de 1993. De lá pra cá minha paixão pela música pesada e, especialmente pelo Guns N' Roses (que estará para sempre marcado em minha pele, alma e coração) cresceu exponencialmente. Sebastian Bach me fez querer virar cantor e o resto é história. Produtor fonográfico, formado em Letras e professor. Tão diversificado quanto o Rock and Roll, essa é minha vida, esse é meu clube. =D

Mais informações sobre Rafael Tavares

Mais matérias de Rafael Tavares no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online