Massacration: Detonator conta tudo sobre Manowar, Tony Iommi e Lula

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Rafael Carnovale
Enviar Correções  

São raros os momentos que os Deuses do Metal concedem uma entrevista tão reveladora como essa. Um momento mágico, aonde cada detalhe abre uma nova perspectiva sobre o termo "heavy metal". O Massacration não pode ser definido apenas como uma banda. E sim como o ícone dos ícones do heavy metal. Avesso a entrevistas, não por ser antipático e sim por não gostar de publicidade, apenas de metal, Detonator nos concedeu este longo bate-papo com extremo bom humor e paciência. Já que nem sempre o mesmo se pronuncia com facilidade, aproveitamos o momento para podermos saber tudo o que os fãs poderiam querer perguntar a esta lenda viva do metal.

publicidade


Whiplash - Olá Detonator!

Detonator / Oi.

Whiplash - Primeiramente como é ser um ícone dos ícones do heavy metal tocando num festival com várias bandas, como o Brasil Metal Union?

publicidade

Detonator / Primeiramente é normal para nós, apesar de não estarmos acostumados com públicos de milhares de pessoas. Normalmente tocamos para milhões de pessoas em monstros-festivais. Mas aceitamos prontamente este convite para dar uma forcinha para este viado, o Richard Navarro, e para darmos nosso apoio a todas as bandas.

Whiplash - Muitos boatos rondam a carreira do Massacration, que já conta com 77 cd’s lançados. É verdade que Joey De Maio (Manowar) teria mandado vários pedidos para fazer uma audição com o Massacration?

publicidade

Detonator / Não... isto é mentira. Nunca cogitamos ter esse cara na banda. Na verdade temos sim uma história com o Manowar que vou contar para você. Hoje vamos tocar "Kill With Power", que todos pensam ser música do Manowar, mas que na verdade foi composta pelo Massacration. Um dia Eric Adams (vocalista do Manowar) chegou para mim e me pediu: "Detonator, me escreva uma música para o Manowar". Eu pensei, e fiz a "Kill With Power". Eles inseriram alguns solinhos "gays", mudaram a música. Mas hoje vamos tocá-la em sua versão original.

publicidade

Whiplash - Como deveria ter sido gravada?

Detonator / Exatamente.

Whiplash - A banda recentemente tocou na Escandinávia do Leste, para um público de 2 milhões de pessoas. Esse foi um público comum para o Massacration, não?

Detonator / Na verdade você está exagerando. Esse foi nosso maior público. Foi inclusive um show interessante, porque a energia elétrica acabou e tive que cantar sem nenhuma amplificação, mas todos ouviram a minha voz.

publicidade

Whiplash - Inclusive o pessoal lá de trás? Você se certificou disso?

Detonator / Com certeza. A minha gartanta é feita de titânio, todos conseguem ouvir minha voz.

Whiplash - E como é ser a única banda do mundo a ter um disco de Plutônio-Triplo-Radioativo, como prêmio por altas vendagens?

Detonator / Ah... é complicado, porque precisamos guardá-lo secretamente, pois além de ser radioativo seu valor é inestimável... não queremos que o roubem de nós.

publicidade

Whiplash - E é verídico o fato de que o primeiro álbum do Massacration foi vendido num puteiro, tendo sido lançado apenas uma cópia?

Detonator / Não. Isto é mentira. Lançamos nosso primeiro disco em 1983, "Metal Are The Gods". Só que não tínhamos muita grana, então só lançamos cópias para nós mesmos. Eu mesmo perdi a minha, nem sei aonde anda.

publicidade

Whiplash - E as críticas que você recebe, como por exemplo a afirmação que você carrega um peso de dois quilos amarrado no saco para atingir tons mais altos?

Detonator / Não... isso aí... eu não sei aonde você se informou... VOCÊ NÃO ESTÁ BEM INFORMADO!!!! (Exalta-se).

Whiplash - Ok, Ok... desculpe...

Detonator / Tudo bem.

Whiplash - Vou refazer a pergunta: Como você faz para atingir os tons altos que só você consegue no mundo do metal?

Detonator / Simples... eu cortei o peru para a voz ficar mais fina!

Whiplash - Ah... explicado... desculpe a informação errada anterior.

Detonator / Ok.

Whiplash - E é verdade que o novo cd do Massacration será vendido num "Box" icosagonal (20 cd’s), com mais de 125 faixas bônus, e as primeiras 40 cópias já estão vendidas para uma única pessoa?

Detonator / Na verdade iremos lançar esse novo cd e vendê todas as cópias para o Fernando Collor de Mello. Ele é um grande fã do Massacration e irá dar esses cd’s para seus familiares e amigos... e é também um grande amigo nosso.

Whiplash - Falando em presidentes, o Presidente Lula teria dito que sua grande inspiração no discurso de posse teria sido o Massacration. O que você acha disso?

Detonator / É até um fato interessante. O Lula trabalhava com Blond Hammett (guitarrista) e Tony Iommi (Black Sabbath) naquela tornearia aonde o Tony perdeu as pontas dos dedos. O presidente Lula foi ajudá-lo e acabou perdendo o dedinho. Não tem a ver muito com nossa história, mas é um fato interessante.

Whiplash - Qual o objetivo do Massacration ao escrever letras engajadas como "Metal Bucetation", fato que motivou Eddie Vedder (Pearl Jam) a anunciar que "jamais voltarei a falar de política enquanto existir o Massacration"?

Detonator / Eddie Vedder é apenas um marqueteiro. Essas pessoas menores do rock, como Eddie, o Eddie Van Halen e Ozzy Osbourne, gostam de chamar atenção na mídia. O Massacration não se manifesta sobre isso. Somos muito superiores a esses idiotas.

Whiplash - E atualmente vocês têm três músicas tocando em alta nas rádios, "Metal Milk-Shake", "Metal Bucetation" e "Metal Massacre Attack". O que você pode falar sobre esta nova música, "Metal Milk-Shake"?

Detonator / Esta música fala sobre o Deus Metal, e como ele criou todas as coisas, e todas as coisas vêm do Deus Metal. Não coube muitas palavras para descrever essa obra, como Umbrella, Michael Jackson, Milk-Shake.... tudo vem do Deus Metal. Você pode notar que no final falamos "METAL ARE THE GODS", como reverência a nossos criadores.

Whiplash - E o que você pode falar para os fãs que vêm riscando o cd promocional do festival para que só toque a faixa do Massacration?

Detonator / Não... não façam isso.... aí já é radicalismo. Existem bandas de qualidade, que foram influenciadas pelo Massacration em sua essência. Até bandas mais extremas como o Torture Squad têm nossa influência.

Whiplash - Um fato interessante: Rob Halford antes de voltar para o Judas Priest teria lhe telefonado perguntando sua opinião. Sem conotação sexual, apenas um papo de "Metal God" para "Metal God Supreme", o que você pode nos contar sobre isso?

Detonator / Sim. Rob me ligou. Ele foi meu aluno, e queria minha opinião. Na verdade fui eu quem deu a idéia, pois ele estava indeciso. Sua carreira no Halford não estava boa, e o Judas Priest não vinha bem com Ripper Owens (outro aluno meu). E eu disse: "Rob meu caro, volte para o Judas. Você está ficando velho, pelancudo, e vai acabar ficando sem dinheiro, de tanto gastar seu patrimônio em puteiros masculinos. É melhor você voltar para o Judas, assim você poderá arrecadar dinheiro para manter suas excentricidades de bicha.". E ele aceitou a idéia, entrando logo em contato com os outros membros da banda.

Whiplash - A gravação do clipe de "Metal Bucetation" é espetacular, e fica latente a mensagem de que o Massacration vence a morte. Você acha que no além os Deuses ouvem o Massacration?

Detonator / Sem sombra de dúvidas. Por anos venho sendo amigo do diabo, e ele me conta esses fatos em confidência, estou apenas abrindo uma exceção para você.

Whiplash - Obrigado!

Detonator / De nada. Só que agora estamos meio de mal com o capeta, pois ele anda querendo se promover as nossas custas. Mas com certeza os deuses ouvem Massacration, não há duvida.

Whiplash - E sobre a parceria com o programa Hermes e Renato, da MTV, na verdade, a honra que vocês deram a eles de terem o Massacration em seu programa?

Detonator / Hermes e Renato são amigos nossos de longa data. Passávamos na época por uma crise de vendas... pois só vedíamos 3 ou 4 milhões de cópias por cd. Eles nos apresentaram ao presidente da MTV Internacional que não titubeou em nos oferecer um espaço. Ele também é fã do Massacration.

Whiplash - Você poderia adiantar algo sobre o novo DVD ao vivo da banda, que trará vários shows, inclusive o mega show da Escandinávia do Leste, com sistema 5.1 Dolby Sorround, com 125 câmeras?

Detonator / Na verdade são 124. É fato... mas como no cd, vamos lançar uma versão "digipack" de 40 cópias, que vamos vender para o Fernando Collor.

Whiplash - O ex-presidente é um grande fã do Massacration?

Detonator / Sim. Ele é uma pessoa muito viril, e pratica vários esportes, como Jet-Ski, sempre ouvindo Massacration no "disc-man".


(As próximas perguntas foram feitas após o segundo dia do BMU, quando o Massacration gravou seu vídeo-clipe, com o baterista convidado, "El Coveiro")

Whiplash - Parabéns Detonator, dois shows em dois dias....

Detonator / Normal... uma vez fizemos 365 shows em 365 dias.

Whiplash - Sem pausa?

Detonator / Sim. Todo dia era um.

Whiplash - Considerando que os shows do Massacration duram quatro horas, como é tocar apenas 20 minutos?

Detonator / Normal. Posso correr mais e podemos usar mais energia. Nos shows de quatro horas procuro dosar as forças, e corro em média 30 ou 40 km a mais.

Whiplash - Joey De Maio se pronunciou recentemente sobre suas declarações, avisando que se te encontrar vai "te meter a porrada" em nome do metal. Você tem algo a dizer sobre isso?

Detonator / Quero avisar ao Joey que muitas vezes os sonhos viram pesadelos, e os pesadelos tornam-se realidade. Se cuida, seu idiota!

Whiplash - Mais algumas histórias sobre o Massacration. É verdade que numa passagem pela Europa vocês traçaram 475 "groupies" em uma só noite?

Detonator / Como você ficou sabendo disso?

Whiplash - Um bom repórter nunca revela suas fontes.

Detonator / Pode ter ocorrido... não me lembro...

Whiplash - Pode ter ocorrido?

Detonator / Podemos passar para a próxima pergunta?

Whiplash - Claro.

Detonator / Obrigado.

Whiplash - A coesão musical da banda é impressionante... como vocês compõe seus clássicos?

Detonator / Sentamos e dizemos... "vamos fazer música". Simples.

Whiplash - E existe além do caso de "Kill With Power", algum caso de música do Massacration que tenha sido usada por outras bandas?

Detonator / Sim. Vou contar.... na tornearia aonde Tony Iommi trabalhava, Blond Hammet também o fazia. E um dia ele levou uma fita com algo que tinha composto. Blond esqueceu a fita e Tony roubou, registrando a música e dando o nome de "Black Sabbath". Blond, revoltado, atacou Tony e cortou a pontas de seus dedos... não falei sobre isso antes pois é um assunto pessoal de Blond... e ele ainda está muito puto com isso e com aquele bigodudo filho da puta. O pobre Lula foi ajudar e deu no que deu.

Whiplash - E sobre o baterista convidado, o que você pode falar sobre ele?

Detonator / El Coveiro?

Whiplash - Sim.

Detonator / El Coveiro é um assassino, carniceiro, condenado por vários assassinatos. Após fugir, veio até nós, e nós o prendemos em uma jaula. Nosso baterista sofreu uma fratura exposta no cotovelo alguns dias antes, então quando temos problemas como este soltamos El Coveiro. Vale dizer que apesar de preso, ele é alimentado três vezes ao dia com alimentação balanceada.

Whiplash - Com supervisão de nutricionistas qualificados?

Detonator / Exatamente. Os melhores do mercado.

Whiplash - E qual era sua relação com Freddie Mercury, da qual se fala muito?

Detonator / Não éramos amigos, mas tivemos sempre um bom contato. Ele jamais tentaria algo comigo, pois sou um "castrati". Nós "castratis" não temos desejos sexuais, apenas queremos praticar METAL.

Whiplash - E as supostas versões de músicas do Queen que levariam seus vocais, inclusive "Bohemian Rhapsody", que Freddie não queria cantar por considerar a música "masculina" demais.

Detonator / Eu cantei "Bohemian Rhapsody".

Whiplash - Verdade?

Detonator / Sim. Preste atenção na hora que você ouve "Galileo". Sou eu, não Roger Taylor.

Whiplash - E no show de hoje você conclamou o público a participar do Massacration, dizendo que o poder do metal estaria em suas gargantas. Você não teme que isso desencadeie uma revolução sexual metálica?

Detonator / Não. O Deus Metal é superior. Ele me ajuda e eu passo para o público. Como Jesus, estou aqui em nome do Deus Metal.

Whiplash - Mas Jesus foi crucificado.

Detonator / Mas eu não serei. Sou muito poderoso.

Whiplash - Não quero nem experimentar esse poder....

Detonator / Ok ...

Whiplash - Bom Detonator, eu gostaria de agradecer pela entrevista, e gostaria que você deixasse uma mensagem para todos aqueles que ouvem, ouviram ou irão ouvir uma música do Massacration:

Detonator / Primeiramente gostaria de deixar o já famoso "DEATH TO ALL THOSE WHO PLAYS FALSE METAL", que foi minha invenção e o idiota do Eric Adams roubou. E segundamente, gostaria de falar as pessoas que se unam ao Massacration, porque quem não se unir ao Massacration irá cair!!!!

Whiplash - E você gostaria de deixar uma mensagem para Eric Adams, que deve ligar em breve para falar sobre essa entrevista?

Detonator / Não... Eric foi apenas um amigo que tive no passado. Não quero falar dele... está muito decadente.

Whiplash - Assim como Steve Harris?

Detonator / Quem é Steve Harris???


Agradecimentos: Bruno Sutter, Fausto e toda a galera do Hermes e Renato!!!!

publicidade




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Manowar: você acha as fotos da década de 80 ridículas?Manowar
Você acha as fotos da década de 80 ridículas?

Metallica: Ulrich comenta sobre seu maior erroMetallica
Ulrich comenta sobre seu maior erro


Sobre Rafael Carnovale

Nascido em 1974, atualmente funcionário público do estado do Rio de Janeiro, fã de punk rock, heavy metal, hard-core e da boa música. Curte tantas bandas e estilos que ainda não consegue fazer um TOP10 que dure mais de 10 minutos. Na Whiplash desde 2001, segue escrevendo alguns desatinos que alguns lêem, outros não... mas fazer o que?

Mais matérias de Rafael Carnovale no Whiplash.Net.

WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin