Roland Grapow: "Comecei a brincar com a guitarra com 12 anos!"

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Rodrigo Vinhas
Enviar correções  |  Comentários  | 

O guitarrista do Helloween e Masterplan comenta sobre a sua formação, influências, os novos trabalhos, e, claro, suas guitarras e equipamentos.

5000 acessosIbanez: cinco coisas que você não sabia sobre a marca5000 acessosSpin: os 40 melhores nomes de bandas de todos os tempos

1. Como você se tornou um musicista? Qual é a sua formação acadêmica?
R: Comecei a brincar com a guitarra com 12 anos, com 13 meu pai decidiu que precisava de aula, mas meu professor depois de 6 meses de aula falou para o meu pai que não era talentoso o suficiente.

Então poderíamos dizer que sou autodidata, aprendi tudo sozinho. Ainda não sou talentoso mas sou bom o suficiente eu espero (risos).

2.Quem te influenciou na guitarra?
R: Mark Farner, Michael Schenker,Uli Roth, Brian May, Ritchie Blackmore, agora eu amo mais guitarristas da Gibson como John Sykes e Zakk Wylde.

3. Quando vamos conseguir ouvir outro trabalho solo?
R: Eu já fiz 2 álbuns solo, agora não planejo nada, estou com meus olhos só no Masterplan! Quem sabe daqui a dois anos faço de novo!?!?!

4.Quanto tempo demorou em você fazer esse álbum?
R: Escrevendo, mais de um ano e gravando quase 6 meses com pequenos intervalos no meio.

5. Que guitarras você usou?
R: Gibson Les Paul custom para ritmo e flying v para solos e overdubbs.
Fender stratocaster para alguns solos. Também um G+L para algumas partes solo.

6.Que tipos de efeito?
R: Só um Tube Screamer TS 808, muito velho. Algumas vezes um wha wha ou um Eq. Paramétrico para solos.

7.Como você gravou as guitarras no primeiro álbum?
R: Eu gravei no Masterplan, 2 esquerdas e 2 direitas, para o som mais encorpado.

Também usei amplificadores mesa boogie e meu Marshall de 50 watts velho para mixagem de som também.

8.Você atua como músico “Masterplan”?
R: Não muito, só algumas pessoas me pediram para fazer um solo aqui outro lá ou como produtor para pequenas produções em Hamburgo. Mas eu tenho meu próprio rock club em Hamburgo, chamado “Headbangers Ballroom.”

9. Como você começou a se interessar por guitarras?
R: Eu queria ser como o Mark Farner quando eu tinha 12 anos, ele me trouxe para a guitarra e para o vocal ao mesmo tempo. (Ele era o guitarrista e vocalista da banda Grand Funk Railroad)

10. Qual foi a sua primeira guitarra/ violão?
R: Meu primeiro violão foi uma Wander guitar do leste da Alemanha, era bem pequeno mas bom para um principiante.

A minha primeira guitarra era ruim, não tinha marca era de um supermercado, essa foi minha primeira guitarra elétrica, quando tinha 13 anos.

Com 15 anos ganhei minha primeira Les Paul da Ibanez, ainda a tenho. Modelo 1975.

11. Como efeitos ajudam? Quanto pode influenciar a qualidade do guitarrista?
R: Os efeitos ajudam para fazer seu som único, como um treble booster ou um pedal de distorção podem ajudar a você achar seu próprio estilo, a que você se expresse melhor. Michael Schenker usa um pedal wha wha para ter aquele som meio termo ou o Brian May e seu treble booster com seu jeito único na guitarra cria um som muito especial. Eu usei distorção e pedais treble booster para tocar com maior velocidade e mais fluente. Torna-se mais fácil tocar com esse equipamento. Mas mesmo assim você precisa aprender a tocar e controlar as técnicas e som.

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

IbanezIbanez
Cinco coisas que você não sabia sobre a marca

0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Instrumentos"

Guitar WorldGuitar World
Os melhores solos de guitarra de todos os tempos

Arson AnthemArson Anthem
Phil Anselmo: "Sempre toquei guitarra nas bandas!"

KissKiss
Paul Stanley começa a quebrar guitarras da Ibanez

0 acessosTodas as matérias da seção Entrevistas0 acessosTodas as matérias sobre "Instrumentos"0 acessosTodas as matérias sobre "Masterplan"


MotorheadMotorhead
Escolhido o nome de banda mais legal pela Spin

Iron MaidenIron Maiden
Fatos estranhos na gravação de The Number Of The Beast

Black SabbathBlack Sabbath
Os vocalistas misteriosos da banda

5000 acessosLed Zeppelin: sexo explícito na entrega de discos de ouro em 19735000 acessosKing Diamond: O que significa ser Satanista?5000 acessosFotos de Infância: Jon Bon Jovi5000 acessosRock: 25 fotos pra fazer você continuar acreditando na música5000 acessosPossessed: "a banda mais satânica, blasfema e louca"5000 acessosBruce Dickinson: câncer pode ter sido causado por sexo oral?

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.


Sobre Rodrigo Vinhas

Rodrigo Vinhas é guitarrista da banda Thalion, ex-aluno de Kiko Loureiro, Rafael Bittencourt, Hugo Mariutti e Kiko Moura. Vinhas dá aulas de guitarra na baixada santista. Telefone para contatos: (013) 3429-17-80. Em São Paulo: (11) 9890-0490.

Mais matérias de Rodrigo Vinhas no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em junho: 1.119.872 visitantes, 2.427.684 visitas, 5.635.845 pageviews.

Usuários online