Rock e Literatura: Algumas Convergências

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Mário Orestes Silva
Enviar correções  |  Ver Acessos

Que a relação entre música e literatura é fato, isso é inegável. Para não se alongar muito, nos foquemos no rock, pois se partirmos para outros estilos, teríamos assunto e citações infinitas. São dezenas de grupos que se inspiraram em obras literárias, em escritores, poemas e prosas para comporem suas canções, seus álbuns conceituais, seus próprios nomes de bandas, seus visuais e seus espetáculos. Lógico que não há condições de se citar todos, mas abaixo segue uma modesta sequência desta admirável relação que une as artes literárias e musicais.

Chris Cornell: ele não dava sinais de que se mataria, diz esposaDimebag Darrell: namorada fala sobre a vida e a morte do músico

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

"Dante XXI" da banda Sepultura foi lançado no ano de 2006 e é baseado numa obra prima da literatura universal chamada "A Divina Comédia", escrita pelo italiano Dante Alighieri e lançada entre os anos 1304 e 1321. Na obra, o autor descreve uma épica jornada sua até o inferno, passando pelo paraíso e pelo purgatório, em busca de sua mulher amada. A característica principal do escrito está na ironia em locar personagens políticos e celebridades, além de conhecidos, de sua época em seus devidos lugares. Este mesmo livro inspirou capa e título do disco "A Divina Comédia, ou Ando Meio Desligado" dos Mutantes, lançado no ano de 1970.

"Animals" do Pink Floyd foi lançado no ano de 1977 e é baseado no livro "A Revolução dos Bichos" do escritor inglês Geroge Orwell. Com uma bucólica sátira à sociedade moderna, Orwell retrata metaforicamente políticos como porcos, policiais repressores como cães que, obedecem cegamente aos porcos e populares como ovelhas, prontas a seguirem ordens sem contestação. A publicação do livro se deu em 1945.

"1984" de Rick Wakeman foi lançado em 1981 e também é baseado em obra do inglês George Orwell. O livro, também chamado de "1984" foi lançado no ano de 1949 e apresenta um chocante drama em um país fictício onde não existe cultura, senão aquela imposta pelo Estado (daí surgiu o termo "Big Brother") que se faz onipresente através de câmeras, controlando toda a população, punindo severamente qualquer tentativa de subversão e impondo um regime totalitário de medo e submissão ferrenha onde até as crianças são doutrinadas a vigiarem seus pais. Até hoje a obra impressiona e causa uma estranha sensação de que já vivemos isso. O mesmo autor também foi a inspiração para David Bowie lançar seu disco "Diamond Dogs" em 1974 e para o Radiohead lançar "2+2=5" em 2003.

"Tales of Mystery and Imagination" é o primeiro álbum do ótimo The Alan Parsons Project lançado no ano de 1975 e não é baseado apenas em um livro, mas sim, em toda a obra do escritor norte americano Edgar Allan Poe. Considerado um dos pais da literatura de terror e suspense, Poe serviu de inspiração para muito do que é feito culturalmente hoje no gênero e já tem seu nome e sua obra na história acadêmica.

O segundo álbum do The Alan Parsons Project, "I Robot" do ano de 1977, também é baseado em literatura, desta vez, no livro homônimo de Isaac Asimov lançado em 1950. Trata-se de um livro coletânea de contos que já haviam sidos lançados anteriormente em revistas e que abordam em seus temas, a evolução progressiva e revolucionária dos robôs. Asimov é considerado um dos pioneiros da ficção científica.

"Where Legends Began" é um disco de 1987 lançado pela banda inglesa English Dogs. Tidos como os criadores, do que o mundo viria a conhecer como movimento Crossover (a junção do punk com o heavy metal em prol de objetivos comuns e uma harmonia entre as partes), Os Dogs surpreenderam neste álbum, por abordarem em suas letras o fantástico universo do escritor inglês John Ronald Reuel Tolkien, mais conhecido por ser o criador da saga "Senhor dos Anéis". Tolkien foi o escritor que mais influenciou bandas de rock, dentre elas, as mais famosas são Blind Guardian, Pär Lindh and Björn Johansson, Led Zeppelin, Nightwish, Running Wild, Rush, Summoning, Marillion, Unleashed, Black Sabbath, dentre outras mais que se forem citadas transformarão este texto numa extensa lista.

"Brave New World" do Iron Maiden foi lançado no ano 2000 e tem sua faixa título inspirada no livro "Bravo Mundo Novo" do escritor inglês Aldous Huxley. Lançado no ano de 1932, o livro demonstra um futuro fictício onde a sociedade é condicionada à imposição cultural subserviente com valores morais indignos, onde toda e qualquer reflexão é dissipada por drogas obrigatórias. O Maiden ainda usou inspiração literária para várias outras músicas como por exemplo: "Phanton of the Opera" baseada no livro "O Fantasma da Ópera" de Gaston Leroux, "Seventh Son of Seventh Son" baseado no livro "The Tales of Alvin Maker" de Orson Scott Card, "Murders in the Rue Morgue" baseada no conto "Os Assassinatos na Rua Morgue" do já citado Edgar Allan Poe, "To Tame a Land" baseada em "Duna" de Frank Herbert, "Flight of Icarus" baseada na mitologia grega, "Lord of the Flies" baseada no livro "O Senhor das Moscas" de William Golding, "Rime of the Ancient Mariner" baseada no poema de Samuel Taylor Coleridge, "The Trooper" baseada no poema de Alfred Tennyson e "Children of the Damned" baseada na obra de John Wyndham.

"Sudamerica Suda" da banda chilena Sexual Democracia foi lançado no ano de 1993 e é baseado no livro "Cem Anos de Solidão" do escritor colombiano Gabriel García Márques. A obra foi lançada no ano de 1967 e relata a trajetória de gerações de um vilarejo que tem como objetivo, decifrar os enigmas dispostos em pergaminhos, que possivelmente curarão o carma da doença da Insônia Familiar Fatal que atinge toda a população ali vivente.

"Aurora Consurgens" lançado pelo Angra no ano de 2006 é baseado em um tratado de alquimia medial homônimo de autoria desconhecida e muitas vezes atribuído a São Tomás de Aquino. Além de ser um manuscrito tido como "iluminado", o texto traz trinta e oito pinturas em aquarela.

"Os Meninos da Rua Paulo" do Ira! foi lançado no ano de 1991 e é baseado no livro homônimo do escritor húngaro Ferenc Molnár. A obra literária foi originalmente lançada no ano de 1907 e conta a história de um grupo de garotos que fazem de tudo pra defender uma área de terra batida, que eles usam como palco para seus lúdicos passatempos.

"The Idiot" lançado por Iggy Pop no ano de 1977 é inspirado no livro homônimo do escritor russo Fiódor Dostoiévski que teve sua publicação em 1869. Na história temos a vida conturbada de um jovem príncipe que busca tratamento para sua epilepsia e acaba se encontrando totalmente disperso socialmente, dentre suas crises existenciais. Alguns críticos colocam o personagem central deste livro como a declaração de um alter ego do autor.

"Monte Castelo" é uma canção da Legião Urbana, do álbum "As Quatro Estações" lançado no ano de 1989, que tem em sua letra um trecho de um poema do poeta português Luís Vaz de Camões. Na mesma letra também há um trecho de Coríntios, um dos livros que compõem a bíblia sagrada dos cristãos. Também referenciado pela bíblia dos crentes, mais especificamente o Salmo 69, temos o álbum "Psalm 69: The Way to Succeed and The Way to Suck Eggs" do ano de 1992 da banda Ministry.

"The Mission" é um disco da banda Royal Hunt lançado no ano de 2001 que tem seu conceito baseado no livro "The Martian Chronicles" do escritor norte americano Ray Douglas Bradbury. O livro foi lançado em 1950 e tem sua estrutura formada por contos de ficção científica, onde o tema principal é a colonização de Marte pelos terráqueos.

"Um Messias Indeciso" é uma canção de Raul Seixas lançada no álbum "Metrô Linha 743" do ano de 1984. Esta música é inspirada no livro "Ilusões - As Aventuras de um Messias Indeciso" do autor norte americano Richard Bach e foi originalmente lançado em 1977. Raul também citaria, na letra da canção "As Minas do Rei Salomão", a saga de Dom Quixote, do livro "Dom Quixote de La Mancha" do escritor espanhol Miguel de Cervantes y Saavedra. A obra literária é tida como um dos melhores livros já escritos até hoje e foi lançada no ano de 1605. Dom Quixote também foi tema e título de uma canção dos Mutantes em seu segundo LP lançado em 1969.

"Todo Futuro é Fabuloso" é um disco do ano de 2012 da banda Bazar Pamplona e teve seu título inspirado na epígrafe do livro "Jangada de Pedra" lançado em 1986 do escritor português José Saramago. O texto, no caso, foi escrito pelo músico e escritor cubano Alejo Carpentier.

"Don't Stand so Close to Me" é uma música do The Police lançada no álbum "Zeniattà Mondatta" no ano de 1980. Inspirada declaradamente no livro "Lolita" do ano de 1955 do escritor russo Vladimir Vladimirovich Nabokov. A história narra um polêmico drama de um romance praticamente pedófilo.

Acredite, esta lista é praticamente interminável, visto a relação ser muito comum em, sem exagero nenhum, todo o mundo. Impossível citar todos e absolutamente humano que tenhamos deixados vários nomes de fora. Lembrando que este contexto só aumenta com o passar do tempo. Vale o conselho para que o ouvinte da banda, siga a dica e procure se interar não apenas da canção ou do disco, mas também da sua fonte de inspiração.

Colabore postando como comentário aquela obra musical, baseada em literatura, que não deveria deixar de ser citada aqui.




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção CuriosidadesTodas as matérias sobre "Iron Maiden"Todas as matérias sobre "Iggy Pop"Todas as matérias sobre "Pink Floyd"Todas as matérias sobre "Sepultura"Todas as matérias sobre "Mutantes"Todas as matérias sobre "Legião Urbana"


Iron Maiden: seria esse o maior fã da banda no mundo?Iron Maiden
Seria esse o maior fã da banda no mundo?

Iron Maiden: As 10 melhores músicas da atual formaçãoIron Maiden
As 10 melhores músicas da atual formação


Chris Cornell: ele não dava sinais de que se mataria, diz esposaChris Cornell
Ele não dava sinais de que se mataria, diz esposa

Dimebag Darrell: namorada fala sobre a vida e a morte do músicoDimebag Darrell
Namorada fala sobre a vida e a morte do músico


Sobre Mário Orestes Silva

Deuses voavam pela Terra numa nave. Tiveram a idéia de aproveitar um coito humano e gerar uma vida experimental. Enquanto olhavam, invisíveis ao coito, divagavam: - Vamos dar-lhe senso crítico apurado pra detratar toda sua espécie. Também daremos dons artísticos. Terá sex appeal e humor sarcástico. Ficará interessante. Não pode ser perfeito. O último assim, tivemos de levar à inquisição. Será maníaco depressivo e solitário. Daremos alguns vícios que perderá com a idade pra não ter de morrer por eles. Perderá seu tempo com trabalho voluntário e consumindo arte. Voltaremos numas décadas pra ver como estará. Assim foi gerado Mário Orestes. Décadas depois, olharam como estava aquela espécie experimental: - O que há de errado? Porque ele ficou assim? Criamos um monstro! É anti social. Acumula material obsoleto que chamam de música analógica. Renega o título de artista pelo egocentrismo em seus semelhantes. Matamos? - Não. Ele já tentou isso sem sucesso. O Deixaremos assim mesmo. Na loucura que criamos pra vermos no que dará, se não matarem ele. Já tentaram isso, também sem sucesso. Então ficará nesse carma mesmo. Em algumas décadas, voltaremos a olhar o resultado. Que se dane.

Mais matérias de Mário Orestes Silva no Whiplash.Net.

adGoo336